Coronavírus: Economia da UE só vai se recuperar em 2023

A economia da UE cresceu mais rápido que o esperado durante o verão, apesar do choque da pandemia do coronavírus. Com a segunda onda atingindo a Europa, no entanto, os líderes do bloco dizem que não haverá uma recuperação tão em breve.

A economia da UE ainda levará alguns anos para se recuperar.

Enquanto a Europa luta com a segunda onda da pandemia de coronavírus, o comissário de Assuntos Econômicos da UE, Paolo Gentiloni, disse que novas interrupções “colocarão a recuperação em espera no curto prazo”.

A pandemia atingiu a economia da UE no início deste ano. Mas o bloco tem se recuperado mais rapidamente do que o esperado durante julho, agosto e setembro, à medida que a taxa de infecções caiu e as autoridades afrouxaram os bloqueios e as restrições de viagens.

Durante esses três meses, o PIB do bloco cresceu 12,7% – o maior aumento desde que os registros começaram em 1995. Contudo, com as taxas de infecção agora ultrapassando os níveis anteriores, muitos Estados membros da UE já impuseram algumas medidas anti pandêmicas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“O rebote sofreu uma interrupção”, disse Gentiloni aos repórteres ao anunciar as últimas previsões na quinta-feira (5).

 

Economia da UE
Imagem: Reprodução / Pixabay

Economia da UE: recuperação total ainda a anos de distância

Em julho, a Comissão Europeia disse que a economia dos 19 países que usam o euro como moeda cresceria 6,1% no próximo ano. Contudo, os números mais recentes trazem a projeção para 4,2%.

Além disso, as autoridades dizem que não espera que a economia volte ao “nível pré-pandêmico” antes de 2023.

“Nunca contamos com uma recuperação em forma de V. Agora sabemos com certeza que não teremos”, disse Gentiloni.

Bem como acrescentou que, devido ao vírus ser imprevisível, as previsões da UE estavam “sujeitas a um grau extremamente alto de incerteza”.

Em julho, os líderes da UE concordaram em lançar um plano de recuperação de € 1,8 trilhão para impulsionar a economia. No início desta semana, os ministros das finanças da zona do euro  pediram um fim rápido para as disputas entre o Parlamento da UE e os governos nacionais sobre os detalhes do pacote.

Fonte DW

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes