Facebook e Twitter bloqueiam contas da campanha de Trump por desinformação sobre a Covid-19

As redes sociais acreditam que um vídeo no qual o presidente dos EUA explica que as crianças são “quase completamente” imunes à Covid-19 viola seus regulamentos sobre desinformação.

0 292

O Twitter proibiu a conta da campanha de Trump (@TeamTrump) de continuar operando. O motivo é  a publicação de um vídeo em que o presidente dos Estados Unidos garante que as crianças dificilmente pegam o novo coronavírus.

Segundo o porta-voz do Twitter na Califórnia, “O tweet quebra as regras do Twitter sobre desinformação em torno da Covid-19. O proprietário da conta deve remover o tweet antes de poder tweetar novamente”.

Por sua vez, o Facebook retirou, na quarta-feira (5), este mesmo vídeo da página de campanha de Trump. O vídeo mostrava o presidente dos Estados Unidos explicando, em entrevista à Fox News, que as crianças eram “quase completamente” imunes ao novo coronavírus.

De acordo com um porta-voz do Facebook, “O vídeo inclui falsas alegações, segundo as quais um determinado grupo de pessoas é imune ao Covid-19, o que viola o nosso regulamento sobre desinformação perigosa em torno da doença”.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

redes sociais da campanha de Trump são bloqueadas
Imagem: Reprodução / Kon Karampelas

Redes sociais da campanha de Trump promove vídeo com desinformação

Durante a entrevista, Trump argumentou que era hora de todas as escolas em todo o país reabrirem. Aliás, esse tem sido um dos chamativos para a sua campanha.

“As crianças lidam muito bem com o vírus chinês. Elas podem pegá-lo, mas o impacto sobre elas é pequeno se você olhar os números de mortalidade. Crianças pequenas têm um sistema imunológico muito forte”, disse o presidente.

 

Risco do coronavírus em crianças

Contudo, os estudos mostram que crianças pequenas, embora menos vulneráveis ​​do que os adultos, podem pegar e transmitir a doença. 

Um estudo recente dos EUA de casos de coronavírus entre 7.780 crianças de 26 países descobriu que quase um em cada cinco pacientes não apresentava sintomas. 

Além disso, cerca de 3,3% foram internados em unidades de terapia intensiva e sete mortes foram relatadas, de acordo com a pesquisa da University of Texas Health Science Center em San Antonio.

Houve também alguns casos extremamente raros de crianças que desenvolveram uma síndrome inflamatória semelhante à doença de Kawasaki. Os cientistas estão explorando uma possível resposta imunológica tardia ao coronavírus.

O debate sobre a reabertura de escolas, fortemente defendido pela campanha de Trump, segue intenso nos Estados Unidos, que ainda luta para controlar a pandemia.

Informar Erro
Fonte Le Monde BBC

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes