Facebook proíbe anúncios políticos antes das eleições nos EUA

O Facebook anunciou que não aceitará novos anúncios políticos nos sete dias anteriores às eleições nos Estados Unidos.

O Facebook proíbe anúncios políticos na semana antes das eleições nos EUA. Mark Zuckerberg alertou que está “preocupado” com as divisões no país que podem levar a distúrbios civis.

De acordo com Zuckerberg, o Facebook também irá rotular as postagens de candidatos que tentassem declarar vitória antes que os votos sejam contados.

A rede social recebeu críticas por permitir que anúncios políticos sejam “micro-direcionados” em sua plataforma, de modo que sejam vistos apenas por pequenas comunidades, em vez de serem debatidos de forma mais ampla nos dias após sua exibição.

Explicando a medida, Zuckerberg disse: “Esta eleição não será ‘comercial’. Além disso, todos nós temos a responsabilidade de proteger nossa democracia”.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Facebook proíbe anúncios políticos
Imagem: Reprodução / Kaboom

Facebook proíbe anúncios políticos nas eleições americanas

Em preparação para as eleições, o Facebook vai “bloquear novos anúncios políticos e emitir anúncios durante a semana final da campanha”.

A princípio, o Facebook colocará um painel do Centro de Informações sobre Votação no topo do Facebook e do Instagram “quase todos os dias até a eleição”. Assim como incluirá tutoriais em vídeo sobre votação por correspondência e informações sobre prazos de registro.

Este painel também irá “preparar as pessoas para a possibilidade de que demore um pouco para obter resultados oficiais. Bem como ajudará as pessoas a entenderem que não há nada de ilegítimo em não ter um resultado na noite das eleições”.

 

Novas medidas do Facebook

Em um esforço para impedir a disseminação de rumores e falsidades deliberadas no Facebook, a empresa disse que implementará uma série de medidas:

  • nenhum novo anúncio político será aceito na semana antes da eleição;
  • remoção das postagens falsas que alegam que as pessoas terão covid-19 se participarem da votação;
  • rótulos de informações serão anexados às postagens buscando deslegitimar o resultado da eleição;
  • adição de rótulos às postagens de candidatos que buscarem reivindicar a vitória antes da divulgação dos resultados finais.

De acordo com Zuckerberg,  o Facebook “fortaleceu” suas políticas de fiscalização contra movimentos conhecidos por espalhar teorias de conspiração. Aliás, milhares de grupos do Facebook associados a esses movimentos já foram removidos, disse ele.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes