Fechamento do Consulado dos EUA em Chengdu é ordenado pela China

A ordem veio de Pequim como resposta ao fechamento do consulado chinês em Houston no início desta semana, marcando o agravamento das relações entre os países.

O Fechamento do Consulado dos EUA em Chengdu, na China, marca mais um capítulo da tensão entre os dois países.

Ainda nessa semana, o governo dos Estados Unidos da América solicitou o fechamento do Consulado Chinês. Em resposta, a Pequim Pequim ordenou o encerramento de um consulado dos EUA no sudoeste da China, em uma medida que eleva as tensões entre os dois países a um novo nível.

Na sexta-feira (24), o Ministério das Relações Exteriores da China disse que ordenou que o consulado dos EUA em Chengdu, na província de Sichuan, parasse todas as operações.

Além disso, um aviso foi fixado no site do ministério. De acordo com as autoridades, os EUA foram notificados sobre a decisão chinesa de revogar o consentimento para operação do consulado.

 

Fechamento do Consulado dos EUA em Pequim marca agravamento de tensões com a China

china pede fechamento do consulado dos EUA
Reprodução

 

Em nota à imprensa, Pequim descreveu a medida como uma “resposta legítima e necessária” aos EUA, que no início desta semana deram ao consulado chinês em Houston 72 horas para encerrar atividades.

Segundo informações do jornal The Guardian,  o governo norte-americano afirmou que a decisão visa proteger “a propriedade intelectual americana e informações privadas”, sem fornecer mais detalhes.

Enquanto os funcionários da embaixada chinesa queimavam documentos no pátio, a China prometeu retaliar a decisão que considerou uma escalada “sem precedentes” e “ultrajante”.

Apesar da resposta rápida, o Ministério das Relações Exteriores da China ainda não fixou um prazo para o fechamento do Consulado dos EUA em Pequim. O editor do jornal estatal Global Times disse no Twitter que o consulado teve 72 horas para fechar.

Inaugurado em 1985, possui mais de 200 funcionários, dos quais cerca de 150 são funcionários chineses contratados localmente.

A nova lei de segurança nacional chinesa também é fonte de tensão com os EUA e o Reino Unido, que governou o território até 1997. Em resposta a ela, os EUA revogaram na semana passada o status especial de comércio de Hong Kong. Anteriormente, isso havia permitido que o país evitasse tarifas impostas aos bens chineses pelos EUA.

Informar Erro

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes