China lança foguete para missão em Marte e entra na corrida espacial

Na madrugada da quinta-feira (23), a sonda chinesa Tianwen-1 decolou rumo a marte. Após tentativa frustrada em 2011, o país espera entrar na corrida espacial com a nova missão.

De olho na corrida espacial, a China lança foguete com expectativa de chegar na órbita de Marte em fevereiro de 2021.

Segundo informações da BBC, o robô de seis rodas – encapsulado em uma sonda de proteção – foi levantado da Terra pela espaçonave Long March 5. O lançamento ocorreu na madrugada da quinta-feira (23), saindo no porto espacial Wenchang, na ilha de Hainan, às 12:40, horário local.

 

China lança foguete com sua primeira missão rover a Marte

china lança foguete rumo a marte
© Getty Images / Nasa Space Flight

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Chamado Tianwen-1, ou “Questions to Heaven“, o veículo espacial não tentará pousar na superfície por cerca dois a três meses.

Essa estratégia de esperar para ver foi usada com sucesso pelos desembarques americanos da Viking na década de 1970. Isso permitirá que os engenheiros avaliem de fato as condições atmosféricas em Marte, antes de tentar o que será uma descida perigosa.

O local de aterrissagem direcionado para a missão chinesa será uma planície plana dentro da bacia de impacto da Utopia, ao norte do equador de Marte. O veículo espacial estudará a geologia da região – na superfície e logo abaixo dela.

A corrida espacial certamente será acirrada nos próximos meses. Tianwen-1 é uma das três missões que partem para Marte em um espaço de apenas 11 dias.

Na segunda-feira (2o), os Emirados Árabes Unidos (EAU) lançaram seu satélite Hope em direção ao Planeta Vermelho. E daqui a uma semana, a agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) também pretende despachar seu rover de próxima geração, Perseverance.

 

China está na sua segunda tentativa de chegar ao Planeta Vermelho

Essa não é a primeira vez que a China tenta chegar a Marte. Ainda em 2011, a agência espacial do país já havia feito sua primeira tentativa. No entanto, o resultado foi frustrante, já que a espaçonave não conseguiu sair da Terra.

Logo após a decolagem, o orbitador Yinghuo-1 (carregado pela nave russa Fobos.Grunt), parou na órbita da Terra quando seu meio de transporte falhou. Ele perdeu o contato com a terra e, por fim, caiu em direção ao Oceano Pacífico.  Até hoje, apenas os norte-americanos conseguiram executar operações de longa duração em Marte.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes