Hong Kong teme colapso dos hospitais. China tem maior número de casos desde Abril

Apesar do aparente sucesso no combate rápido ao covid-19, uma possível segunda onda de infecções preocupa a líder de Hong Kong, que teme pelo colapso do sistema de saúde local.

Hong Kong teme colapso dos hospitais ao lidar com aumento acentuado nos casos de coronavírus.

Anteriormente, Hong Kong havia registrado sucesso antecipado no combate ao coronavírus. No entanto, o contágio recomeçou e hoje são reportados mais de 100 novos casos a cada dia.

Carrie Lam, Chefe do Executivo de Hong Kong desde 2017, disse que a cidade “está à beira de um surto comunitário em larga escala” e pediu para que a população fique dentro de casa.

Novos regulamentos (incluindo o uso obrigatório de máscaras faciais e fechamento de restaurantes) começaram na quarta-feira (29), com objetivo de conter rapidamente a transmissão comunitária.

 

Líder de Hong Kong teme colapso dos hospitais

 

Em um comunicado divulgado na terça-feira (28), Carrie Lam alertou que a cidade estava “à beira de um surto comunitário em larga escala, o que pode levar ao colapso do nosso sistema hospitalar e custar vidas, especialmente aos idosos”.

Assim, Lam pediu aos moradores que “sigam rigorosamente as medidas de distanciamento social e fiquem em casa o mais longe possível”.

Suas declarações foram feitas quando Hong Kong confirmou outros 106 casos de coronavírus na terça-feira e relatou sua 23ª morte geral. Um recorde de 145 casos foi registrado na segunda-feira e o salto nos números deixa as autoridades em estado de alerta.

 

segunda onda de coronavírus em hong kong
Carrie Lam, líder de Hong Kong alerta para possível colapso dos hospitais. Imagem: Wikimedia

 

Novas medidas de segurança impostas em Hong Kong

 

Enquanto Hong Kong teme o colapso dos hospitais, as medidas obrigatórias são reforçadas em larga escala. No início do mês, reuniões públicas de até 50 pessoas eram permitidas. Mas o número foi reduzido inicialmente para quatro e, agora, duas pessoas.

A partir de quarta-feira (29), o jantar em restaurantes é proibido e apenas duas pessoas de famílias diferentes podem se encontrar. Também é obrigatório que as máscaras de proteção sejam usadas em todos os ambientes públicos.

Anteriormente, já havia sido anunciado o fechamento de espaços como bares, academias e salões de beleza.

Hoje, a transmissão do Coronavírus na Índia é a mais rápida do mundo e Hong Kong toma todas as medidas possíveis para frear o contágio local.

Enquanto isso, especialistas ainda estudam a possibilidade da imunidade de rebanho. Uma descoberta recente de anticorpos capazes de neutralizar Covid-19 aumentou a esperança na criação de uma vacina eficaz.

 

China enfrenta maior número de casos de covid-19 desde Abril

 

Ainda que Hong Kong tenha visto relativamente poucos casos de coronavírus após impor medidas rápidas e rigorosas no início da pandemia, os números atuais preocupam.

Houve um aumento nos casos recentemente, com mais de 500 novas infecções relatadas até 19 de julho. De lá para cá, a velocidade de contágio aumentou significativamente.

Apenas nas últimas 24 horas, mais de 101 novos casos de infecção por covid-19 foram registradas pelas autoridades chinesas.

Outros países também estão criando medidas para lidar com um novo aumento no número de casos. É o caso da Espanha, que alerta para uma possível segunda onda de coronavírus.

No Brasil, a expectativa é que a vacina contra coronavírus possa ficar pronta em janeiro de 2021.

Informar Erro
Fonte BBC News

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes