Covid-19: Imunidade de rebanho não acontecerá em 2021, diz a OMS

Apesar das amplas campanhas de vacinação, a imunidade coletiva ao coronavírus não será alcançada este ano, disse o principal cientista da OMS.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a imunidade de rebanho não acontecerá em 2021.

Assim, a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan,  disse na segunda-feira que a imunidade coletiva ao coronavírus não seria alcançada em 2021, apesar da crescente disponibilidade de vacinas.

Os fatores atenuantes para a imunidade de rebanho incluem acesso limitado a vacinas em países em desenvolvimento. Bem como o ceticismo sobre a vacinação e o potencial de mutações do vírus, de acordo com especialistas em saúde.  

Um número crescente de países em todo o mundo estão nos primeiros estágios de campanhas de vacinação em massa. 

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Imunidade de rebanho não acontecerá
Imagem: Reprodução / Getty Images

Imunidade de rebanho não acontecerá em 2021.

A imunidade de rebanho ocorre quando um número suficiente de pessoas em uma população tem imunidade a uma infecção de modo que evita que a doença se espalhe. 

“Não vamos atingir nenhum nível de imunidade populacional ou imunidade coletiva em 2021”, disse Swaminathan em uma entrevista. Ela também enfatizou que medidas como distanciamento físico, lavagem das mãos e uso de máscaras continuam a ser necessárias para conter a disseminação de covid-19 em todo o ano.

Swaminathan elogiou o “progresso incrível” feito pelos pesquisadores para desenvolver várias vacinas seguras e eficazes em uma velocidade sem precedentes. Os países estão atualmente administrando vacinas desenvolvidas pela BioNTech-Pfizer, Oxford e Moderna. 

Além disso, ela pediu que as pessoas sejam “um pouco pacientes”, dizendo que o lançamento das vacinas “leva tempo”, pois a escala de produção de doses está na casa dos bilhões.

 

A imunidade do rebanho deve ser global 

“Não vamos voltar ao normal rapidamente”, disse Dale Fisher, presidente da Rede de Alerta e Resposta a Surtos da OMS, em uma conferência.

“Sabemos que precisamos obter imunidade coletiva e precisamos disso na maioria dos países. Então não veremos isso em 2021″, disse Fisher.

“Pode haver alguns países que podem alcançá-lo, Mas mesmo assim isso não criará um ‘normal’, especialmente em termos de controles de fronteira”, acrescentou. 

Informar Erro
Fonte DW

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes