Jornalistas chineses podem ser forçados a deixar os EUA

A cobertura dos assuntos americanos pela mídia da China pode ser prejudicada devido a atrasos na renovação de vistos.

0 176

Cerca de 40 jornalistas chineses que trabalham para a mídia chinesa estão fazendo as malas para deixar os EUA. O motivo é que seus vistos vencidos ainda não foram renovados.

O atraso inexplicável na renovação dos vistos desses jornalistas, que estão espalhados em várias cidades americanas, pode prejudicar ainda mais as relações bilaterais China-EUA.

A cobertura dos assuntos dos EUA pela mídia estatal chinesa será prejudicada se todos esses jornalistas chineses eventualmente tiverem que deixar seus postos no país.

As organizações de mídia chinesas intensificaram sua cobertura no país, em particular notícias negativas como o flagelo Covid-19 e os protestos Black Lives Matter, lançando os EUA em uma luz desfavorável aos esforços de propaganda de Pequim.

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

jornalistas chineses
Imagem: Reprodução / Tycho Atsma

Jornalistas chineses enfrentam desafios nos EUA

 

O atraso do visto é apenas um dos desafio enfrentado pelos repórteres chineses nos Estados Unidos. 

Em maio, Washington reduziu o período de validade de seus vistos de longa permanência para apenas três meses. Isso significa que eles terão que apresentar pedidos de renovação e passar por toda a burocracia novamente a cada trimestre.

Em fevereiro, Washington também limitou para cinco o número de mídia estatal chinesa que pode operar no país. Como resultado, 60 jornalistas chineses tiveram que deixar os EUA. Porém, Pequim revidou e expulsou 10 jornalistas americanos como retaliação.

Em uma série de mensagens castigando os EUA, o Global Times, tabloide nacionalista da China, observou em seu relato no Weibo que Pequim responderia com “tratamento recíproco” aos repórteres americanos na China. Enquanto isso, também estão se preparando para retirar todos os seus meios de comunicação chineses e profissionais dos EUA.

De acordo com o chefe adjunto na Embaixada de Pequim na Cidade do México, que trabalhou no departamento de assuntos norte-americanos do Ministério das Relações Exteriores da China, os meios de comunicação chineses nos EUA estariam “trabalhando em vão” se esses jornalistas saíssem. 

Ele acrescentou que uma forma de Pequim dissuadir Washington seria pedir ao governo de Hong Kong que adie a aprovação de vistos para os muitos diplomatas e repórteres americanos que estão lá.

Hu, chefe do Global Times, também escreveu em seu relato no Weibo que as centenas de correspondentes americanos trabalhando em Hong Kong e os muitos diplomatas americanos na cidade deveriam lembrar ao governo Trump “qual país perderia mais” se o presidente, depois de fechar o consulado de Pequim em Houston no mês passado, banisse os jornalistas chineses.

Por enquanto, os países ainda não entraram em um acordo em relação aos vistos e o clima de tensão continua.

Informar Erro
Fonte Asia Times

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes