Nova mutação da covid-19 na África do Sul preocupa cientistas

África do Sul identifica nova mutação da covid-19. Segundo os cientistas, há uma preocupação razoável de que a nova variante possa se mostrar mais resistente às vacinas atuais.

Nova mutação da covid-19 na África do Sul começa a preocupar a comunidade internacional.

De acordo com os cientistas, há uma “preocupação razoável” de que a nova variante que está varrendo o país possa se mostrar mais resistente às vacinas atuais.

“É uma preocupação teórica. Uma preocupação razoável é que a variante sul-africana possa ser mais resistente”, disse o professor Shabir Madhi em entrevista à BBC. Ele  liderou os testes da vacina Oxford na África do Sul.

Madhi estava respondendo a comentários do governo e de cientistas do Reino Unido. Ele disse que uma resposta definitiva provavelmente viria em questão de semanas. Afinal, diversos testes estão sendo feitos para trazer mais respostas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A princípio, a preocupação surge do fato de que o vírus na África do Sul sofreu uma mutação muito maior que a variante no Reino Unido. Além disso, uma dessas mutações pode significar que ele pode escapar do ataque de anticorpos que normalmente combateriam o coronavírus.

 

mutação da covid-19 na África do Sul
Imagem: Reprodução q Pixabay

Nova mutação da covid-19 na África do Sul

De acordo com Madhi, é “improvável” que a mutação na África do Sul torne as vacinas atuais inúteis. Mas pode “enfraquecer o impacto”.

A África do Sul rejeitou recentemente as sugestões do governo britânico de que sua variante era mais transmissível que a do Reino Unido. Os cientistas insistem que não há evidências para isso.

Além disso, não há como provar ainda que as mutações que surgiram tornam o vírus mais mortal.

Uma especialista em vacinas da Universidade de Wits, Helen Rees, disse que a preocupação com as mutações na África do Sul deve aumentar a pressão global por um rápido lançamento de vacinas em todo o mundo. E, não apenas nas nações mais ricas.

“Como as novas variantes já estão se espalhando para outros países, a importância de garantir que as vacinas permaneçam eficazes contra as novas variantes é um imperativo global”, argumentou Rees.

De acordo com Madhi, os experimentos de laboratório ainda não começaram e a eficácia das vacinas só será conhecida “nas próximas semanas”.

Informar Erro
Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes