UK começa aplicar a vacina de Oxford contra a covid-19

A vacina de Oxford é a segunda a ser aprovada para uso no Reino Unido, que luta contra a rápida disseminação da nova variante do coronavírus.

UK começa aplicar a vacina de Oxford contra a covid-19 nesta segunda-feira (4). 

Um homem de 82 anos se tornou a primeira pessoa no mundo a receber a vacina Oxford-AstraZeneca.

Cerca de 53.000 doses do jab da Universidade de Oxford estão sendo lançadas inicialmente em seis hospitais em Oxford, Sussex, Lancashire, Warwickshire e dois em Londres.

Assim, o governo britânico espera entregar dezenas de milhões de doses em alguns meses. Além disso, a meta do Reino Unido é administrar duas milhões de doses por semana.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Essa é a segunda vacina que recebeu aprovação no Reino Unido para uso emergencial. A primeira foi a vacina da Pfizer, que deu início a campanha de vacinação em 8 de dezembro.

 

UK começa aplicar a vacina de Oxford
Imagem: Reprodução / Pexels

UK começa aplicar a vacina de Oxford 

A vacina Oxford-AstraZeneca, que foi aprovada em 30 de dezembro, é mais barata e fácil de armazenar e transportar.

Em uma mudança das práticas nos EUA e em outros lugares, a Grã-Bretanha planeja administrar aos pacientes uma segunda dose de ambas as vacinas dentro de 12 semanas da primeira injeção, em vez de 21 dias.

Assim, poderão acelerar as imunizações para o maior número de pessoas o mais rápido possível.

De acordo com o vice-chefe médico do governo, Jonathan Van-Tam, a decisão é “a coisa certa a se fazer pela nação como um todo”.

O professor Stephen Powis, diretor médico nacional do NHS England, descreveu o lançamento da vacina Oxford-AstraZeneca como “outro ponto de virada em nossa saída desta pandemia”.

O UK garantiu 100 milhões de doses da vacina Oxford-AstraZeneca como parte de seu contrato – o suficiente para a maioria da população.

 

Nova mutação

A disseminação da nova variante mais transmissível forçou o governo a priorizar a administração da primeira dose da vacina ao maior número possível de pessoas, em vez de se concentrar em dar a um grupo menor de pessoas as duas doses completas primeiro.

O Reino Unido está lutando contra um surto agudo e a transmissão rápida da nova mutação. Assim, nos últimos seis dias, registaram mais de 50.000 novas infecções por covid-19.

Informar Erro
Fonte Sky News

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes