Tá calor? Entenda porque a semana foi tão quente

Altas temperaturas e baixa umidade relativa do ar marcaram a última semana na maior parte do Brasil.

O verão ainda está distante, mas as temperaturas perto dos 40ºC já chegaram.  O mês de setembro de 2020 foi um dos mais secos na história, com índices de umidade relativa do ar inferiores a 15%. Nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste, as temperaturas registradas nos últimos dias bateram recordes históricos.

Mas o que fez os termômetros subirem tanto em plena primavera?

Por que a semana foi tão quente?

De acordo com o Centro de Previsão do Tempo e Estudo Climático (Cptec),  as altas temperaturas desta semana que marcaram o início do mês outubro são efeitos da atuação de massa de ar quente forte, favorecida pela circulação anticiclônica muito próximo da superfície terrestre, isto é, 6 km de altitude. Assim, o tempo fica seco, com baixa umidade relativa do ar, e temperaturas elevadas.

Além disso, os movimentos da massa de ar quente dificultar a formação de nuvens. Por isso, quando isso acontece, é preciso beber muita água e evitar fazer exercícios ao ar livre. Vale ressaltar que, mesmo com o calorão, o uso da máscara é essencial contra a pandemia, que ainda atinge todas as regiões do Brasil.

 

Calor dá uma trégua com chegada de frente Fria

Mas o calor intenso deve dar uma trégua a partir deste fim de semana em todo o país, é o que indica o Cptec/Inpe. A partir de sexta-feira (2), o avanço da frente fria pelo Rio Grande do Sul poderá ocasionar pancadas de chuva com raios em boa parte do estado gaúcho. Ainda há previsão de temporais em pontos isolados.

Em seguida, a frente fria chegará primeiro na faixa leste de São Paulo e no litoral do Rio de Janeiro. Os demais estados do Sudeste e o Centro-Oeste permanecerá sob influência da massa de ar quente, logo as temperaturas ainda serão elevadas neste sábado (03) e domingo (04).  

Por fim, nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, o fim de semana terá chuvas médias e moderadas e até temporais em pontos isolados. Isso deve ocorrer entre o fim da tarde e noite de domingo (04).

São Paulo tem recorde de calor setembro

A frente fria é muito esperada pelos paulistas, depois das altas temperaturas da última semana de setembro de 2020. Segundo o Climatempo, o nono mês no ano foi o mais quente desde 1943. Ou seja, desde quando começaram as medições na região metereológica do Mirante da Santana, zona norte da cidade paulista.  Sendo assim, a média das temperaturas máximas foi de 29,3°C e a média das temperaturas mínimas foi de  17,4°C.

Fonte Cptec/Inpe
Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.