Consumidores lotam Rua 25 de Março Brás às vésperas do Natal

Roupas, calçados, acessórios e brinquedos estão no topo da lista de presentes; uso de máscara continua obrigatório no estado

Com a aproximação do Natal e diante do fato de que muitos brasileiros costumam deixar as compras para a última hora, a cidade de São Paulo tem acompanhado um movimento intenso nas regiões de comércio popular, como a Rua 25 de Março e o Brás, ambos na região central da capital. Nesta época do ano, os tradicionais centros de compras costumam atrair muitos consumidores de diferentes partes do país em busca de preços competitivos e produtos de qualidade e a previsão é de que a semana seja de forte presença de público nesses locais.

Rua 25 de Março e Brás recebem milhões de compradores nos dias que antecedem o Natal

Em relação ao ano passado, quando a vacinação contra a Covid-19 ainda não tinha começado, a Associação Comercial de São Paulo estima que as vendas na semana que antecede o Natal tenham um aumento de 10%. Embora não pareça um crescimento considerável, a previsão é de que milhões de pessoas se desloquem até a Rua 25 de Março e o Brás para comprar principalmente presentes.

Apesar da crise, nesta terça-feira, por exemplo, as ruas do Brás amanheceram lotadas, o que causou interdição de ruas e, consequentemente, complicou o trânsito na região. 14 linhas de ônibus tiveram que ser desviadas devido ao intenso movimento de pedestres, ambulantes e ônibus com excursões de compradores. Provavelmente, os próximos dias terão condições parecidas.

Na Rua 25 de Março, os clientes buscam principalmente brinquedos, acessórios e bijuterias para presentear familiares e amigos. Os itens de decoração de Natal, no entanto, parecem não ter atraído muita atenção neste ano. Já no Brás, a procura é por itens de vestuário. Segundo pesquisas, devido à alta nos preços, as crianças devem ser priorizadas.

O levantamento da Associação Comercial de São Paulo também apontou que 41% dos brasileiros pretendem fazer compras neste Natal contra os mesmos 41% que não têm a intenção de gastar com presentes. Já 17,4% afirmaram estar indecisos. Roupas, calçados, acessórios e brinquedos estão no topo da lista.

Shoppings têm horário ampliado no Brás

Para atender à demanda, alguns shoppings e lojas do comércio popular da região central de São Paulo estão funcionando com horário ampliado durante esta semana. No Brás, os centros comerciais abrem à meia-noite e vão até as 16 horas nos próximos duas, duas horas a mais que o que acontece normalmente.

Já na Rua 25 de Março, as lojas costumam ficar abertas entre as 8h e as 18h. No entanto, alguns lojistas fecham as portas um pouco mais tarde. A expectativa dos varejistas é de que o 13º salário melhore os resultados nesta semana.

Aglomerações no fim do ano preocupam

A variante do coronavírus, Ômicron, e a H3N2, nova cepa da Infuenza, se tornaram uma grande preocupação para as autoridades paulistas neste fim de ano. Por isso, na última segunda-feira, o governador de São Paulo, João Dória (PSDB), decidiu prorrogar o uso obrigatório de máscaras em todo o estado até o dia 31 de janeiro de 2022. Isso porque a transmissão comunitária da Ômicron e o surto de Influenza já são realidade na capital.

Sendo assim, a máscara continua sendo um item indispensável em lugares públicos e o descumprimento dessa medida prevê multa de R$ 552,71 por pessoa e R$ 5.294,38 por estabelecimento.

 

 

Você pode gostar também