Covid-19: capitais impõem restrições e toque de recolher; veja mudanças

SP, RJ, Curitiba, Porto Alegre Campo Grande e Florianópolis estão na lista das capitais que tiveram mudança de prevenção da Covid-19

Após o governo do Estado de São Paulo decretar a fase amarela da Covid-19 em todos os municípios paulistas, foi a vez da prefeitura de Porto Alegre também reduzir serviços para evitar o contágio do novo coronavírus.

Decreto publicado nesta quarta-feira (02), determinou que o horário de funcionamento de lojas e shoppings seja ampliado das 19h paras às 20h. Já para praça de alimentação, bares e restaurantes, o horário de funcionamento será modificado. Antes ia até a meia-noite, agora o fechamento terá de ser às 22h.

As ‘novas regras’ só foram estipuladas por conta do governo do Rio Grande do Sul ter colocado alguns municípios com bandeira vermelha de riscos da Covid-19, incluindo a capital POA.

Segundo a prefeitura, o município “concorda com o momento epidemiológico da decisão, mas está atento às possibilidades de flexibilizações dessa medida pela repercussão econômica negativa no setor”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Rio de Janeiro – Covid-19

Veja as capitais que adotaram medidas protetivas e toque de recolher contra a Covid-19
Rio de Janeiro em tempos de Covid-19: praias lotadas. (Foto: Fábio Motta/EPA)

O Rio de Janeiro é outra capital em que a situação da Covid-19 tem se sobressaído mais que o esperado. Em menos de 24 horas, a cidade resgitrou mais de 3 mil novos casos do coronavírus, totalizando 81 mortes pela doença nesse período.

A secretaria de saúde do município disse ao site G1, que em menos de um mês, a fila para internação de pacientes com coronavírus subiu dez vezes no SUS.

No dia 19 de outubro, 45 pacientes aguardavam internação, sendo que 30 precisavam de UTI. Já ontem (02), o número saltou para 456 pacientes internados, sendo que 242 eram de UTI. Já em hospitais particulares as vagas de UTI estão 98% ocupadas.

Toque de recolher

Para evitar a contaminação do coronavírus, o estado do Paraná que, em novembro, teve um número de infectados 93% a mais que o mês de outubro, também adotou novas medidas protetivas. Pela primeira vez, desde o começo da pandemia, decretou o toque de recolher em todos os municípios e na capital Curitiba entre as 23h e 5h.

A medida que foi assinada pelo governador Ratinho Júnior (PSD), tem validade de 15 dias, podendo ser prorrogada caso não tenha sucesso na diminuição de casos de Covid-19 na região.

Segundo o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, a Polícia Militar (PM) irá redobrar a fiscalização nas ruas e trabalhará em conjunto com equipes da guarda municipal. “É necessário que possamos interromper em alguns momentos a circulação de pessoas. Há hipótese até de fechamento de praças, parques, diminuição de festejos de natal e ano novo por parte dos entes públicos”, disse o secretário.

Santa Catarina

Em Santa Catarina também terá toque de recolher durante a madrugada. A medida foi decidida em reunião entre o governador Carlos Moisés (PSL) e representantes da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) ontem (02). Foi decidido também, a ocupação máxima de 70% da capacidade dos ônibus do transporte coletivo das cidades.

Segundo o governador, as medidas valerão por 15 dias e têm o objetivo de frear o avanço da doença. Já em relação ao comércio, devido às compras de fim de ano, prefeitos e o governo do Estado, decidiram por ampliar os horários de atendimento, a fim de manter as atividades econômicas. Das 16 regiões de saúde de Santa Catarina, 15 estão em risco gravíssimo para a doença e uma, o Extremo Oeste, em risco grave.

Campo Grande – Covid-19

Veja as capitais que adotaram medidas protetivas e toque de recolher contra a Covid-19
Na capital Campo Grande o toque de recolher vai até 11 de dezembro (Foto: Everson Tavares)

A capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande foi outra cidade que decretou ‘toque de recolher’ das meia-noite às 05h. A medida protetiva vale até o dia 11 de dezembro e entre o horário determinado, fica proibida a circulação de pessoas nas ruas, exceto quando necessária para acesso a serviços essenciais como hospitais, farmácias ou supermercados.

Trabalhadores do turno noite/madrugada estão liberados do toque de recolher, desde que, se parado por uma blitz, condiga justificar. Estabelecimentos também devem fechar as portas durante o período de toque de recolher.

Dados coronavírus

Levantamento do consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, o Brasil registrou, até esta quinta-feira (03), 174.647 mortes por coronavírus.

De terça (1°) para quarta (02), 48.107 novos casos foram confirmados no Brasil. Nas últimas 24 horas foram registradas 669 mortes por Covid-19.

No Norte e Nordeste, apesar de haver um risco maior de contágio, nas últimas semanas, nenhum estado decretou o toque de recolher.

Veja como está a situação nos estados brasileiros:

  • Alto índice de contaminação (11 estados): PR, RS, SC, ES, MS, AC, AM, RO, CE, PE e SE
  • Em estabilidade (10 estados + o DF): SP, DF, MT, AP, PA, RR, BA, MA, PB, PI e RN
  • Baixo índica de contaminação (5 estados): MG, RJ, GO, TO e AL
Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes