Fase amarela no Guarujá: reservas de casas terão restrições

Com a volta da fase amarela no litoral, a queima de fogos e os shows de fim de ano podem não acontecer

O Governo de São Paulo anunciou no dia 30  de novembro o recuo de todo o Estado à fase amarela do Plano São Paulo devido à pandemia de coronavírus. Com a reclassificação por causa do aumento de pessoas infectadas, o funcionamento de comércios e serviços foi alterado e algumas prefeituras decidiram adotar medidas extras. A fase amarela no Guarujá, por exemplo, terá impacto no turismo de fim de ano e no acesso às praias, o que pode fazer com que as famílias que se planejavam ir à cidade mudem de ideia.

O que muda na fase amarela no Guarujá?

A prefeitura do Guarujá publicou nesta terça-feira, 1, algumas medidas que  serão adotadas na cidade. Com o fim de ano, é esperado um aumento de fluxo de pessoas nas regiões litorâneas, mas agora, com a fase amarela no Guarujá,  a administração municipal tenta minimizar a circulação de turistas.

Para isso,  a cidade deve restringir o aluguel de casas por aplicativos, imobiliárias e sites A medida pode começar a valer na quarta-feira, dia 2 de dezembro, data de início da nova fase amarela. O fim previsto é para o dia 4 de janeiro de 2021.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, os banhistas que forem às praias dentro do período da fase amarela no Guarujá não poderão usar guarda-sol ou cadeira em toda a extensão de área.

De acordo com a prefeitura, o banho de mar está liberado, assim como as demais modalidades individuais, sempre com distanciamento entre as pessoas.

O que pode e não pode

  • Está suspenso o uso de guarda-sóis e cadeiras.
  • Os ambulantes também podem continuar funcionando, desde que permaneçam tomando as medidas profiláticas necessárias, como o uso de máscara, disponibilização de álcool em gel, instalação de cordão/faixa limitadora para garantir o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre clientes e demais carrinhos.
  • Não será permitido oferecer cadeiras e guarda-sóis aos clientes.

 

Restaurantes e shoppings devem reduzir horário e público 

Outra mudança é a redução do horário de atendimento e público de restaurantes, shoppings centers e outros comércios. Veja como era antes da fase amarela no litoral e como ficará agora: 

  • Comércios e serviços devem funcionar apenas 10 horas por dia; antes, era permitido atendimento durante até 12 horas diárias; 
  • A capacidade de público é de 40%, 20% a menos do que na fase verde, em que a operação era permitida com até 60%. A medida também é válida para academias;
  • Bares e restaurante podem funcionar até às 22h (antes, os clientes poderiam permanecer nos locais até às 23h).

Vans e ônibus

A prefeitura também proibiu o ingresso em ônibus e vans de turismo, até então era liberado mediante a apresentação de voucher de hospedagens em hotéis. A exceção é apenas para aqueles que emitiram autorização antes do decreto da fase amarela no Guarujá. Barreiras serão montadas nas entradas das cidades para monitorar veículos de turismo clandestinos.

 

Shows do réveillon devem ser cancelados

Assim como em outras cidades, o setor cultural também sofre alterações na fase amarela no litoral. Os eventos com público em pé estão proibidos, ou seja, os famosos shows no litoral não devem acontecer.  Os espaços culturais em que as pessoas fiquem sentadas e mantenham o distanciamento social, bem como seja feito controle de fluxo de pessoas, podem funcionar. 

Carnaval 2021 de São Paulo é adiado: veja o que muda

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes