Quarentena em SP: o que fecha a partir de 00h de sábado

A etapa mais rigorosa de restrição de mobilidade urbana e serviços não essenciais fica em vigor até o próximo dia 19 devido ao aumento alarmante de casos, internações e mortes causadas pelo coronavírus.

​Começa a valer a meia-noite deste sábado (6/3), a fase vermelha em São Paulo, de acordo com o decreto do Doria, número 65.545, que determina restrições em todo o estado para conter o avanço do novo coronavírus no estado. A medida tem validade até 19 de março e impõe o fechamento de estabelecimentos comerciais que não estejam entre os serviços essenciais de alimentação, saúde, abastecimento, limpeza urbana, segurança pública e bancos. Veja o que mais funciona na quarentena em SP.

Na última quinta-feira 4/3, o Estado de São Paulo registrou 60.694 óbitos e 2.080.852 casos confirmados durante toda a pandemia. Até então, as taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 77,9% na Grande São Paulo e 76,3% no Estado. O número de pacientes internados é de 17.802, sendo 9.910 em enfermaria e 7.892 em unidades de terapia intensiva.

Quarentena em SP

Tem lockdown em SP? Na realidade, a medida do governador João Doria (PSDB) recomenda que a circulação de pessoas no estado se limite às necessidades imediatas de alimentação, cuidados de saúde e exercício de atividades essenciais.

De acordo com a medida, todas as lojas que têm atendimento presencial, inclusive bares e restaurantes, cafés e lanchonetes deverão fechar a partir deste sábado. Estabelecimentos que servem alimentos e bebidas em mesas ou balcões só poderão atender pedidos por telefone ou serviços de entrega.

Na área de saúde, ficam fora da quarentena os hospitais, as clínicas médicas e odontológicas e farmácias. Já no setor de abastecimento e serviços, continuam abertos os postos de combustíveis, oficinas mecânicas, transporte público, táxis, aplicativos de transporte, serviços de call center, pet shops e bancas de jornais.

O que não pode funcionar na quarentena em SP

 

Leia também

Vacinação em SP: idosos com 67 anos recebem 1ª dose na…

Vacinação de professores em São Paulo; veja onde tem…

  • Shoppings, galerias e comércio de rua
  • Bares e restaurantes (só funcionam delivery ou drive-thru)
  • Salões de beleza e barbearias
  • Cinemas, teatros e casas de show
  • Universidades (só cursos de saúde funcionam)
  • Eventos, convenções e atividades culturais
  • Atividades com aglomeração
  • Academias de esporte e centros de ginástica
  • Concessionárias
  • Parques e zoológico

O que abre na fase vermelha em SP de 2021

Farmácias e serviços de saúde

  • Mercados, supermercados e locais que vendam comida, mas sem consumo local
  • Escolas (só até 35% de ocupação)
  • Igrejas (até 30% de ocupação)
  • Construção civil e indústria Lavanderias
  • Serviços de segurança pública e privada
  • Empresas de locação de veículos

Como denunciar aglomeração em São Paulo?

A fiscalização estadual contra aglomerações, festas e eventos clandestinos recebe denúncias pelo telefone 0800 771 3541 ou e-mail secretarias@cvs.saude.sp.gov.br.

Entenda o que é lockdown e outros termos da pandemia

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes