Obra de Tarsila do Amaral vai à leilão em SP com lance de R$ 47 milhões

O quadro ‘A Caipirinha’ pertencia ao empresário Salim Taufic Schahin e foi confiscado por decisão judicial após ele estar envolvido em esquemas descobertos pela operação Lava Jato. Leilão será realizado nesta quinta em SP

Estar frente a frente com uma obra de Tarsila do Amaral é algo surpreendente. Porém, se você é milionário, a chance de ter uma tela feita por uma das artistas mais icônicas que o Brasil já teve é agora. O quadro ‘A Caipirinha’ vai a leilão nesta quinta-feira (17) com um valor-base de 47 milhões de reais, cerca de 7,5 milhões de Euros.

Sem dúvida, é o maior valor já pedido por uma obra de arte brasileira.

Tarsila do Amaral na Lava Jato

A tela de Tarsila do Amaral, que pertencia ao empresário Salim Taufic Schahin, foi confiscada por decisão judicial após investigações da Lava Jato ligarem Schahin aos esquemas de corrupção descobertos na Petrobras e noutras empresas e instituições públicas no país.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O preço de partida foi decidido por um perito judicial e quem der a maior oferta deve pagar na hora. O dinheiro irá a uma conta do tribunal e o leilão será realizado na casa leiloeira Bolsa de Arte, uma das mais conhecidas de São Paulo.

A Caipirinha

Com um traço a lá Tarsila, a tela tem figuras arredondadas e traz cores verdes e azuis. Refere-se não a tradicional bebida brasileira, mas sim, a figura do campo, tanto é que é denominada com o diminutivo de caipira. Tarsila do Amaral chegou a dizer que, Caipirinha é “um de meus melhores quadros”.

Por muito tempo, o termo ‘caipira’ foi usado no Brasil para descrever pessoas que moram no campo, que têm hábitos e modos rudes devido a pouca instrução ou escasso convívio social.

Tarsila do Amaral afirmou que esperava aprender arte com os ‘caipiras’ do interior do Brasil. “Sou profundamente brasileira e vou estudar o gosto e a arte dos nossos caipiras. Espero, no interior, aprender com os que ainda não foram corrompidos pelas academias”, disse.

Tarsila do Amaral e Semana de 22

A pintora brasileira, ícone do modernismo, nasceu em 1886, no interior do estado de São Paulo, e estudou na Académie Julian, em Paris, onde o quadro foi finalizado. Tarsila do Amaral morreu em 1973 aos 86 anos.

A artista voltou ao Brasil para participar na Semana de Arte Moderna em São Paulo, em 1922, que marcou a afirmação do Modernismo brasileiro tanto nas artes como nas letras.

Com os poetas Mário de Andrade, Paulo Menotti del Picchia e Oswald de Andrade, seu companheiro, ela fez parte do movimento até então considerado um dos maiores do país.

A artista que foi considerada marxista na Era Vargas, pediu exilio na Rússia e ao retornar ao Brasil, foi presa por um mês por conta das suas convicções políticas. Abandonou a representação imaginativa da natureza e adotou uma forma de expressão com uma temática mais social.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes