Pagamento de Auxílio Emergencial de R$ 300 tem novas regra; entenda

O Auxílio Emergencial foi prorrogado pelo governo federal por mais 4 meses, são as chamadas parcelas residuais. Saiba como funciona o pagamento de auxílio emergencial de R$ 300 – metade do valor das anteriores. 

O Auxílio Emergencial foi prorrogado pelo governo federal por mais 4 meses, são as chamadas parcelas residuais. As novas regras para a concessão do benefício foram publicadas em edição extra do Diário Oficial da União (DOU) do dia 16 de setembro. A seguir, saiba como funciona o pagamento de auxílio emergencial de R$ 300 – metade do valor das anteriores.

O Decreto nº 10.488 regulamenta a Medida Provisória nº 1.000, de 2 de setembro de 2020, que concede o auxílio emergencial residual de R$ 300 ou R$ 600 para mães solteiras. Segundo a Caixa, os primeiros a receber serão os beneficiários do Bolsa Família.

De acordo com o decreto, o calendário de pagamentos do auxílio emergencial residual será idêntico ao de pagamentos vigente para as famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Quando será pago o auxílio emergencial de R$ 300?

As parcelas de R$ 300 serão pagas apenas para quem já têm o auxílio emergencial. Ou seja, os trabalhadores que não são beneficiários do auxílio emergencial não poderão solicitar o auxílio emergencial residual.

O recebimento do auxílio emergencial residual está limitado a duas cotas por família. A mãe solteira receberá duas cotas do auxílio emergencial residual.

O pagamento das parcelas residuais serão pagas automaticamente, independentemente de requerimento.

O decreto define que caso não seja possível verificar a elegibilidade ao auxílio emergencial residual em razão da ausência de informações fornecidas pelo Poder Público, serão devidas, de forma retroativa, as parcelas a que o trabalhador tiver direito.

Parcelas serão pagas até 31 de dezembro

O auxílio emergencial residual será pago até 31 de dezembro de 2020, independentemente do número de parcelas recebidas pelo beneficiário. O número de parcelas dependerá da data de concessão do auxílio emergencial residual, limitado a quatro parcelas.

Segundo o Ministério da Cidadania, quem começou a receber o auxílio emergencial em abril terá direito às quatro parcelas. Quem passou a receber a partir de julho, por exemplo, terá direito às cinco parcelas de R$ 600 e a mais uma parcela do novo benefício (de R$ 300), que será paga no mês de dezembro.

Pagamento retroativo do Auxílio Emergencial de R$ 300

A nova regra indica que, caso não seja possível verificar a elegibilidade ao auxílio emergencial residual em razão da ausência de informações fornecidas pelo Poder Público, serão devidas, de forma retroativa, as parcelas de R$ 300 que o trabalhador tiver direito.

Saiba quem não receberá o benefício

Com as novas, o benefício deve atingir menos trabalhadores. Assim sendo, veja quais são os novos critérios e quem não vai receber parcelas de R$ 300:

  • Quem tenha vínculo de emprego formal ativo adquirido após o recebimento do auxílio emergencial;
  • Pessoas que já recebam benefício previdenciário ou assistencial ou benefício do seguro-desemprego ou de programa de transferência de renda federal, adquirido após o recebimento do auxílio emergencial, ressalvados os benefícios do Programa Bolsa Família;
  • Tenha renda familiar mensal per capita (por pessoa) acima de meio salário mínimo e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos;
  • Seja residente no exterior;
  • Tenha recebido, no ano de 2019, rendimentos tributáveis (Imposto de Renda) acima de R$ 28.559,70;
  • Tinha, em 31 de dezembro de 2019, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, incluída a terra nua, de valor total superior a R$ 300.000;
  • Esteja preso em regime fechado;
  • Possua menos de 18 anos de idade, exceto no caso de mães adolescentes; ou

O recebimento do auxílio emergencial residual está limitado a duas cotas por família. A mãe solteira receberá duas cotas do auxílio emergencial residual.

As parcelas de R$ 300 serão pagas apenas para quem já têm o auxílio emergencial. Ou seja, os trabalhadores que não são beneficiários do auxílio emergencial não poderão solicitar o auxílio emergencial residual.

O pagamento das parcelas residuais serão pagas automaticamente, independentemente de requerimento.

Através da Agência Brasil

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes