Bolsa Família terá reestruturação em fevereiro, segundo Onyx

Programa deve ter ampliação e reajuste de valores, aumentando o benefício médio, além de parcerias com a Secretaria Nacional do Esporte e com o Ministério da Ciência e Tecnologia

Nesta quarta-feira (27), o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, disse que o governo deve apresentar uma proposta de reestruturação do programa Bolsa Família ainda em fevereiro. O programa deve ter ampliação e reajuste de valores, aumentando o benefício médio.  As declarações foram feitas em participação no programa de José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes e registradas pelo jornal O Globo. Segundo o jornal, as mudanças no Bolsa Família podem ser apresentadas na próxima semana.

 

Reestruturação do Bolsa Família

As menções sobre modificações acontecem desde o ano passado, e ganhou atenção em razão da discussão do fim do auxílio emergencial e as propostas de criação de um novo programa de renda. Em suma, a criação de um novo programa encarava como problema o financiamento, que dependeria do corte de outras despesas. Para 2021, o orçamento previsto para o Bolsa Família é de R$ 34,8 bilhões, que permitiria o atendimento de 14,5 milhões de famílias, um avanço de 200 mil em relação ao contingente atendido atualmente.

“(O Bolsa Família) vai atender mais de 14,3 milhões de famílias, que é o número que será atendido no mês de fevereiro. É o maior número da história do programa, nunca teve um número tão grande de famílias atendidas” disse Onyx, em participação no programa de José Luiz Datena na Rádio Bandeirantes.

Sem detalhar o tipo de mudança por depender de aprovação do orçamento, Onyx adiantou que devem ser incorporados prêmios de mérito esportivo, escolar e científico. Segundo suas afirmações, serão feitas parcerias com a Secretaria Nacional do Esporte e com o Ministério da Ciência e Tecnologia.

” O que ocorre, ele (o Orçamento) deve ser votado. O Congresso vai nos dar a possibilidade de ter um pouco de recurso no Bolsa? Aí sobe o valor, por isso não posso dizer que é A, porque daqui a dois dias pode ser A mais B”.

 

Valores do programa

Os valores do programa variam de acordo com a situação de cada grupo. Atualmente, para famílias em situação de extrema pobreza o pagamento é de R$ 89 por mês. Mas a quantia pode variar caso a família tenha gestantes, mães que amamentam, crianças e adolescentes de 0 a 15 anos. Nesses casos, o valor de cada benefício é de R$ 41 e cada família pode acumular até 5 benefícios por mês. Então, o benefício máximo é de R$ 205. Já as famílias com adolescentes de 16 e 17 anos podem acumular até dois benefícios de R$ 48, com o total máximo de R$ 96.

Com a reestruturação do Bolsa Família, famílias com crianças de até cinco anos devem ter um adicional nos valores recebidos. “É um recurso que nós criamos um novo valor para que as crianças pequenas possam ter uma condição nutricional porque isso impacta no desempenho da vida dela”, disse.

 

Auxílio emergencial

Além disso, ao ser questionado sobre a extensão do auxílio emergencial, afirmou que o problema estava na falta de dinheiro. Assim, seria preciso esperar os efeitos da mudança do programa para verificar o que deve ser feito nos próximos meses.

“Não temos mais dinheiro, esse é o grande problema. Nós fomos no limite, além do limite que era possível”, afirmou.

 

Leia também:

Novo Bolsa Família: veja como fica o programa em 2021

Veja quais benefícios devem ser antecipados e pagos em fevereiro

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.