Salário mínimo: entenda como é feito o cálculo de reajuste dos valores

Com base nos índices do PIB e INPC, o valor influencia em benefícios como o seguro-desemprego, INSS, abono PIS/PASEP e outros

Todo ano o salário mínimo sofre um reajuste real que consideram os principais índices do país, e que influencia diversos benefícios sociais dos cidadãos e trabalhadores. No próximo ano, por exemplo, está previsto o salário mínimo no valor de R$ 1.088, sem ganho real. Mas você sabe como funciona o cálculo de reajuste do salário mínimo? Entenda:

 

O que é salário mínimo?

Instituído em 1940 pelo governo Getúlio Vargas, o salário mínimo define um piso mínimo do valor do trabalho. Além de cálculos trabalhistas, o valor também influencia em benefícios como o seguro-desemprego, INSS, abono PIS/PASEP e outros. Ele tem como base a economia do país, e o valor deve corresponder ao custo de vida atual. É um valor nacional unificado e determinado por lei, mas com variações estaduais, que se concentram no Sul e Sudeste.

 

Qual o cálculo do salário mínimo?

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O salário mínimo sofre um reajuste anual todo 1º de janeiro. Para efetuar o cálculo, dois índices devem ser considerados: Produto Interno Bruto (PIB) do ano retrasado e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a oscilação de preços, ou seja, a inflação em um período específico.

O cálculo atual entrou em vigor em 2015, com a sanção da lei 13.152. Assim, soma-se o percentual de crescimento real do PIB com o INPC vigente, e o resultado é aplicado ao valor atual do salário mínimo. Caso o valor do PIB do país seja negativo, considera-se como zero no cálculo para evitar redução.

 

Valor para 2021

O Governo Federal propôs salário mínimo para 2021 de R$ 1.088. O aumento está na proposta de alteração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Atualmente, o salário mínimo é de R$ 1.045. A estimativa do salário-mínimo foi calculada com base na projeção do Ministério da Economia para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) de 2020, que foi de 4,11%.

Entretanto, o valor só deve ser confirmado em janeiro de 2021, quando será possível verificar os dados reais da inflação em 2020. Caso o valor proposto de R$ 1.088 seja confirmado, o aumento será somente de R$ 43 em relação ao já vigente de 2020, que é de R$ 1.045.

Com a nova revisão do salário mínimo para 2021, não haverá aumento real. Ou seja, como este ano está previsto o aumento apenas com base no INPC, sem considerar o Produto Interno Bruto (PIB). Na prática, se isso for cumprido, não haverá “ganho real” e o poder de compra do consumidor continuará o mesmo.

Desde 2019, por meio da política de valorização do salário mínimo, a lei garantia aumento real, acima da inflação, sempre que houvesse crescimento econômico. Neste cálculo, era considerado a inflação anterior, medida pelo INPC, e o resultado do PIB. Este ano, porém, a equipe econômica de Bolsonaro mudou as políticas de aumento real, quando o salário mínimo somente com base na inflação de 2019.

 

Leia também:

Salário Mínimo: veja a evolução dos últimos reajustes

Bolsa Família: projeto quer reajuste anual e pagamento de 13º salário

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes