Como se inscrever no Cadastro Único para receber benefício em 2022

Esse cadastro reúne os dados das famílias ​de baixa renda e permite a participação em vários programas sociais

O CadÚnico se tornou o principal requisito para a participação em programas sociais que são oferecidos pelo governo federal, pois é através deste instrumento que as famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social são identificadas. Para quem tem interesse em participar do Auxílio Brasil, por exemplo, veja a seguir como se inscrever no Cadastro Único em 2022.

Como se inscrever no Cadastro Único em 2022?

Para se inscrever no Cadastro Único em 2022, a família deve escolher um responsável que precisa ter, pelo menos, 16 anos de idade e preferencialmente ser uma mulher. É importante ressaltar que não é possível fazer esse cadastro pela internet, portanto, a orientação é entrar em contato com a prefeitura de sua cidade ou procurar o CRAS (Centro de Referência da Assistência Social) mais próximo.

Para saber o endereço, consulte o site aplicacoes.mds.gov.br/sagi/mops/. Devido à pandemia, o atendimento é feito por meio de agendamento com o objetivo de evitar aglomerações nas unidades, então, na data e horário marcados compareça ao local e apresente os seguintes documentos:

Documentos pessoais: CPF; RG; Título de Eleitor, certidões de nascimento, casamento ou óbito. Em caso de família indígena basta apresentar o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI);

Comprovante de residência: preferencialmente a conta de luz;

Comprovante de renda: carteira de trabalho, holerites;

Comprovante de escolaridade: documentos que comprovam a matrícula escolar das crianças e jovens até 17 anos. Se não tiver comprovante, leve o nome da escola de cada criança ou jovem.

Depois de registrar esses dados no sistema do Cadastro Único, o responsável pela família participa de uma entrevista para informar quais são as características da residência familiar (se é um imóvel alugado ou próprio), além de confirmar a escolaridade e renda dos membros, e se a família possui acesso aos serviços públicos.

Agora que vimos como se inscrever no Cadastro Único, saiba ainda que o CRAS realiza o acompanhamento através de visitas domiciliares que são realizadas periodicamente para identificar quais são as necessidades de cada uma das famílias.  

+ Qual valor do Auxílio Brasil em fevereiro + calendário de 2022

Como saber se faço parte do CadÚnico?

Depois de saber como se inscrever no Cadastro Único, o cidadão também deve lembrar de solicitar a certidão de inscrição que comprova o registro no Cadastro Único. Esse documento pode ser obtido durante atendimento presencial no CRAS ou por meio da internet. Para isso, acesse o aplicativo ou site Meu CadÚnico

As pessoas que não sabem estão inscritas junto ao governo também podem emitir a certidão para confirmar se já possuem esse registro. Para isso, entre na plataforma e registre os dados cadastrais do representante familiar como nome completo, data de nascimento, nome da mãe, além da cidade e o estado onde reside.

Através desse sistema o cidadão também pode conferir  o NIS (Número de Identificação Social) da família que será utilizado para conferir datas de pagamento e quais são os benefícios recebidos. Além disso é possível ver se todos os dados da família estão corretos, visto que isso também é um requisito para receber auxílios do governo.

Por isso, saiba que é importante fazer a atualização do CadÚnico a cada dois anos ou quando tiver alguma mudança na família, seja o nascimento de um filho, mudança de endereço ou de trabalho, além da alteração da renda familiar.

Para acompanhar a inscrição e tirar dúvidas sobre como se inscrever no Cadastro Único, o cidadão também pode entrar em contato com o número 0800 707 2003. A ligação é gratuita e deve ser feita de um telefone fixo de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h e aos finais de semana e feriados no horário das 10h às 16h.

Quem pode ter Cadastro Único?

Como se inscrever no cadastro único
Foto: reprodução/lucas cabral/prefeitura municipal de são josé dos campos

Quem tem interesse em saber como se inscrever no Cadastro Único primeiro deve conferir se atende aos requisitos para obter esse cadastro. Segundo o governo, podem se inscrever as pessoas que possuem renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa.

Em 2022 essa quantia é de R$606,00 levando em consideração o reajuste do salário-mínimo nacional que, desde 1º de janeiro, passou a ser de R$ 1.212. Quanto à renda familiar total, o limite para ingresso no programa é de até três salários (R$3.636) para se inscrever no cadastro único.

Quem possui renda acima desse limite e precisar de algum benefício específico deve solicitar o cadastro caso e aguardar a análise do governo. Também podem ser registradas no CadÚnico as pessoas ou famílias que vivem em situação de rua. 

Benefícios para quem tem o Cadastro Único

Após se inscrever no Cadastro Único, o cidadão pode pleitear vários benefício que são oferecidos pelo governo e que estão relacionados à moradia, apoio financeiro para auxiliar no orçamento doméstico, assim como, carteirinhas que possibilitam o acesso ao transporte público. Portanto, a seguir destacamos os principais benefícios e auxílios disponíveis em 2022. Confira: 

Programa Auxílio Brasil: paga mensalmente a quantia mínima de R$400 para as famílias em situação de pobreza e extrema pobreza;

Auxílio Gás: está concedendo um auxílio bimestral no valor de R$52 para as famílias participantes do Auxílio Brasil e aquelas que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) e que vivem em situação de vulnerabilidade social;

Tarifa Social de Energia Elétrica: garante descontos mensais na conta de energia elétrica. A partir deste ano, as famílias inscritas no CadÚnico estão sendo incluídas no programa de forma automática;

Carteira do Idoso: pessoas com mais de 60 anos tem direito ao acesso a transporte interestadual gratuito (duas vagas por veículo) ou desconto de 50% (cinquenta por cento) no valor das passagens;

Aposentadoria para pessoa de baixa renda: é pago pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para pessoas que não trabalham fora e pertencem a famílias de baixa renda;

Benefício de Prestação Continuada (BPC): esse benefício é garantido às pessoas idosas de qualquer idade, bem como aos idosos com mais de 60 anos. Através do BPC é garantido o valor de um salário-mínimo mensal;

Programa Brasil Carinhoso: são recursos destinados aos alunos de zero a 48 meses que estão matriculados em creches públicas ou conveniadas com o poder público;

Telefone Popular: oferece a telefonia fixa em condições especiais para realizar chamadas locais para outros telefones fixos;

Taxas em Concursos Públicos: as pessoas de baixa renda poder receber isenção, conforme as regras de cada edital;

ID Jovem: possibilita acesso aos benefícios de meia-entrada em eventos artístico-culturais e esportivos e também a vagas gratuitas ou com desconto no sistema de transporte coletivo interestadual. É voltado aos adolescentes e jovens que possuem idade entre 15 e 29 anos;

Programa Casa Verde e Amarela: reúne iniciativas habitacionais do governo federal para ampliar o estoque de moradias e atender as necessidades habitacionais da população.

Fiz meu cadastro mas não fui selecionado para receber benefícios, o que fazer? 

É importante ressaltar que a inscrição no Cadastro Único é um requisito para participar destes e de outros programas sociais, mas não garante que a família será selecionada e irá começar a receber o auxílio imediatamente.

Isso porque o governo utiliza os dados registrados no cadastro para selecionar mensalmente as famílias de baixa renda e, assim, incluí-las nos programas que melhor atende às suas necessidades. Mas isso depende ainda da quantidade de pessoas que já são atendidas em cada município e o orçamento para o pagamento de benefícios sociais que está disponível para o ano. 

Assim, a orientação é sempre verificar se os dados estão atualizados após se inscrever no Cadastro Único e, assim que a família for selecionada receberá um comunicado oficial pelo órgão responsável.

No caso do Auxílio Brasil, por exemplo, 3,5 milhões de famílias que aguardavam na fila de espera do programa foram incluídas no mês de janeiro. Assim, os representantes familiares também estão recebendo os cartões para movimentar o dinheiro que será recebido através do programa. 

Últimas notícias de economia no DCI

Você pode gostar também