Moedas Mais Desvalorizadas 2020: entenda o porquê da queda

A turbulência e instabilidade econômica causada pelo novo coronavírus resultou em recessão e desvalorização de moedas em todo o mundo. Países mais vulneráveis estão sofrendo com maiores impactos e queda.

A crise financeira causada pelo novo coronavírus, impactou a economia mundial de maneira histórica. Desse modo, a crise desencadeou desempenhos cambiais desastrosos e a queda de diversas moedas. Assim, confira a lista das moedas mais desvalorizadas 2020 e entenda porque desse fenômeno.

 

Moedas Mais Desvalorizadas

De fato, 2020 está sendo um ano de muita turbulência econômica. Devido a essa instabilidade, choques no mercado afetaram diversos segmentos sociais, como o comércio, a inflação e os orçamentos nacionais. Desse modo, os impactos ocasionaram uma recessão global sem precedentes e até mesmo países com economia estável estão sendo afetados.

No entanto, países com maior vulnerabilidade e que já enfrentavam problemas econômicos estão sofrendo com a desvalorização cambial e a escassez de recursos para sair da crise. Entre os países com as moedas mais desvalorizadas 2020 estão o Bolívar Soberano Venezuelano e o Dólar Zimbabuano. Assim, ambos os países viram uma desvalorização acumulada em mais de 70% em relação ao Dólar Americano.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, o Brasil, a República de Seychelles e a Zâmbia tiveram uma depreciação acumulada de mais de 20% em relação ao dólar americano. Acompanhe os fatores que colaboram com a desvalorização e queda das moedas desses países.

 

VES – Bolívar Soberano venezuelano

Moedas Mais Desvalorizadas 2020
Imagem: Reprodução / Bloomberg

Que a moeda venezuelana está em queda a anos, isso não é novidade. Todavia, este ano a depreciação da moeda não apenas continuou, como também piorou. Embora o país venha aumentando regularmente o salário mínimo, o poder de compra dos venezuelanos tem caído cada vez mais, devido a desvalorização da moeda local.

Além disso, o colapso da indústria nacional de petróleo no país dificultou a criação de receitas. Para piorar a situação, a Venezuela está tendo dificuldades em obter apoio financeiro para ações de combate às doenças, uma vez que a estabilização monetária foi complicada por sanções internacionais.

 

ZWD – Dolar Zimbabuano

Moedas Mais Desvalorizadas
Imagem: Reprodução / Voice of America

Também conhecida como ZimDollar, o dolar zimbabuano é uma moeda relativamente nova no mercado e já estava em apuros antes da pandemia da Covid-19.

A desvalorização da moeda começou no ano passado, quando o Zimbábue resolveu adotar o ZimDollar como única moeda válida no país. Assim, a economia do país começou a enfrentar graves problemas com a transição do uso generalizado da moeda estrangeira para a moeda nacional.

Todavia, com a crise e a falta de confiança do mercado na moeda zimbabuana, o país precisou iniciar um leilão de moeda estrangeira. Porém, o ZimDollar desvalorizou fortemente com os dois primeiros leilões, resultando consequentemente em uma das moedas mais desvalorizadas 2020, chegando quase aos níveis venezuelanos.

 

Real entre as Moedas Mais Desvalorizadas 2020

Moedas Mias desvalorizadas
Imagem: Reprodução / GettImages

 

O real brasileiro também está entre as moedas mais desvalorizadas de 2020. Desde março a moeda acumula depreciação de 29,6% em relação ao dólar americano, ficando atrás somente do bolívar venezuelano.

Dessa forma, o real é a segunda moeda que mais perdeu valor este ano. Além da crise do novo coronavírus, há diversos fatores que contribuíram para o desempenho negativo da moeda brasileira.

Um dos fatores é a dívida pública do país que vem aumentando significativamente. No ano passado, por exemplo, a dívida bruta do Brasil chegou a 75,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019, um número consideravelmente alto para uma economia emergente.

Agora, a tendência é que a dívida só aumente. Em maio, por exemplo, a dívida já estava em 81,9% do PIB. Além disso, com o avanço do vírus, o governo aumentou os gastos para tentar mitigar os efeitos da recessão no orçamento empresarial e familiar, o que promoverá um maior endividamento do país.

Devido a resistência do Presidente da República, Jair Bolsonaro, em adotar medidas de bloqueio para diminuir os impactos do vírus como isolamento social, o Brasil emergiu como um dos países mais atingidos pela pandemia. Assim, tais circunstâncias contribuíram para o afastamento de investidores, a instabilidade do mercado nacional e aumento da inflação.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes