Novo aplicativo do Fundo Garantidor de Créditos permite resgates online

Clientes que depositaram ou investiram em bancos e instituições que quebraram possuem uma nova ferramenta sem a necessidade de ir às agências bancárias para dar entrada no procedimento

O Fundo Garantidor de Créditos (FGC) lançou um aplicativo para simplificar um eventual resgate do fundo, devido a casos de não pagamento da instituição financeira. Assim, clientes que depositaram ou investiram em bancos e instituições que quebraram possuem uma nova ferramenta para os resgates sem a necessidade de ir às agências bancárias para dar entrada no procedimento. Aplicativo já pode se encontra em sistemas Android e iOS.

Mudanças e facilitações do App

O aplicativo tem como propósito garantir a agilidade e comodidade no pagamento de garantias. Em sua primeira versão, será exclusivo para pessoas físicas com depósitos ou investimentos em instituições liquidadas, ou sob intervenção do Banco Central (BC). Nos próximos meses, o aplicativo ganhará novas funcionalidades.

No processo comum, quando o investidor sofre calote do banco ele deve encaminhar até uma agência bancária indicada pelo FGC e assinar o termo físico de recebimento de valores. Contudo, agora a assinatura passa a ser digital. Assim, buscam diminuir a burocracia do processo e otimizar o mapeamento da base de depositantes.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Com o aplicativo, a assinatura do termo passará a ser eletrônica, preservando a segurança do processo, ao mesmo tempo em que aumenta a comodidade para o beneficiário, que não mais precisará ir até uma agência bancária”, afirma Daniel Lima, diretor-executivo do FGC.

O FGC implementou o teste piloto do aplicativo em outubro para alguns beneficiários das garantias da Dacasa Financeira que não compareceram até o final do prazo de pagamento nas agências. Dessa maneira, após os testes, o aplicativo foi liberado para o pagamento dos demais beneficiários que ainda não solicitaram os valores com direito.

O que é o Fundo Garantidor de Créditos?

Em resumo, o fundo teve criação em 1995 para oferecer mais segurança ao sistema financeiro e proteger os investidores em casos de calote do banco credor em aplicações bancárias. Assim, ele garante até R$ 250 mil por conta, CPF ou CNPJ no valor de até R$ 1 milhão a cada quatro anos, na hipótese de um mesmo cliente possuir valores garantidos pelo FGC em mais de uma instituição financeira que passe pela decretação de regime especial no período.

Quais as instituições associadas ao FGC?

Por fim, o FGC possui instituições associadas, com a lista completa em seu site. Portanto, fazem parte:

  • Bancos múltiplos;
  • Bancos comerciais;
  • Caixa Econômica Federal;
  • Bancos de investimento;
  • As sociedades de crédito, financiamento e investimento;
  • Sociedades de crédito imobiliário;
  • Bancos de desenvolvimento;
  • Companhias hipotecárias;
  • Associações de poupança e empréstimo.

 

Leia também:

Saiba como fazer a amortização do FGTS pelo aplicativo ‘Habitação Caixa’

Caixa libera desconto de até 50% em financiamento imobiliário

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes