Salário mínimo deveria ter sido R$ 5.005,91 em outubro, aponta Dieese

O custo com gastos básicos é o maior entre os dez meses de 2020. O valor da cesta básica é quatro vezes maior que o salário mínimo vigente.

O salário mínimo de R$ 1.045,00 não é suficiente para custear os gastos mensais dos brasileiros, aponta pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Sendo assim, uma família de quatro membros, dois adultos e duas crianças, precisaram de R$ 5.005,91 para o mês de outubro.

Dessa forma, o valor da cesta básica corresponde a 4,79 vezes a mais do valor do salário mínimo vigente no país em 2020. O cálculo do Dieese tem como base o valor das cestas básicas entre 17 capitais brasileiras.

“No mês passado, o conjunto de alimentos básicos custou mais em São Paulo (R$ 595,87). A cesta básica mais barata foi registrada em Natal (R$ 436,76). Brasília (R$ 490,48) teve a maior variação percentual no custo da cesta básica, com alta de 10,03%.”

Por fim, o mês de outubro foi o mês mais caro, em relação aos meses anteriores. Portanto, os valores da cesta básica, mês a mês, são de:

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

  • Janeiro – R$ 4.347,61
  • Fevereiro – R$ 4.366,51
  • Março – R$ 4.483,20
  • Abril – R$ 4.673,06
  • Maio – R$ 4.694,57
  • Junho –  R$ 4.595,60
  • Julho – R$ 4.420,11
  • Agosto – R$ 4.536,12
  • Setembro –  R$ 4.892,75
  • Outubro – R$ 5.005,91

 

Salário mínimo de 2021

O valor do salário mínimo não deve acompanhar os custos com a necessidade básica. Sendo assim, deve ficar em R$ 1.067,00 em 2021, R$ 22 a mais que o vigente em 2020.

O reajuste do salário mínimo é anual e estabelecido pela Constituição Federal de 1988. Dessa forma, a revisão do novo valor acontece por proposta no Orçamento da União, com apresentação no Congresso Nacional. Depois disso, integra o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para aprovação e assim, entrar em vigor no ano seguinte.

De acordo com a LDO para 2021,  o piso salarial não tem aumento real pela segunda vez consecutiva, se restringindo à correção pela inflação deste ano, 2020.

Leia também

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes