Conheça a história de Marcos Galperin, o fundador do Mercado Livre

Você já deve conhecer o Mercado Livre. A plataforma de e-commerce muitas vezes pode ser útil para fazer uma renda extra ou vender aquela coisa que está parada na sua casa há muito tempo. Mas você sabe qual é a história da empresa latino-americana e seu fundador Marcos Galperin?

Você já deve conhecer o Mercado Livre, a empresa mais valiosa da América Latina. A plataforma de e-commerce muitas vezes pode ser útil para fazer uma renda extra ou vender aquela coisa que está parada na sua casa há muito tempo. Mas você sabe qual é a história da empresa latino-americana e de Marcos Galperin, fundador do Mercado Livre?

Saiba pelos itens abaixo quem é o fundador, qual a origem e o impacto do Mercado Livre.

Quem é Marcos Galperin, cofundador do Mercado Livre?

Marcos Galperin em frente à mosaico do Mercado Livre
Marcos Galperin, fundador do Mercado Livre, começou a buscar investidores quando ainda estava em Stanford. Fonte: Divulgação

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Marcos Galperin nasceu em 1971 no lar de uma família bem-sucedida na Argentina. Seus familiares eram donos da Sadesa, uma das maiores empresas produtoras de couro no mundo inteiro.  Como reflexo do berço abastado, o argentino sempre teve acesso à melhor educação possível. Durante sua adolescência estudou em um colégio particular fundado por escoceses, o St. Andrew’s Scots School – fundado para educar crianças argentinas na língua inglesa.

Após formar-se no colégio, Marcos Galperin mudou-se para os Estados Unidos para estudar finanças na Wharton School, escola superior ligada à Universidade de Pensilvânia. Lá, além de aprender o mais importante sobre como gerir um negócio, pode começar a tecer importantes contatos para sua carreira. Um de seus amigos na instituição era José Estenssoro, filho do presidente da YPF (Yacimientos Petrolíferos Fiscales), empresa estatal argentina com foco em petróleo. Após o fim de seus estudos na Wharton School, seus laços com o conterrâneo lhe rendeu um cargo na YPF por três anos.

Em 1997, após sair da estatal argentina, decidiu voltar aos EUA para conquistar um MBA pela Universidade de Stanford, uma das mais prestigiadas no meio acadêmico. Durante o período estagiou na gigante JPMorgan, empresa ligada à área de finanças e investimentos. Nessa época começou a desenvolver o seu projeto para a fundação do Mercado Livre, responsável por lhe incluir na lista de bilionários da Forbes com um patrimônio estimado em US$ 5,1 bilhões.

A história do Mercado Livre

Esquema mostra todos os produtos do Mercado Livre
Hoje, o Mercado Livre investe nas áreas de logística e fintech dentre outras

Enquanto concluía seu MBA em Stanford, Marcos Galperin já buscava – com o apoio de seu professor Jack McDonald – investidores potenciais para tirar seu projeto de e-commerce do papel. Um dos primeiros investidores interessados no embrião do Mercado Livre foi John Muse, criador da empresa HM Capital Partners. Durante o trajeto de uma carona que Galperin dava a Muse, o investidor afirmou seu interesse que foi vital para o início do Mercado Livre. Depois de Muse, o sonho do argentino recebeu investimentos de empresas como JPMorgan, Goldman Sachs, Banco Santander e outros.

Com a questão do financiamento resolvida, Marcos Galperin uniu-se ao brasileiro Stelleo Tolda para fundar o Mercado Livre na América Latina. Em agosto de 1999, Galperin já chefiava as operações do e-commerce em Buenos Aires. Apenas dois meses depois, Tolda também já havia largado seu emprego no banco Lehman Brothers para operar a filial brasileira do Mercado Livre.

No site do Mercado Livre, Galperin explica o objetivo de seu e-commerce: “No Mercado Livre buscamos democratizar o comércio eletrônico na América Latina, permitindo que milhões de pessoas, de qualquer lugar em seus países, possam adquirir produtos a preços justos e que todos os vendedores, especialmente as PMEs, contem com uma plataforma de comercialização digital efetiva para realizar negócios. Ao longo desse processo contínuo, fomos entendendo que o sistema de pagamento e o acesso ao crédito são vitais para o desenvolvimento de todo o empreendedor”.

O projeto do marketplace de Galperin deu tão certo que motivou a marca a criar outras formas de lucrar. Atualmente, a empresa possui os seguintes produtos: Mercado Pagos (Fintech), Mercado Envios (Logística), Mercado Shops (Serviços de Software) e uma área focada em publicidade.

Mercado Livre é o eBay da América Latina?

Obviamente, por conta de seu modelo de negócios online e aberto para vendedores autônomos, o Mercado Livre sempre foi comparado ao eBay. A empresa americana é indicada como uma das pioneiras na compra e venda de bens online. Mas essas comparações não são à toa.

Ao passo que a empresa de Galperin crescia na América Latina, o eBay decidiu encontrar uma maneira de conseguir algum controle sobre as operações de e-commerce no Brasil. A saída encontrada pela empresa americana foi adquirir 19,5% do Mercado Livre em troca da subsidiária brasileira do IBazar (então controlada pelo eBay), uma das principais concorrentes da empresa de Galperin.

Além disso, a empresa americana também havia fechado um acordo para não disputar mercado com o Mercado Livre. Porém, o acordo encerrou-se em 2006 e o eBay começou a preparar-se para ingressar no mercado latino-americano. Mais tarde, em 2016, a empresa americana vendeu suas ações do Mercado Livre por mais de um bilhão de dólares.

Os impactos da empresa na economia do Brasil

Ilustração com gráficos e o símbolo do Mercado Livre
O Mercado Livre é uma importante peça para o PIB do Brasil. Fonte: Divulgação

Certamente, o sucesso da ideia de Galperin e as operações brasileiras de Stelleo Tolda são incontestáveis. Além dos enormes lucros a seus fundadores, o Mercado Livre também ganhou força ao se tornar a primeira empresa de tecnologia latino-americana a fazer parte da NASDAQ. Assim, como resultado dos esforços dos empresários, o impacto do Mercado Livre também pode ser visto na economia brasileira.

Conforme dados apontados pela empresa, o Mercado Livre possui mais de 1900 colaboradores no Brasil – o plano é multiplicar o tamanho desta equipe nos próximos três anos. Além disso, os funcionários diretos da empresa, mais de 111 mil pessoas utilizam o Mercado Livre como fonte principal ou única de renda. Outro dado levantado pela empresa de Marcos Galperin é que mais de 15 mil de seus vendedores autônomos são capazes de criar cerca de 98 mil postos de trabalhos. Esse impacto gigante equivale a uma fatia de 0,12% do Produto Interno Bruto do Brasil. Inegavelmente, o Mercado Livre é uma ótima alternativa para profissionais autônomos.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes