6 Milionários brasileiros que começaram do zero

Conheça algumas histórias que mostram que nem sempre é preciso muito dinheiro para atingir o sucesso.

Há quem acredite que não seja possível fazer uma fortuna partindo do zero, mas alguns milionários brasileiros, provam o contrário: é possível, mesmo sem um capital grande, começar a empreender e montar negócios de sucesso. Por isso, reunimos o perfil de seis brasileiros que, apesar da origem humildade, hoje também são reconhecidos mundialmente por seus negócios.

Conheça os milionários brasileiros que começaram do zero

No Brasil existem várias histórias de empresários pequenos, que conseguiram juntar uma fortuna milionária e, acima e tudo, montaram empresas bem-sucedidas. Esses empresários mostram também é possível fazer uma fortuna saindo do zero, nem sempre é preciso começar a investir com muito capital.

 

1 – Samuel Klein (Casas Bahia)

Foto do milionário Samuel Klein, um homem idoso, pela branca e cabelos grisalhos.
Samuel Klein (Imagem: divulgação)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Embora tenha nascido na Polônia, Samuel Klein se mudou para o Brasil, com sua esposa e seu filho, logo após a segunda guerra mundial, mais especificamente para a cidade de São Caetano do Sul, em São Paulo. A principio, Klein trabalhava de mascate nas ruas, vendia roupas de cama de porta em porta. Após ter juntado um capital, o empresário montou sua primeira loja e a chamou de Casas Bahia, o nome era uma homenagem aos seus clientes que, em sua maioria, vinham do Nordeste tentar a sorte na região Sudeste. Esse foi o início de seu legado, décadas depois Samuel Klein conseguiu se consagrar como milionário brasileiro e seu negócio se tornou símbolo do comércio varejista no país.

Klein faleceu em 2014, mas a rede Casas Bahia, sob gestão de seus filhos, segue um caminho de sucesso.

2 – Alberto Saraiva (Habib’s)

O lema de Alberto Saraiva é “não desista, é preciso caminhar”, lema esse que o empresário aplica em sua vida desde muito novo. Quando tinha 17 anos, seu sonho era cursar medicina, depois de inúmeras tentativas, passou na faculdade. Contudo, nessa época seu pai, dono de uma padaria, foi assassinado. Por isso, Saraiva trancou a faculdade e foi trabalhar no negócio da família, inclusive ajudando a fazer os pães, pois não havia muito dinheiro para contratar funcionários. Depois de um tempo vendeu a padaria e voltar a estudar medicina.

Contudo, ele já havia pegado gosto pelo comércio e mesmo na faculdade, abriu uma loja de pastéis, que deu muito certo. Passado um tempo ele decidiu abrir também a Casa do Gnocchi, a Casa da Fogazza e um rodízio de pizza. Este último foi vendido antes mesmo de ser inaugurado. Mas a história tomou um rumo diferente quando Saraiva contratou um senhor de 70 anos que sabia cozinhar comida árabe. Assim nascia o Habib’s, restaurante que popularizou a comida árabe no Brasil. Essa ideia caiu no gosto do brasileiro. Anos depois Saraiva viu seus negócios se multiplicarem. Hoje, o Habib´s possui cerca de 22 mil colaboradores e mais de 420 restaurantes distribuídos em mais de 20 estados do Brasil e com faturamento acima de R$ 2 bilhões.

3 – José Diniz (Ser Educacional) – milionários brasileiros

José Diniz teve uma infância humilde, mas desde cedo começou a trabalhar. Quando adolescente já foi engraxante, vendeu frutas e picolé na rua. Depois se mudou para Recife com o intuito de estudar direito na UFPE. Lá mesmo, montou uma empresa de cobrança, seu primeiro negócio formal, mas que acabou quebrando. Anos depois, em 1994, criou um empreendimento educacional, que lecionava cursos preparatórios para concursos públicos.

Em 2003, a empresa começou a oferecer cursos de graduação, pós-graduação e ensino técnico para estudantes de média e baixa renda. A partir daí seu negócio só cresceu. Hoje a empresa conta com mais de 152 mil alunos e se tornou um negócio milionário. Em 2014, José Diniz foi citado pela revista Forbes como um dos bilionários brasileiros. Sua fortuna é estimada em 1,1 bilhões de reais.

4 – Flávio Augusto da Silva (Wise Up)

Criado no subúrbio carioca, com 19 anos, Flávio Augusto começou a trabalhar no departamento comercial de uma escola de inglês, no Rio de Janeiro. Ao sair de lá, focou apenas em sua carreira e, com 23 anos, abriu sua própria escola, a Wise Up, mesmo sem ter conhecimento da língua, conhecia apenas sobre negócios. Décadas depois, entre crises e faturamentos, sua empresa se tornou uma franquia milionária muito popular e bem-sucedida no Brasil.

Em 2011, já bem-sucedido nos negócios, Flávio Augusto decidiu criar uma página no Facebook sobre empreendedorismo, que hoje tem mais de 3,3 milhões de seguidores, para “deixar um legado”. O sucesso da página foi tanto que rendeu livros, canal no youtube, podcast, entre outros.

Em 2013, o empresário se tornou proprietário do time de futebol, Orlando City, nos Estados Unidos, avaliado em mais de 2 bilhões de reais.

5 – Marcel Telles (3G) – milionários brasileiros

Homem, com cabelos e barba brancos, de camisa social.
Marcel Telles (Imagem: Youtube)

Nascido e criado no Rio de Janeiro, Telles cursou economia na UFRJ e começou a trabalhar com mercado financeiro. Com 22 anos ingressou na corretora Garantia para trabalhar de office boy de luxo. Poucas semanas depois foi transferido para área técnica da empresa e lá já mostrou que jeito para os negócios. Menos de dois anos depois de entrar na corretora, Telles ganhou o direito de comprar uma participação de 0,5% no Garantia, porcentagem que ia aumentando a cada ano. Dessa maneira, os principais sócios da empresa eram José Paulo Lemann, Luiz Cezar Fernandes, Fred Packard, Hercias Lutterbach, Beto Sicupira e Marcel Telles.

Parceria milionária e de sucesso

No final de outubro de 1989, Lemann contou aos sócios que tinha comprado a Brahma. A essa época, com 39 anos, Telles ficou animado e assumiu a direção da nova empresa. Na diretoria da cervejaria, o empresário fez mudanças necessárias e aumentou significativamente seus lucros. Anos depois os empresários Marcel Telles, Beto Sicupira e José Paulo Lemann fecharam a compra da Antarctica, dando origem à American Beverage Company (Ambev). Esse trio se tornaria, então, inseparável nos negócios. A Inbev fez uma proposta para comprar a Anheuser-Busch, fabricante da Budweiser. O negócio foi fechado em novembro de 2008. A essa altura o os três empresários já haviam criado a 3G Capital, uma empresa de investimentos que tinha como objetivo aplicar parte do patrimônio em companhias nos Estados Unidos.

Em setembro de 2010, o fundo comprou o Burger King, junto com outros investidores. Três anos depois, se tornaram proprietários da Heinz. Em 2015, em sociedade com o megainvestidor Warren Buffett, os brasileiros compraram a Kraft. Em 2018, Marcel Telles deixou o conselho de administração da Ambev, mas segue como conselheiro da AB Inbev e da Kraft Heinz.

Hoje, Telles comanda empreendimentos milionários e é considerado a terceira pessoa mais rica do Brasil.

6 – Luiza Trajano (Magazine Luiza)

Foto de mulher adulta, com uma roupa branca em um fundo verde.
Luiza Trajano (Imagem: divulgação)

Luiza Trajano, nascida e criada em Fraca, no interior do estado de São Paulo se tornou milionária e é a mulher mais rica do Brasil. Trajano começou trabalhando como balconista na loja de seus tios na cidade, logo em seguida chegou a superintendência da empresa.

Anos depois, a paulista conseguiu transformar o negócio da família em uma das maiores empresas de varejo no Brasil, sendo, inclusive, concorrente direta das Casas Bahia. Esse sucesso só possível graças à percepção que Trajano teve ao analisar tendências. Por exemplo, o Magazine Luiza foi pioneiro nas compras online e apostar no crédito para o consumidor. Hoje, a fortuna da empresária é avaliada em 2,5 bilhões de reais.

 

- continue lendo -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes