O fim da Superliga europeia: clubes desistem de novo torneio

A competição, que durou apenas três dias no papel, conta com todos os fundadores apresentando desistência

Depois de muita polêmica envolvendo a criação da Superliga europeia, um novo torneio para times da Europa disputarem no meio da semana, a maioria dos clubes fundadores anunciaram a saída do projeto prematuramente, ou seja, antes mesmo de sair do papel. Agora, Barcelona e Real Madrid são os únicos a não se pronunciarem sobre a desistência do torneio, que recebeu a oficialização do vice-presidente, Andrea Angelli, sobre a não realização.

Clubes abandonam a Superliga europeia

Depois de uma série de protestos e reinvindicações de torcedores, jogadores e da mídia ao redor do mundo, os seis times ingleses cederam e desistiram da ideia de participar da Superliga europeia. Em pronunciamento, Liverpool, Chelsea, Arsenal, Tottenham, Manchester United e Manchester City desistiram de integrar o quadro de participantes da nova competição no futebol europeu.

O Liverpool Football Club pode confirmar que o nosso envolvimento nos planos propostos para formar uma Superliga Europeia foi interrompido. Nos últimos dias, o clube recebeu representações de várias partes interessadas importantes, tanto interna quanto externamente, e gostaríamos de agradecê-los por suas valiosas contribuições”. 

No dia seguinte, quarta-feira (21), outros clubes também desembarcaram da ideia, como Inter de Milão, Juventus, Atlético de Madrid e Milan, com mensagens que mostram a desistência no projeto. Entretanto, Barcelona e Real Madrid ainda não se pronunciaram oficialmente.

Jogador do Leeds usa camisa como forma de protesto com Superliga (Leeds Oficial Reprodução / @LUFC)

Vice-presidente anuncia fim da Superliga europeia

Em entrevista a Reuters, o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, confirmou o encerramento do projeto separatista intitulado de Superliga que durou apenas três dias envolvendo clubes da Europa. O vice-presidente do torneio foi questionado se ainda existe a possibilidade de acontecer daqui para frente, mas em resposta, confirmou que é impossível continuar com poucas equipes, dando então o fim da Superliga europeia. A declaração foi dada antes de quatro equipes anunciarem a saída.

“Para ser franco e honesto, não, evidentemente esse não é o caso. Continuo convencido da beleza desse projeto. Mas, admito … quero dizer, não acho que esse projeto ainda esteja funcionando. Não vou dizer quantos clubes me contataram em apenas 24 horas perguntando se poderiam ingressar. Talvez eles mentiram, mas fui contatado por uma série de equipes perguntando o que eles poderiam fazer para ingressar”.

Andrea Agnelli, presidente da Juventus (Juventus Oficial / www.juventus.com)

O que é a Superliga e como funciona?

A Superliga europeia tinha como principal objetivo reunir clubes de todo continente em disputas, governada por seus próprios fundadores, tendo o intuito principal de ser rivalizar com a Champions League, tomada pela UEFA. Em ocasião, Florentino Pérez, presidente do Real Madrid, seria o presidente da Superliga, com apoio de Andrea Agnelli, presidente da Juventus, como seu vice.

Ao todo, 20 equipes da Europa, sendo 15 delas fundadores, participariam do torneio, com um mecanismo de qualificação anualmente diferente. Além disso, de acordo com o comunicado oficial divulgado pelo Liverpool no último domingo (18), os jogos estavam marcados para acontecer no meio da semana com todos os times ainda participando de suas respectivas ligas nacionais no fim de semana.

Com dois grupos de 10 times, os três primeiros se classificarim automaticamente para as quartas de final. As equipes que terminarem em quarto e quinto jogariam um ‘playoff’ para conquistar as vagas que sobraram. Enquanto isso, o formato mata-mata seria utilizado para equipes alcançarem a grande final realizada em maio em jogo único em estádio neutro.

 

+ Novo formato da Champions League: o que muda na competição

Você pode gostar também
buy cialis online