Criar um orçamento pessoal permite organizar as finanças

Saber exatamente o quanto se ganha e o quanto se gasta é fundamental para não ficar no vermelho

Um estudo do Instituto Locomotiva em parceria com a Xpeed apontou que 51% dos brasileiros se declaram insatisfeitos com suas finanças e 58% dizem que a falta de dinheiro impede a realização de objetivos que consideram importantes.  Larissa Brioso, educadora financeira da Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, explica que a falta de educação financeira agrava a distância dos brasileiros da organização de seu orçamento.

A pesquisa revela ainda que 88% dos brasileiros se preocupam em poupar dinheiro, embora nem sempre isso se reflita em atitudes práticas dirigidas a esse objetivo. Uma forma de mudar essa realidade e promover a organização financeira é criar um orçamento pessoal, diz Larissa Brioso. “Dessa forma, você toma o controle de seu dinheiro, o que vai lhe permitir ter mais controle sobre seus ganhos e gastos, evitar passar por aperto financeiro e se planejar para realizar planos com mais segurança e tranquilidade.”

Dicas para montar um planejamento e controlar as finanças

1 – Registre e calcule todos seus rendimentos

O primeiro passo para uma organização financeira é entender qual é o tamanho de sua renda para depois analisar se seus hábitos estão ou não de acordo com ela. Para chegar a um equilíbrio é preciso gastar menos do que se ganha. São, portanto, as receitas que definem seu poder de consumo. Seus gastos deverão estar adequados a essa realidade. Registre qualquer receita que receba, seja fixa ou renda extra, como salários, prêmios em dinheiro, presentes em dinheiro, rendimentos de aluguel, de aplicações financeiras, entre outros. Registre tudo em uma planilha, em um caderno ou em um aplicativo.

2 – Analise melhor seu contracheque

Você conhece o cálculo dos valores de seu salário? O valor inicial é o salário bruto, mas não é ele que vai para sua conta. Há uma série de descontos que fazem o valor passar por um regime compulsório e o valor líquido se tornar bem menor. Mas é com base nesse valor líquido, o dinheiro realmente disponível, que você deve organizar as finanças .

3 – Verifique com calma cada um de seus gastos

Relacione cada uma de suas despesas, fixas e variáveis. Registre primeiro seus gastos fixos, os que não costumam variar, como aluguel, prestação do carro, academia. Reflita em seguida sobre os gastos semivariáveis, como os de alimentação, contas de luz, telefone e água. Embora aparentemente controláveis, essas despesas podem pesar mais que o esperado no orçamento.

Por fim, mapeie suas despesas variáveis, com roupas, calçados, presentes, viagens, e analise também a existência de gastos invisíveis, as pequenas despesas do dia a dia que consomem seu dinheiro sem que você perceba, como planos de assinatura, delivery e outras.

4 – Defina gasto mensal por categoria

Agora que você sabe quanto ganha e quanto gasta, saiba que é importante poupar uma parcela e investir. Crie ainda categorias e defina quanto pode gastar por semana e mês com, por exemplo, alimentação, lazer, roupa, etc.

5 – Confronte os valores orçados

Registre os valores, tanto de receitas quanto de despesas, e compare quanto pretendia gastar e quanto gastou de fato. Ao comparar esses valores você saberá a real situação de suas finanças e como melhorá-la.

6 – Acompanhe seu orçamento e corte gastos

Faça o acompanhamento das contas e, se houver desequilíbrio ou a situação estiver fugindo do controle, trace novos planos de ação, como cortar gastos ou procurar novas opções de renda para manter as despesas alinhadas às receitas.

Você pode gostar também
buy cialis online