Carboxiterapia: o que é e quem pode fazer esse tratamento estético

Este método aplica injeções de gás carbônico sob a pele para eliminar estrias, celulite, gordura localizada e a flacidez.

A carboxiterapia ganhou destaque entre os tratamentos estéticos como forma de combater as estrias, celulite, gordura localizada, flacidez e olheiras. O seu custo mais baixo em relação a outros procedimentos e os resultados duradouros podem explicar a fama. 

Porém, como saber se ela é ideal para o seu caso? Para tirar essas e outras dúvidas, venha entender melhor sobre o tratamento, quais os cuidados e riscos. O DCI conversou com a dermatologista Silvana Osorio. Confira:

 

Afinal, o que é a carboxiterapia?

como funciona a carboxiterapia
Imagem: Fisioterapeuta Thyale Morales (Reprodução / Instagram)

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A carboxiterapia é um procedimento estético que aplica injeções de gás carbônico sob a pele com o objetivo de eliminar as estrias, celulite, gordura localizada e a flacidez. 

O método se mostrou bastante eficaz na regeneração dos tecidos e na melhoria da circulação sanguínea. A injeção do gás carbônico é responsável pelo aumento do fluxo sanguíneo, uma vez que ela dilata os vasos e estimula a formação de novos, promovendo a oxigenação do tecido.

Segundo Silvana, ela ainda é muito versátil. Se aplicada no rosto e em determinadas regiões do corpo, ela incentiva a produção de colágeno. “O procedimento é indicado para combater a celulite, principalmente nos quadros associados à flacidez facial e corporal, suavização de cicatrizes e estrias e, até mesmo, para o tratamento de úlceras complicadas”, diz.

Quem pode fazer o tratamento estético?

A dermatologista também explica que o tratamento estético é minimamente invasivo e possui poucas contraindicações. Mas isso não quer dizer ele pode ser feito em qualquer lugar. 

“O profissional tem que ser muito preciso no momento da aplicação, para injetar o gás carbônico no local exato e o paciente obter os resultados desejados”, afirma.

Cuidados e riscos 

Silvana alerta que o maior risco com o tratamento é o desequilíbrio no pH do sangue causado pela injeção de quantidade de gás acima do permitido. Além disso, a pessoa pode ter alguns efeitos colaterais como inchaço, incômodo no local da aplicação e o surgimento de hematomas. 

Por exemplo, no caso da formação de hematomas, deve-se evitar a exposição solar. “É um dos cuidados que a pessoa deve ter para não correr o risco do hematoma manchar a pele”, complementa a especialista. 

Existe um número ideal de sessões de carboxiterapia? 

carboxiterapia
Imagem: Reprodução / Unsplash

Como outros tratamentos estéticos existentes no mercado, o resultado desejado está ligado à quantidade do número de sessões. Logo, no caso desse método, o recomendado é realizar de 5 a 10 sessões com intervalos semanais ou quinzenais. Mas é claro que isso vai depender do seu objetivo. 

É a partir da quinta ou sexta sessão que você começa a ver os resultados. Contudo, nos casos de flacidez da pele, o estímulo de colágeno causado pela aplicação de gás carbônico começa a aparecer em duas a três semanas. “É um efeito mais demorado”, diz Silvana.

 

O procedimento causa dor?

Sem dúvida, o conceito de dor é muito relativo e pessoal. Nas palavras da especialista, a aplicação de gás carbônico sob a pele não é confortável, mas tolerável.

Isso porque a grande novidade em relação à técnica é o aquecimento do componente, que tem como objetivo reduzir as dores durante a aplicação. Geralmente, o gás é infundido na temperatura de 30º a 36ºC, reduzindo assim o incômodo.

Qual o valor da sessão?

O valor do investimento estético vai depender de cada região do país, da clínica, do profissional e dos seus objetivos. Geralmente, cada sessão custa entre R$ 50 a R$ 150. Segundo Silvana, ele é um procedimento de baixo custo comparado a tantos outros. Portanto, pode ser que o método caiba no seu orçamento. 

Por fim, cabe lembrar que o resultado de qualquer tratamento estético irá depender também dos hábitos de cada pessoa. Para que o efeito da técnica seja mais duradoura, é bom manter uma alimentação balanceada e fazer exercícios regularmente.

Gostou de saber como funciona a carboxiterapia? Deixe seu comentário e nos fale se ele se encaixa nos seus objetivos! 

 

Fonte: Silvana Osorio é dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes