Disney corta 28.000 empregos em parques temáticos dos EUA

Disney corta 28.000 empregos, a maioria em seus parques temáticos nos Estados Unidos. Empresa responsabilizou os fechamentos prolongados devido à pandemia para as demissões.

Disney corta 28.000 empregos, maioria em seus parques temáticos nos Estados Unidos.

De acordo com a empresa, a capacidade limitada de visitantes dos parques e a incerteza sobre quanto tempo ainda conviveremos com a pandemia do coronavírus são as razões para as demissões.

Os parques temáticos da empresa sofreram muitos prejuízos por conta da pandemia.

A Disney fechou todos os seus parques no início deste ano enquanto o vírus se espalhava, mas apenas a Disneylândia na Califórnia permanece fechada.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Tomamos a decisão muito difícil de iniciar o processo de redução de nossa força de trabalho em nosso segmento de Parques, Experiências e Produtos em todos os níveis”, disse Josh D’Amaro, presidente da unidade de parques, em um comunicado.

Contudo, os parques em Xangai, Hong Kong, Tóquio e Paris, não foram afetados pelo anúncio e não terão demissões.

A Disney de Hong Kong reabriu na semana passada depois de fechar pela segunda vez em julho devido a um aumento nos casos de covid-19.

Com exceção da Disneylândia na Califórnia, todos os parques da empresa já foram reabertos. Porém, o número de visitantes é menor para permitir o distanciamento social.

 

Disney corta 28.000 empregos
Imagem: Reprodução / Pixabay

Disney corta 28.000 empregos

Cerca de 67% dos 28 mil trabalhadores dispensados ​​eram empregados em regime de meio período, segundo a nota de D’Amaro na terça-feira (29). Mas, a empresa se recusou a dividir as dispensas por locais individuais dos parques.

“Como você pode imaginar, uma decisão dessa magnitude não é fácil”, escreveu D’Amaro no memorando aos funcionários. 

“Nos últimos meses, nossa equipe de gestão trabalhou incansavelmente para evitar ter que separar alguém da empresa. Cortamos despesas, suspendemos projetos de capital. Além disso, dispensamos nossos membros do elenco enquanto ainda pagamos os benefícios e modificamos nossas operações para funcionar da forma mais eficiente possível. No entanto, simplesmente não podemos ficar com a equipe totalmente preenchida de forma responsável enquanto operamos em tal capacidade limitada”.

A Disney perdeu US$ 4,7 bilhões nos três meses até 27 de junho, com as receitas de sua divisão de Parques, Experiências e Produtos despencando 85% em comparação com o mesmo trimestre de 2019.

Os problemas do coronavírus da Disney foram “exacerbados na Califórnia pela relutância das autoridades locais em suspender as restrições que permitiriam a reabertura da Disneylândia”, disse D’Amaro.

Informar Erro
Fonte CNBC

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes