Bolsonaro se reúne com Xi Jinping

O presidente Jair Bolsonaro tem reunião hoje com o líder chinês. Será o primeiro encontro entre os dois desde as críticas de que a China estaria comprando o Brasil.

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) tem reunião hoje com o líder chinês Xi Jinping antes do início da reunião da cúpula do G-20, em Osaka, no Japão. Será o primeiro encontro entre os dois líderes desde as críticas de que a China estaria comprando o Brasil.

Após desembarcar ontem no Japão, o presidente afirmou que o Brasil não aceita mais ser advertido por outros países. Questionado em entrevista coletiva na cidade de Osaka sobre comentários feitos na véspera pela chanceler alemã, Angela Merkel, quando ela disse querer conversar com Bolsonaro sobre desmatamento, o presidente rebateu dizendo que a Alemanha deveria aprender com o Brasil. “A indústria deles continua sendo fóssil, de plástico, carvão, e a nossa não. Eles têm muito a aprender conosco”, disse Bolsonaro a jornalistas, acrescentando que o Brasil não aceita mais ser tratado como no passado. “O presidente do Brasil que está aqui não é como alguns anteriores, (que) vieram aqui para ser advertidos por outros países. A situação aqui é de respeito para com o Brasil. Não aceitaremos tratamento como no passado”, afirmou.

Educação

EducaçãoOntem, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, virou alvo de duras críticas no Twitter após publicação em que citou os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, ambos do PT. Weintraub comparou os petistas aos 39 quilos de cocaína apreendidos num avião da Força Aérea Brasileira (FAB) que acompanhava a comitiva presidencial com destino ao Japão. “No passado o avião presidencial já transportou drogas em maior quantidade. Alguém sabe o peso do Lula ou da Dilma?”, escreveu.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Candidato à Presidência derrotado em 2018, João Amoêdo (Novo) reagiu. “Ministro, não tenha compromisso com o erro, peça desculpas”, escreveu. “Vamos trabalhar pela educação e pelos brasileiros, com a postura que se espera de um ministro de Estado”. Nome da Rede para o Planalto em 2018, Marina Silva escreveu que o Brasil precisa de mais educação e não menos. “É lamentável o ministro da Educação brincar com um episódio grave, que já prejudicou a imagem do País no exterior, às vésperas do G-20”, criticou.

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes