Eleições 2020: veja em quais capitais deve ter 2º turno

A votação apenas acontece em dois dias nos municípios brasileiros que tiverem colégio eleitoral acima de 200 mil eleitores. Caso contrário o pleito é decidido em um dia.

Eleições 2020 – Neste ano, com a pandemia do novo coronavírus, as datas eleitorais tiveram de ser adiadas. Portanto, não serão mais em outubro. O primeiro turno foi remarcado para o dia 15 de novembro. Já o segundo turno, para onde houver, acontecerá, então, no dia 29 de novembro. Confira, portanto, em quais capitais brasileiras deve haver ou não segundo turno eleitoral.

Segundo turno

Para que o município tenha segundo turno nas votações, ele deve ter, no mínimo, 200 mil eleitores. As cidades com número inferior a esse, automaticamente só tem um turno, independente da quantidade de votos válidos que o primeiro colocado receber, ele é eleitor em um único dia de votação.

Mas para os lugares com colégio eleitoral maior que 200 mil, o segundo turno acontece caso nenhum candidato tenha mais da metade dos votos válidos. Se algum concorrente obtiver 50% dos votos mais um, ele é eleito, caso contrário, existe um segundo dia de votação. A disputa fica, então, entre o primeiro e segundo candidatos mais votados no primeiro turno. Nesse dia de pleito, o candidato com mais votos é eleito, independente da quantidade.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Embora algumas cidades estejam com o cenário político quase definido, a maior parte das capitais brasileiras vai contar com dois turnos para decidir seus prefeitos. Veja uma lista com as cidades que, provavelmente, terão turnos nas eleições 2020.

A única capital do Brasil que não tem 200 mil eleitores, portanto, vai ter apenas um turno com certeza é Palmas (TO).

  • Rio branco (AC)
  • Maceió (AL)
  • São Paulo (SP)
  • Rio de Janeiro (RJ)
  • Porto Alegre (RS)
  • Vitória (ES)
  • Campo grande (MS)
  • Cuiabá (MT)
  • Goiânia (GO)
  • Belém (PA)
  • João Pessoa (PB)
  • Recife (PE)
  • Fortaleza (CE)
  • Porto Velho (RO)
  • Boa Vista (RR)
  • Aracaju (SE)
  • Macapá (AP)
  • Manaus (AM)
  • Teresina (PI)

São Paulo tem cenário incerto e mudanças nas pesquisas

O cenário eleitoral de São Paulo ainda não está definido. Nos últimos dias, houve algumas mudanças e apontam a perda da liderança de Celso Russomano (Republicanos). Na pesquisa do IBOPE no começo de outubro, os dados indicavam: Russomano (Republicanos) com 25% e Covas (PSBD) com 22%. São seguidos por Boulos (PSOL) com 10%, Márcio França (PSB) com 7%, Jilmar Tatto (PT) com 4%. Outros como Arthur do Val (Patriotas), Filipe Sabará (Novo), Antonio Carlos (PCO) e Joyce Hasselmann (PSL) ficam na margem entre 0 e 2%. Os dois primeiros candidatos estariam tecnicamente empatados.

Contudo, as novas pesquisas indicaram uma queda percentual de Russomano (Republicanos) e ascensão de Boulos (PSOL). A pesquisa realizada pelo Datafolha e divulgada na ultima quinta (22) apontou Bruno Covas(PSDB) com 23%, Celso Russomanno (Republicanos) com 20% e Guilherme Boulos (PSOL) com 14%. Portanto, provavelmente, os paulistanos terão que ir às urnas dia 15 e 29 de novembro para decidir o prefeito da cidade.

Eleições 2020 Foto mostra cédula eleitoral
Foto: reprodução

Rio de Janeiro

A eleição para a capital carioca ainda não está definida e provavelmente terá um segundo turno para decisão final. Contudo, Eduardo Paes (DEM) lidera, com vantagem, nas pesquisas. Segundo a pesquisa feita pelo Datafolha e divulgada na última quinta (22), Eduardo Paes (DEM) segue liderando com 28%, seguido pro Crivella (Republicanos), atual prefeito, e Martha Rocha (PDT), ambos com 13% das intenções de voto, logo atrás Benedita da Silva (PT) tem 10%.

Por isso, mesmo que exista uma vantagem do primeiro colocado, provavelmente haverá um segundo turno. Além disso, ainda não é possível saber quem deve disputar o pleito contra Paes (DEM) no dia 29 de novembro.

Capitais que podem decidir a eleição já no primeiro turno

Eleições 2020: Salvador

Ainda é cedo para prever se havará segundo turno ou não na capital baiana. Mas o primeiro colocado Bruno Reis (DEM), apoiado por ACM Neto (DEM), atual prefeito, aparece isolado nas pesquisas eleitorais. No começo de outrubro o Ibope apontou Reis (DEM) com 42% das intenções dos votos. Entre os dias 16 e 19 de outubro, o Instituto Paraná  indicou que o candidato teria mais de 51% dos votos, seguido por Major Denice (PT), bem distante do favorito, com 10,6%. Então, caso a eleição fosse hoje, Salvador teria chances de decidir já no primeiro turno.

Eleições 2020: Belo horizonte

A capital mineira parece já estar com as eleições quase definidas. Segundo a pesquisa do IBOPE no começo de outubro, o candidato a reeleição Alexandre Kalil (PSD) aparece com 56% das intenções de voto. Já uma nova pesquisa feita entre os dias 19 e 21 do mesmo mês, pela DataTempo/Quaest indicou que o candidato teria 59% dos votos válidos na eleição. Portanto, se acontecesse hoje, Kalil estaria eleito novamente em Belo Horizonte.

Eleições 2020: Curitiba

É outra cidade que pode definir seu prefeito já no dia 15 de novembro. Mas ainda não se pode ter certeza. Segundo a pesquisa do IBOPE, realizada entre 20 e 22 de outubro, o candidato Rafael Greca (DEM) lidera com 46% das intenções de votos. Atrás do favorito estão Fernando Francischini(PSL) e Goura (PDT) com apenas 8%.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes