Veja quais famosos cobraram Bolsonaro sobre os R$ 89 mil de Queiroz

Ao ser questionado por repórter sobre depósito do ex-assessor de Flavio Bolsonaro à primeira-dama, o presidente da República respondeu que “a vontade era encher boca de porrada”.

Anitta, Paolla Oliveira, Felipe Neto, Bruno Gagliasso e Bruna Marquezine são alguns dos famosos que estão usando as redes sociais para cobrar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O questionamento veio à tona após um repórter do jornal O Globo perguntar ao presidente, na tarde de domingo (23): “Presidente, por que sua esposa Michelle recebeu R$ 89 mil de Fabrício Queiroz?”.

O presidente, por sua vez, respondeu dizendo que sentia vontade de agredir o jornalista. “A vontade é encher tua boca com uma porrada, tá?”, falou Bolsonaro após a insistência do repórter sobre os pagamentos de Queiroz à primeira-dama.

Assim, com a repercussão, vários artistas e personalidades usaram as redes sociais para manifestar repúdio a fala do presidente e o questionar sobre Queiroz.

Lista de famosos que cobraram Bolsonaro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Além disso, a lista também tem o humorista Fábio Porchat, Jão, Paolla Oliveira, Maria Rita, Gal Costa, Patricia Pillar, Caetano Veloso, Daniela Mercury, Reagiane Alves, entre outros.

Então veja o vídeo na integra

Caso Queiroz  e os R$ 89 mil

Queiroz e Flávio Bolsonaro, filho mais velho do presidente, são investigados pelo Ministério Público do Rio por suposta rachadinha em seu gabinete na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). No entanto, a prática envolve a devolução de parte dos salários por servidores.

A investigação foi deflagrada pouco após as eleições de Bolsonaro à Presidência e de Flávio ao Senado a partir de relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) que identificou movimentações suspeitas de 74 servidores e ex-servidores da Alerj.

Entre elas, constava a “movimentação atípica” de R$ 1,2 milhão em uma conta no nome de Queiroz entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017. Segundo o Coaf, as movimentações bancárias seriam “incompatíveis com a atividade econômica” de Queiroz e grande parte era feita em dinheiro.

Entre as transações de Queiroz, foi identificado um cheque no valor de R$ 24 mil favorecendo a então futura primeira-dama Michelle Bolsonaro. Contido, à época, Bolsonaro afirmou que o cheque era parte de uma dívida de R$ 40 mil que o ex-assessor tinha com ele. O dinheiro não foi declarado em seu Imposto de Renda.

Neste mês, reportagem da revista Crusoé revelou que Queiroz fez outros depósitos em cheque na conta de Michelle. Ao todo, o ex-assessor Queiroz e a mulher dele, Márcia Aguiar, repassaram R$ 89 mil para a conta de Michelle Bolsonaro entre 2011 e 2016 —antes portanto de o marido assumir a Presidência da República.

Assim, a defesa de Flávio Bolsonaro tem negado a prática de qualquer irregularidade. Queiroz e Márcia Aguiar encontram-se em prisão domiciliar no Rio por obstruir as investigações, segundo o juiz Flávio Itabaiana, da 1ª instância da Justiça do Rio.

Fabricio Queiroz olhando de perfil
Fabrício Queiroz é ex-assessor de Flávio Bolsonaro (Reprodução/SBT)

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes