Ministro Ernesto Araújo pede demissão do cargo

O pedido de demissão de Ernesto Araújo ocorre após diversas pressões sofridas ao longo da última semana.

O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, pediu demissão do cargo nesta segunda-feira (29). A informação ainda não foi divulgada pelo Palácio do Planalto. Por outro lado, o chanceler comunicou aos funcionários da pasta a exoneração e apresentará o pedido oficial ao presidente Jair Bolsonaro.

Por que Ernesto Araújo pediu demissão?

Desde a última semana, Ernesto Araújo vinha sendo pressionado pelo Congresso Nacional e por empresários do país. Além disso, o presidente da Câmara, Artur Lira, e do Senado, Rodrigo Pacheco, também pressionaram Bolsonaro a demitir o ministro por conta da incapacidade de dialogar com outros países. Com isso, a obtenção de vacinas contra a covid-19 foi prejudicada.

Outro motivo que o pressionou foi os embates com senadores, entre eles a senadora Kátia Abreu, presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado.

Nas redes sociais, Ernesto publicou que “em 4/3 [04 de março] recebi a Senadora Kátia Abreu para almoçar no MRE. Conversa cortês. Pouco ou nada falou de vacinas. No final, à mesa, disse: ‘Ministro, se o senhor fizer um gesto em relação ao 5G, será o rei do Senado.’ Não fiz gesto algum”.

“Desconsiderei a sugestão inclusive porque o tema 5G depende do Ministério das Comunicações e do próprio Presidente da República, a quem compete a decisão última na matéria”, prosseguiu a publicação do ministro.

Kátia Abreu reagiu às declarações do ministro dizendo, em nota, que o Brasil não poderia mais ter mais “a face de um marginal” e voltou a pressionar pela saída do ministro. A senadora ainda classificou que Ernesto Araújo vive  “à margem da boa diplomacia, à margem da verdade dos fatos, à margem do equilíbrio e à margem do respeito às instituições”.

Em defesa de Abreu, o presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, afirmou que as declarações de Ernesto atinge todos os senadores. “A tentativa do ministro Ernesto Araújo de desqualificar a competente senadora Kátia Abreu atinge todo o Senado Federal. E justamente em um momento que estamos buscando unir, somar, pacificar as relações entre os Poderes. Essa constante desagregação é um grande desserviço ao País”, comentou.

Quem é Ernesto Araújo?

Ernesto Araújo foi empossado como ministro das Relações Exteriores de Jair Bolsonaro logo no início do governo. O então ministro criticou diversos pontos adotados na política externa nos governos anteriores.

Dentre as principais polêmicas, Ernesto foi responsável por falas sobre comunismo e ao dizer que o fascismo e o nazismo eram de esquerda.

Ernesto é veterano no Itamaraty, tendo iniciado a carreira em 1991. Após quase 30 anos de carreira, foi promovido a embaixador em 2018. O ministro já trabalhou nas embaixadas do Brasil em Washington, nos Estados Unidos, e Ottawa, no Canadá.

Leia notícias em DCI.

 

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes