Ansiedade por comida: dicas para controlar a compulsão alimentar 

O distúrbio da ansiedade pode causar diversos sintomas, entre eles a busca descontrolada por comida. Por isso, é importante entender como esse processo funciona e aprender a não utilizar os alimentos como válvula de escape.

Cada vez mais pessoas sofrem crises de ansiedade. Os números assustam, principalmente no Brasil. Isso porque, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 9% dos brasileiros convivem com o transtorno. Sem dúvida, a chegada do Coronavírus e o isolamento social elevaram a incidência dos casos. Como resultado, houve aumento na ansiedade por comida. Ou seja, mais pessoas desenvolveram compulsão alimentar.  

Isso acontece porque a pandemia, que ainda deve durar alguns meses, trouxe inúmeros desafios. Sobretudo em relação às questões emocionais. Afinal, a crise gerou situações de estresse, medo, apatia e grandes incertezas. Como resultado, muita gente teve dificuldade em discernir onde acaba o apetite e começa a ansiedade.

De acordo com Maria Julia Coto, consultora em nutrição, momentos de nervoso liberam cortisol no corpo. Esse hormônio é produzido pela parte superior da glândula supra renal. Além disso, se envolve na resposta ao estresse. “Por consequência do aumento de cortisol, o corpo tende a mobilizar rapidamente as reservas de energia. Ou seja, gera mudanças no metabolismo e no fluxo de sangue. Assim, algumas pessoas acabam comendo de forma exagerada como um meio de fuga.”

Por isso, é essencial ficar de olho na ansiedade por comida. Ainda mais em períodos difíceis. “É possível encaixar um plano alimentar prazeroso, nutritivo e saboroso. Mesmo na correria cotidiana”, destaca Maria Julia. Para ajudar nessa tarefa, é preciso entender os sinais do corpo. Assim como seguir alguns passos simples. Então, confira algumas dicas da profissional.

ansiedade por comida
Imagem: reprodução / Pinterest

 

Ansiedade por comida X neuras

 

Antes de mais nada, Maria Julia sugere que você se afaste de dietas da moda. Principalmente aquelas muito restritivas. “A privação que causam não só aumentam o estresse, mas podem gerar deficiência de alguns nutrientes.” Portanto, para se manter saudável, vale procurar um profissional de saúde. Ele pode orientar a reeducação alimentar ideal para cada caso.

 

Entenda os sinais de fome e saciedade

 

- PUBLICIDADE -

Muitas vezes, na correria da rotina, comer bem fica em segundo plano. Por isso, antes de se alimentar, pergunte: “quanta fome estou sentindo?”. 

Além disso, durante as refeições, coma sem pressa. Sinta o sabor do alimento e a saciedade que proporciona. Desse modo, você vai reconhecer quando estiver satisfeito. Isso evita a ansiedade por comida, ou seja, o consumo em excesso. 

 

Ansiedade por comida – fome emocional

 

Leia também

Entenda o que é a síndrome de Haff e como tratar a doença

Nova variante do coronavírus no Brasil: veja os sintomas

Em dias de muito estresse, é provável que você coma sem pensar na quantidade ou qualidade do alimento. É como se ele servisse apenas para preencher um vazio emocional. Então, você pode se sentir mal ou se preocupar com o efeito dos exageros no peso e na estética. “Acabamos colocando alguns grupos ou alimentos, como vilões. Os carboidratos, por exemplo. Mas, na verdade, a questão está nos hábitos de forma geral”, diz Maria Julia.

Portanto, você deve tentar avaliar se está sentindo fome física ou emocional. Se for o último caso, você pode sofrer de ansiedade por comida. A compulsão é, de fato, um dos sintomas do distúrbio. “A fome emocional acontece quando nos alimentamos a partir de emoções. Pode ser tristeza e ansiedade. É como uma tentativa de fugir dos sentimentos que não se pode encarar. Assim, descontamos essas insatisfações na comida. É uma busca por um atalho fácil e prazeroso. Isso é tudo de forma inconsciente.”

Embora pareça um momento prazeroso, não satisfaz por completo. Pois, em virtude das emoções, a tendência é comer com exagero, o que pode resultar em culpa.

compulsão alimentar
Imagem: reprodução / Pinterest

 

Conheça o Mindful Eating

 

- PUBLICIDADE -

O Mindful Eating – Comer Com Atenção Plena – é uma vertente recente da nutrição. O propósito é dar atenção ao momento presente e entender a fome tanto quanto a saciedade.

Essa abordagem pode, enfim, ajudar a lidar com a ansiedade por comida. Isso porque cria relações mais conscientes com os alimentos. É uma visão mais holística da alimentação. Dessa forma, não se classifica grupos como “permitidos” ou “proibidos”. Como resultado, a dieta não traz culpa e a mente se dedica aos sinais internos do corpo.

 

Ansiedade por comida – exercícios físicos e sono

 

Atividade física e práticas de relaxamento são essenciais para controlar a ansiedade por comida. Estamos falando de meditação e yoga, por exemplo. Ademais, é importante ter boas noites de sono. Tudo isso ajuda a aliviar o estresse e equilibrar a produção de cortisol.

Por fim, priorize a saúde e a alimentação. Busque formas diferentes de diminuir o estresse. Use o tempo livre para fazer coisas que gosta e evite levar trabalho para os momentos pessoais.

Fonte: Maria Julia Coto, consultora em nutrição.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes