Filtro solar: 9 erros que você comete quando se expõe ao sol

Aprenda qual é a maneira certa de proteger a sua pele para evitar danos como manchas e envelhecimento precoce.

Toda rotina de beleza precisa começar com um item essencial: o filtro solar. Afinal, esse é o produto anti-idade mais importante que existe, já que preserva a pele dos danos da radiação ultravioleta. “O sol pode acelerar o envelhecimento precoce, causar manchas, rugas, flacidez e até doenças sérias como câncer de pele. Por isso, o uso constante do protetor solar faz tanto sentido”, explica o dermatologista Daniel Cassiano. 

Por outro lado, é necessário evitar erros na hora de aplicar o produto. Esse cuidado é importante para não comprometer a sua eficácia. Confira, então, uma lista com 9 erros comuns na hora de escolher e usar um fotoprotetor e se expor ao sol.

 

A escolha errada do fator de proteção

De acordo com Daniel, o tom de pele dita se o filtro solar precisa ser maior ou menor. Mas você sempre deve usá-lo. Assim, pessoas de pele clara e com sardas ou cabelo loiro precisam de uma megaproteção. Ou seja, FPS acima de 50. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Para pele clara ou morena e cabelos castanhos é indicada uma superproteção, com FPS 30 ou 50. Por fim, a pele morena mais escura ou negra precisa de proteção eficiente, com FPS 30.”

 

Não reaplicar o filtro solar

Para manter sua eficácia, você deve aplicar o filtro solar meia hora antes da exposição. Ademais, não economize na quantidade e passe de forma homogênea em todo o corpo. Quanto mais produto usar, maior será a proteção. “Mas não para por aí. A cada duas horas, ou após mergulho ou suor intenso, reaplique. Isso é para garantir que a pele não sofra com os danos da radiação”, afirma o médico.

 

filtro solar
Imagem: reprodução / Pinterest

Passar o filtro solar só no rosto 

Os efeitos dos raios ultravioletas são os mesmos em todas as partes do corpo. Mesmo que elas estejam cobertas por roupas. “Por isso, use filtro solar em todas as áreas. Principalmente as que ficam expostas, como braços, colo e pernas.” No entanto, não esqueça de costas, axilas, pescoço, orelhas, nuca, cotovelos e pés.

Além disso, não é somente nas praias e piscinas que há risco de excesso de sol. Assim, passe o produto a cada duas horas, mesmo que esteja em casa. Vale ainda apostar em um hidratante 15 minutos antes do protetor solar.

 

Usar maquiagem com FPS na praia

O grande problema das maquiagens com FPS está na quantidade que se usa. Isso porque, para garantir a fotoproteção do rótulo, seria necessário aplicar uma quantidade absurda dos produtos. “Além disso, nem sempre eles contam com proteção UVA. Então fique atento. O filtro solar deve ter proteção UVA de 1/3 do FPS (que protege contra o UVB)”, alerta Daniel.

 

Não passar filtro solar quando está nublado

Siga sempre esta regra básica: é dia e há claridade? Então use filtro solar. “O protetor deve ser utilizado todos os dias, em qualquer época do ano. Afinal, existe radiação UV mesmo com nuvens ou no inverno. E para quem mora ou vai viajar para lugares mais altos, atenção. Porque, quanto maior a altitude, maior a exposição e os riscos – mesmo em céu nublado.”

 

proteção para a pele
Imagem: reprodução / Pinterest

Não usar protetor embaixo do guarda-sol

Um estudo já demonstrou que o guarda-sol comum (sem proteção UV) oferece, no máximo, FPS 7. Por consequência, a pele fica suscetível aos danos solares. “Dessa forma, use fitro solar mesmo na sombra do guarda-sol.” 

Além disso, a praia oferece um agravante: a areia, que ajuda a refletir os raios ultravioletas. “O guarda-sol protege da claridade e não dos danos. Da mesma forma que, dentro do carro, a janela não protege dos efeitos. Portanto, o uso do protetor deve ser diário Tenha ainda mais atenção quando ficar diretamente exposto”, afirma o médico.

 

Não proteger o couro cabeludo

Esse é, de fato, um erro bastante comum. Afinal, muita gente esquece de cuidar da cabeça. Uma dica é adotar chapéus ou bonés, principalmente com proteção UV. “Mas também vale a pena investir em produtos com filtro solar, como shampoos e leave-ins.”

 

Usar o mesmo filtro solar no rosto e no corpo

O protetor de rosto é mais leve e menos gorduroso, para não causar acne, por exemplo. Essa é a maior diferença em relação ao filtro solar para o corpo. “Ainda assim, existem no mercado bons protetores para face e corpo em um só produto.” Mas fique de olho na versão em spray, que deve ser usada em duas camadas, pois confere menos proteção.

 

Usar o mesmo produto por muito tempo 

Se você fizer tudo certinho, sem dúvida irá fugir desse problema. Pois o produto acabará antes do verão seguinte. “Quando o assunto é proteção solar, a data de validade é fundamental. Os ativos deterioram-se com o tempo e a proteção pode ser afetada. Além disso, uma embalagem aberta há muito tempo pode se contaminar por germes e bactérias. Cuidado também ao armazenar o filtro solar, porque o calor excessivo pode dificultar a eficácia”, conclui o médico.

Fonte
Daniel Cassiano, dermatologista. Membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes