Infecção urinária: saiba como tratar e quais as causas da doença

Estima-se que mais de 150 milhões de pessoas contraiam a doença anualmente. Apesar de comum, o problema demanda cuidados e acompanhamento médico

Ardência ao urinar, sensação de urgência e bexiga cheia, urina com cor escura e, nos casos mais graves, com sangramento, são os principais sintomas da infecção urinária. O problema no trato urinário é um dos tipos mais comuns de infecções bacterianas em todo o mundo. Estima-se que mais de 150 milhões de pessoas contraiam a doença anualmente. Apesar de comum, o problema demanda cuidados e acompanhamento médico.

O Jornal DCI conversou com especialistas para explicar o que é a doença, suas causas e como tratar. É importante ressaltar que ao sinal de qualquer sintoma, um médico deverá ser consultado. Evite também a automedicação.

O que é infecção urinária?

A infecção urinária, também conhecida como cistite, ocorre quando bactérias, geralmente originadas da vagina ou do ânus, migram para a bexiga, onde, de acordo com o ginecologista Marcos Tcherniakovsky não existem sujeiras. Ou seja, ocorre uma contaminação. As bactérias encontram nutrientes, se alimentam e se reproduzem, ocasionando a infecção.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A complicação acontece quando essas bactérias migram para a bexiga, podendo até chegar aos rins. Quando isso acontece, muito provavelmente irá surgir uma infecção. Se as bactérias não alcançarem os rins, o problema fica concentrado na bexiga.

Entre os fatores que aumentam a probabilidade de ocorrência de cistite estão: ser mulher – a uretra feminina é mais curta que a do homem, ou seja, o caminho para as bactérias chegarem à bexiga é mais rápido, menopausa, relações sexuais, antecedente familiar de cistite de repetição, uso de fraldas em pessoas com incontinência urinária, hábito de beber poucos líquidos, urinar com pouca frequência, “segurar” a urina e a falta de higiene.

Como aliviar os sintomas de infecção urinária?

É possível evitar a infecção urinária (Foto: reprodução)

O primeiro passo é consultar um médico especialista, para que o paciente antes de tratar, possa reconhecer qual é a bactéria responsável pelo problema e assim receber o tratamento adequado. De acordo com o Ministério da Saúde, caso não seja tratado adequadamente, existe a possibilidade da doença evoluir para uma infecção generalizada, com falência de órgãos, outras medidas poderão ser tomadas. Portanto, cabe aos profissionais de saúde envolvidos com o problema a gestão da melhor maneira para tratar e cuidar de cada paciente.

Diagnóstico e tratamento da infecção urinária

Exames clínicos e laboratoriais são capazes de diagnosticar a infecção urinária. Os materiais coletados pelo médico podem determinar quais remédios são necessários para aquele micro-organismo. Antibióticos, analgésicos e antissépticos são usados para tratar a dor e evitar que o quadro se agrave.  Exames de sangue, cistoscopia, ultrassom do trato urinário, raio x dos rins, uretra e bexiga também podem ser solicitados pelo médico em casos mais graves.

Prevenção da infeção urinária

Ingerir bastante água, por exemplo, é essencial para todos os momentos da vida. Todavia para quem está com problemas no trato urinário é vital. Porque, quanto maior a quantidade de água ingerida, maior a produção de urina – o que gera alivio.

Segurar o xixi também pode aumentar o risco de infecção. Ou seja, vá ao banheiro sempre que tiver vontade. Compressas com bolsas de água e banhos de assento também podem ajudar a diminuir a dor. E durante às primeiras 24 horas dos sintomas, além da água, abuse dos sucos. De preferência, àqueles de frutas vermelhas frescas.

Para Tcherniakovsky, cuidar da imunidade é essencial. “Pessoas com a imunidade comprometida, são mais suscetíveis a mudança do meio vaginal e a infecção urinária. Por exemplo, as grávidas. Fisiologicamente, essas mulheres têm a imunidade baixa. Por isso é tão comum a infecção nestes casos”, alerta.

Chá para infecção urinária funciona?

Será que o chá é capaz de curar todas as dores (Foto: Unsplash)

Antes do advento da indústria farmacêutica, plantas, ervas, alimentos e outros elementos da natureza eram o que os povos tinham à disposição para tratar doenças. Há relatos do uso de plantas medicinais na Babilônia por volta do ano 3000 a.C. Parte deste conhecimento tem domínio popular e se mantém em nossas tradições.

Para a nutricionista Vanessa Rodrigues, isso não significa que existam chás para curar qualquer coisa. Contudo carqueja, hortelã, cavalinha, dente-de-leão e quebra-pedra são algumas das opções de chás que encontramos para aliviar os sintomas da infecção urinária, mas só depois do paciente ter passado pelo médico.

Segundo a profissional, estes chás, assim como a água, podem ser ingeridos com o objetivo de aumentar o fluxo de urina.

Receitas de chás para infecção urinária

Os chás não substituem o tratamento recomendado pelo médico, mas podem ajudar no alívio da dor. Veja as receitas:

Chá de hortelã

O chá de hortelã tem efeito analgésico e antisséptico, por isso ajuda a aliviar os sintomas e incômodos.

O chá de hortelã é diurético (Foto: Unsplash)

Ingredientes

10 folhas de hortelã;

1 xícara de água.

Modo de preparo

Ferva a água e depois coloque sobre a hortelã;

Cubra o recipiente por 10 minutos e espere esfriar;

Coe.

Chá de quebra-pedra

Este chá é famoso por ajudar no tratamento de pedra nos rins, ou seja, tem grande efeito no trato urinário.

O chá de quebra-pedra tem grande efeito no trato urinário (Foto: Pinterest)

Ingredientes

30 g de folhas frescas ou 10 g de folhas secas;

1 litro de água.

Modo de preparo

Ferva a água e faça infusão das folhas;

Espere esfriar e beba durante o dia, como se fosse água.

 

Chá de cavalinha 

A cavalinha é um dos diuréticos naturais mais conhecidos ao redor do mundo. Suas propriedades ajudam a eliminar as bactérias causadoras da infecção.

O chá de cavalinha é diurético (Foto: reprodução)

Ingredientes

100 g de folhas de cavalinha;

1 litro de água fervente.

Modo de preparo

Misture a água com as folhas e deixe descansar por 10 minutos;

Coe e beba de 4 a 6 vezes por dia.

Chá de salsinha 

A salsinha é carminativa, tônica,  laxante, atuando nas cólicas, inflamações dos rins e vesículas. Suas propriedades diuréticas naturais ajudam a eliminar da bexiga qualquer organismo infeccioso.

A salsinha tem inúmeras propriedades diuréticas (Foto: reprodução)

Ingredientes

50 g de salsinha fresca picada (usar a planta toda);

1 litro de água.

Modo de preparo

Esmague a salsinha e misture com a água;

Ferva e depois coe para tomar.

Quem não deve tomar esses chás?

Evite tomar o chá por mais que sete dias (Foto: reprodução)

Portanto, é importante ressaltar que grávidas, mulheres lactantes e crianças com menos de três anos devem evitar o uso de qualquer tipo de chá sem a orientação médica. Isso porque, a solução tem ações diuréticas que podem prejudicar esse grupo. Também, é importante evitar tomar o chá por mais que sete dias, isso pode resultar em desequilíbrio de minerais importantes no corpo.

Especialistas: Vanessa Cristina de Castro Rodrigues é nutricionista, Mestre e Doutoranda em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo, e atua na Clínica Pediátrica Toporovski/ Dr. Marcos Tcherniakovsky Ginecologista, Obstetra e Especialista em Endometriose Graduado pela Faculdade de Medicina da Fundação ABC / Ministério da Saúde (http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/51735-infeccao-urinaria-tratamento-e-fatores-de-risco)

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes