Infecção urinária: saiba como tratar e quais as causas da doença

Estima-se que mais de 150 milhões de pessoas contraiam a doença anualmente. Apesar de comum, o problema demanda cuidados e acompanhamento médico

Ardência ao urinar, sensação de urgência e bexiga cheia, urina com cor escura e, nos casos mais graves, com sangramento, são os principais sintomas da infecção urinária. O problema no trato urinário é um dos tipos mais comuns de infecções bacterianas em todo o mundo. Estima-se que mais de 150 milhões de pessoas contraiam a doença anualmente. Apesar de comum, o problema demanda cuidados e acompanhamento médico.

O Jornal DCI conversou com especialistas para explicar o que é a doença, suas causas e como tratar. É importante ressaltar que ao sinal de qualquer sintoma, um médico deverá ser consultado. Evite também a automedicação.

O que é infecção urinária?

A infecção urinária, também conhecida como cistite, ocorre quando bactérias, geralmente originadas da vagina ou do ânus, migram para a bexiga, onde, de acordo com o ginecologista Marcos Tcherniakovsky não existem sujeiras. Ou seja, ocorre uma contaminação. As bactérias encontram nutrientes, se alimentam e se reproduzem, ocasionando a infecção.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

A complicação acontece quando essas bactérias migram para a bexiga, podendo até chegar aos rins. Quando isso acontece, muito provavelmente irá surgir uma infecção. Se as bactérias não alcançarem os rins, o problema fica concentrado na bexiga.

Entre os fatores que aumentam a probabilidade de ocorrência de cistite estão: ser mulher – a uretra feminina é mais curta que a do homem, ou seja, o caminho para as bactérias chegarem à bexiga é mais rápido, menopausa, relações sexuais, antecedente familiar de cistite de repetição, uso de fraldas em pessoas com incontinência urinária, hábito de beber poucos líquidos, urinar com pouca frequência, “segurar” a urina e a falta de higiene.

Como aliviar os sintomas de infecção urinária?

É possível evitar a infecção urinária (Foto: reprodução)

O primeiro passo é consultar um médico especialista, para que o paciente antes de tratar, possa reconhecer qual é a bactéria responsável pelo problema e assim receber o tratamento adequado. De acordo com o Ministério da Saúde, caso não seja tratado adequadamente, existe a possibilidade da doença evoluir para uma infecção generalizada, com falência de órgãos, outras medidas poderão ser tomadas. Portanto, cabe aos profissionais de saúde envolvidos com o problema a gestão da melhor maneira para tratar e cuidar de cada paciente.

Diagnóstico e tratamento da infecção urinária

Exames clínicos e laboratoriais são capazes de diagnosticar a infecção urinária. Os materiais coletados pelo médico podem determinar quais remédios são necessários para aquele micro-organismo. Antibióticos, analgésicos e antissépticos são usados para tratar a dor e evitar que o quadro se agrave.  Exames de sangue, cistoscopia, ultrassom do trato urinário, raio x dos rins, uretra e bexiga também podem ser solicitados pelo médico em casos mais graves.

Prevenção da infeção urinária

Ingerir bastante água, por exemplo, é essencial para todos os momentos da vida. Todavia para quem está com problemas no trato urinário é vital. Porque, quanto maior a quantidade de água ingerida, maior a produção de urina – o que gera alivio.

Segurar o xixi também pode aumentar o risco de infecção. Ou seja, vá ao banheiro sempre que tiver vontade. Compressas com bolsas de água e banhos de assento também podem ajudar a diminuir a dor. E durante às primeiras 24 horas dos sintomas, além da água, abuse dos sucos. De preferência, àqueles de frutas vermelhas frescas.

Para Tcherniakovsky, cuidar da imunidade é essencial. “Pessoas com a imunidade comprometida, são mais suscetíveis a mudança do meio vaginal e a infecção urinária. Por exemplo, as grávidas. Fisiologicamente, essas mulheres têm a imunidade baixa. Por isso é tão comum a infecção nestes casos”, alerta.

Chá para infecção urinária funciona?

Será que o chá é capaz de curar todas as dores (Foto: Unsplash)

Antes do advento da indústria farmacêutica, plantas, ervas, alimentos e outros elementos da natureza eram o que os povos tinham à disposição para tratar doenças. Há relatos do uso de plantas medicinais na Babilônia por volta do ano 3000 a.C. Parte deste conhecimento tem domínio popular e se mantém em nossas tradições.

Para a nutricionista Vanessa Rodrigues, isso não significa que existam chás para curar qualquer coisa. Contudo carqueja, hortelã, cavalinha, dente-de-leão e quebra-pedra são algumas das opções de chás que encontramos para aliviar os sintomas da infecção urinária, mas só depois do paciente ter passado pelo médico.

Segundo a profissional, estes chás, assim como a água, podem ser ingeridos com o objetivo de aumentar o fluxo de urina.

Receitas de chás para infecção urinária

Os chás não substituem o tratamento recomendado pelo médico, mas podem ajudar no alívio da dor. Veja as receitas:

Chá de hortelã

O chá de hortelã tem efeito analgésico e antisséptico, por isso ajuda a aliviar os sintomas e incômodos.

O chá de hortelã é diurético (Foto: Unsplash)

Ingredientes

10 folhas de hortelã;

1 xícara de água.

Modo de preparo

Ferva a água e depois coloque sobre a hortelã;

Cubra o recipiente por 10 minutos e espere esfriar;

Coe.

Chá de quebra-pedra

Este chá é famoso por ajudar no tratamento de pedra nos rins, ou seja, tem grande efeito no trato urinário.

O chá de quebra-pedra tem grande efeito no trato urinário (Foto: Pinterest)

Ingredientes

30 g de folhas frescas ou 10 g de folhas secas;

1 litro de água.

Modo de preparo

Ferva a água e faça infusão das folhas;

Espere esfriar e beba durante o dia, como se fosse água.

 

Chá de cavalinha 

A cavalinha é um dos diuréticos naturais mais conhecidos ao redor do mundo. Suas propriedades ajudam a eliminar as bactérias causadoras da infecção.

O chá de cavalinha é diurético (Foto: reprodução)

Ingredientes

100 g de folhas de cavalinha;

1 litro de água fervente.

Modo de preparo

Misture a água com as folhas e deixe descansar por 10 minutos;

Coe e beba de 4 a 6 vezes por dia.

Chá de salsinha 

A salsinha é carminativa, tônica,  laxante, atuando nas cólicas, inflamações dos rins e vesículas. Suas propriedades diuréticas naturais ajudam a eliminar da bexiga qualquer organismo infeccioso.

A salsinha tem inúmeras propriedades diuréticas (Foto: reprodução)

Ingredientes

50 g de salsinha fresca picada (usar a planta toda);

1 litro de água.

Modo de preparo

Esmague a salsinha e misture com a água;

Ferva e depois coe para tomar.

Quem não deve tomar esses chás?

Evite tomar o chá por mais que sete dias (Foto: reprodução)

Portanto, é importante ressaltar que grávidas, mulheres lactantes e crianças com menos de três anos devem evitar o uso de qualquer tipo de chá sem a orientação médica. Isso porque, a solução tem ações diuréticas que podem prejudicar esse grupo. Também, é importante evitar tomar o chá por mais que sete dias, isso pode resultar em desequilíbrio de minerais importantes no corpo.

Especialistas: Vanessa Cristina de Castro Rodrigues é nutricionista, Mestre e Doutoranda em Nutrição pela Universidade Federal de São Paulo, e atua na Clínica Pediátrica Toporovski/ Dr. Marcos Tcherniakovsky Ginecologista, Obstetra e Especialista em Endometriose Graduado pela Faculdade de Medicina da Fundação ABC / Ministério da Saúde (http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/51735-infeccao-urinaria-tratamento-e-fatores-de-risco)

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes