Como fazer uma redação nota 1000 no Enem: dica de introdução e escrita

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorre em novembro de 2021, e os participantes já querem estar preparados sobre como fazer uma redação nota 1000, máxima pontuação que alguém pode fazer nessa etapa. Desta forma, confira abaixo algumas das principais dicas que professores dessa disciplina costumam passar a seus alunos, e entenda exatamente cada critério que é usado na prova.

Como fazer uma redação nota 1000 no Enem?

Para saber como fazer uma redação nota 1.000 no Enem, é importante lembrar que essa parte da prova exige que o aluno domine 5 critérios. A avaliação de cada um deles é feita por uma banca avaliadora. Veja abaixo a lista de quais são os pontos exigidos, de acordo com o que diz o Ministério da Educação (MEC), para fazer uma redação nota 1000 no enem:

  • Domínio da escrita formal da língua portuguesa
  • Compreender o tema e não fugir do que é proposto
  • interpretar informações
  • construção da argumentação
  • Respeito aos direitos humanos

1. Domínio da escrita formal da língua portuguesa

Os avaliadores analisam se a redação do aluno está respeitando as regras básicas de ortografia da nossa língua. Desta forma, a banca avalia a acentuação, ortografia, uso de hífen, uso correto de letras maiúsculas e minúsculas, além da separação de sílabas.

Além disso, também se analisa a “regência verbal e nominal, concordância verbal e nominal, pontuação, paralelismo, emprego de pronomes e crase”, conforme o MEC.

De acordo com o professor de redação Augusto Ferreira Sampaio Rosa, que atua em colégio particular no Ensino Médio e em cursinhos preparatórios para o Enem, é importante que o aluno se dedique à escrita e desenvolva os conhecimentos sobre a gramática. “É interessante que o aluno, assim como para outras matérias, reserve um tempo para estudar e treinar redação”.

- PUBLICIDADE -

Além disso, ele ressalta que um bom escritor é também aquele que lê muito. Ou seja, busque sempre fazer leituras para melhorar sua capacidade de textos e conseguir produzir melhor. “E para ler, também. Um bom escritor, é um bom leitor. Apesar do Enem ser uma prova muito ‘manjada’, com técnicas que são vendidas por aí, é interessante que, acima de qualquer estrutura padrão, o que vale é o aluno ter a sua marca textual. Não pessoal, mas um grau de autoria na sua produção de texto”.

Eu costumo dizer que, como qualquer outra matéria, se o aluno tem um momento para estudar matemática, física, história, em que ele vai ler teoria e praticar com exercícios, a redação funciona da mesma maneira. Em que você tem que entender o conceito teórico da estrutura e do gênero que é pedido.

Por fim, ele cita também que é importante sempre praticar, por meio de simulados e atividades. “O mais importante é você estar simulando, tanto a redação, quanto outras questões. É fundamental até para o psicológico”, pontua.

2. Compreender o tema e não fugir do que é proposto

Nesse quesito, a banca avalia as habilidades integradas de leitura e de escrita da pessoa que está fazendo a prova. Desta forma, é importante citar que o tema da redação é o que constitui o “núcleo das ideias sobre as quais a redação deve ser organizada”. Assim, é caracterizado por ser uma delimitação de um assunto mais abrangente.

A professora de redação Raquel Siufi explica que o 1º passo para fazer uma boa redação é desenvolver a sua capacidade de interpretar corretamente a proposta de redação. “A prova do Enem traz, em seus textos de apoio, elementos extremamente importantes que devem ser analisados pelos alunos na hora da prova”.

Além disso, o professor Augusto também reforça a importância da interpretação de texto. “Você tem que trabalhar a interpretação do texto, junto com a aplicação do que foi pedido na proposta, no tema. Além da interpretação, pensar em argumentos e intertextos para dialogar com determinados assuntos”.

3. Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações

De acordo com o Ministério da Educação, o candidato deve elaborar um texto que apresente de forma clara, “uma ideia a ser defendida e os argumentos que justifiquem a posição assumida em relação à temática da proposta da redação”. Nessa etapa, a banca avalia a coerência entre as ideias apresentadas no texto.

Augusto explica que é essencial que o aluno tenha uma bagagem cultural. Ou seja, que além das técnicas de escrita, ele esteja atento ao que ocorre no Brasil e no mundo.

Outra dica que o professor dá é aproveitar todo o conhecimento gerado a partir do estudo de outras matérias. “Eu costumo falar para meus alunos, também, de repertório argumentativo que eles têm. É o que eles aprendem nas demais disciplinas”.

“A história do Brasil é um excelente arcabouço para puxar fundamentação, para um argumento baseado na história. Bem como, uma possível analogia da biologia. Os estudos de sociologia e filosofia… As matérias de humanas têm um peso maior, para isso, obviamente. Mas a depender do assunto, ele vai ter um conhecimento de parte das ciências da natureza. Se o aluno treinar para o vestibular, ele vai ter que estudar tudo”, explica.

- PUBLICIDADE -

4. Conhecimento dos mecanismos linguísticos para a construção da argumentação

Esse critério avalia se há uma estrutura certa entre as partes da redação. Ou seja, que os parágrafos tenham uma boa relação entre si, mas que também funcionem de forma independente.

“Preposições, conjunções, advérbios e locuções adverbiais são responsáveis pela coesão do texto porque estabelecem uma inter-relação entre orações, frases e parágrafos. Cada parágrafo será composto por um ou mais períodos também articulados. Cada ideia nova precisa estabelecer relação com as anteriores”, pontua o MEC.

A professora Raquel recomenda que o aluno, antes de iniciar o texto, faça alguns questionamentos, em especial sobre as causas do problema citado no tema.

Perguntas como: quais as causas do problema, quais as consequências de não solucioná-lo, e por que tal discussão se faz tão necessária no panorama nacional devem fazer parte das respostas que os alunos inserirão nas suas redações”, explica Raquel.

5. Respeito aos direitos humanos – como fazer uma redação nota 1000 no Enem

Por fim, a redação exige apresentar uma “proposta de intervenção para o problema abordado”, que respeite os direitos humanos. Ou seja, conforme o MEC, é preciso, para o problema, “sugerir uma iniciativa que busque, mesmo que minimamente, enfrentá-lo”.

Desta forma, a elaboração de uma proposta de intervenção na prova de redação do Enem representa uma ocasião para que o candidato demonstre o preparo para o exercício da cidadania, para atuar na realidade em consonância com os direitos humanos. “Por exemplo, a competência 5, maior temor dos vestibulandos, pois exige a apresentação de propostas de intervenção diversificadas, exequíveis e detalhadas para o problema apresentado”, finaliza Raquel.

- PUBLICIDADE -

Como fazer introdução de redação Enem – Como fazer uma redação nota 1000 no Enem

Uma das etapas mais importantes para a construção do texto, é a introdução dele. Portanto, a professora e pesquisadora da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Cleovia Almeida de Andrade, que também trabalha em cursos pré-vestibular, explica que há várias estilos possíveis de iniciar a redação, o que pode fazer com que o aluno não se prenda a uma única forma.

“Há muitas formas de se fazer uma redação dissertativa. A introdução pode ser feita por meio de: alusão histórica, citação direta e indireta, definição, conceituação, narração fictícia, narração não fictícia, entre outros”.

Além disso, ela sugere fugir de expressões clichês, tais como “é eminente” ou “segundo a Folha de S. Paulo”. Para ela, também é importante “confiar no conhecimento de mundo” que o participante já possui. “Afinal de contas, todas as disciplinas estudadas até o término do Ensino Médio. lhes proporcionaram uma série de informações científicas, que se souberem resgatar é o suficiente para a construção de um excelente texto”, diz.

A professora também destaca outras dicas para que os participantes tenham um bom desempenho no Enem. Uma delas é tentar manter a calma, mesmo com que a prova seja difícil. “Ficarem calmos, apesar de ser difícil, em virtude do que representa o Enem na vida do estudante”.

Como fazer o rascunho da redação do Enem?

Uma outra dica básica tem a ver com a folha de rascunho, que vem junto aos cadernos de questões. Você pode usar esse documento, mas tome cuidado com o tempo de prova, para não deixar a Folha de Redação em branco.

“O ideal é que o aluno também comece pela prova pela redação, quando as ideias estão mais claras. Ele pode fazer um rascunho e só então, mais tarde, voltar e passar o texto a limpo. Nesse espaço de tempo ele já terá tido a oportunidade de pensar se há elementos que devem ser colocados além dos que já foram citados, ou se há algo que ele pode melhorar no texto”, explica a professora Raquel Siufi.

Além disso, é sempre importante evitar os erros que podem levar sua redação a zerar. São elas, fugir do tema proposto pelo Enem; não atender a proposta pedida; letra ilegível; entregar a Folha de Redação sem nada escrito; usar parte de texto desconectada do tema proposto ou escrever somente sete (7) linhas, qualquer que seja o conteúdo.

Também, é passível de zerar se o participante escrever predominante ou integralmente em língua estrangeira; usar impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação; por fim, também pode zerar sua redação, fazer uma estrutura de texto diferente do tipo dissertativo-argumentativo e apresentar nome, assinatura, rubrica ou qualquer outra forma de identificação.

Leia também: 

Enem 2021: veja qual seu local de prova, data e horário

Comentários (0)
Comentar