Saiba como dar entrada no Seguro DPVAT para receber a indenização

O seguro pago juntamente com o IPVA, é destinado para indenizações por acidentes.

O Seguro DPVAT ( Seguro Obrigatório de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres) tem a finalidade de amparar as vítimas de acidentes de trânsito. Criado em 1974, pela Lei n° 6.194/74, o DPVAT tem cobertura nacional e garante indenizações por morte, invalidez permanente e despesas médico-hospitalares. A seguir, saiba como dar entrada no Seguro DPVAT para receber a indenização.

Quem tem direito à indenização do Seguro DPVAT?

A indenização do Seguro DPVAT é destinada para qualquer vítima de acidente de trânsito. Desta forma, motoristas, passageiros e pedestres são os assegurados. Além disso, beneficiários podem receber a indenização, no caso de morte. 

Assim, as indenizações são pagas individualmente e independe do número de vítimas envolvidas no acidente e da apuração dos culpados. 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Ainda que o(s) veículo(s) não tenham realizado pagamento do DPVAT, que é obrigatório, isso não interfere na cobertura do seguro. Ou seja, as vítimas ou os beneficiários podem solicitar a indenização. 

 

Como dar entrada no DPVAT?

Papéis ao fundo e um celular com a página inicial do aplicativo DPVAT
Foto:Reprodução/Seguradora Líder

A entrada no processo de indenização do Seguro DPVAT é realizada em seguradoras consorciadas ou postos de atendimentos. Então, basta ir até um dos postos e apresentar a documentação necessária.

Com a pandemia da Covid-19, os serviços de solicitação também estão disponíveis via digital, mas também o envio da documentação pendente. Assim, pelo aplicativo Seguro DPVAT ou pelo site da Seguradora Líder, www.seguradoralider.com.br, atual gestora, é possível dar entrada no Seguro. 

Além disso, a consulta e o processo de liberação da indenização são acessados somente no site. 

Outro modo é o solicitante entrar em contato pela Central de Atendimento do DPVAT (0800-0221204) ou da Susep (0800-0218484). A ligação é gratuita. 

 

Quais os documentos necessários para dar entrada no DPVAT?

Os documentos necessários depende do grau do acidente: morte, invalidez permanente ou cobertura de despesas médico-hospitalares. Com isso em mãos, você deve se dirigir a um posto de atendimento e apresentar a documentação. 

Mão com uma caneta assinando um documento
Foto:Pixabay

Indenização por morte

  • Certidão de óbito;
  • Registro de Ocorrência; 
  • Prova da qualidade de beneficiário.

Indenização por invalidez permanente

  • Laudo do Instituto Médico Legal (IML); 
  • Boletim da Ocorrência (B.O);
  • Cópia da documentação de identificação da vítima (RG ou CNH).

Despesas de Assistência Médica e Suplementares

  • Registro de Ocorrência; 
  • Boletim de atendimento médico-hospitalar, ou documento equivalente. Nele, deve comprovar as despesas médico-hospitalares ocasionadas pelo acidente;
  • Cópia do documento de identificação da vítima (RG ou CNH);
  • Conta original do estabelecimento hospitalar, ou documento equivalente. Aqui, com todas as despesas descritas, rigorosamente. Desta forma, estão incluídas diárias e taxas, relação dos materiais e medicamentos utilizados, exames efetuados com os respectivos valores. Além disso, os serviços médicos e profissionais cobrados diretamente pelo hospital devem estar no documento;
  • Notas fiscais, faturas ou recibos do hospital, originais, comprovando o pagamento;
  • Recibos originais, emitidos em nome da vítima, ou comprovantes do pagamento a cada médico ou profissional com a data em que foi prestado o atendimento;
  • Cópia do laudo anatomopatológico da lesão;
  • Cópia dos exames realizados em geral.

 

Qual valor da indenização do seguro DPVAT?

Os valores da indenização possuem o teto de R$ 13.500,00. Cada tipo assegurado tem um valor específico, estabelecido pela Lei 11.482/2007. 

Sabendo disso, confira a tabela abaixo:

Morte        R$ 13.500,00
Invalidez Permanente  até R$ 13.500,00
Reembolso de Despesas Médicas e Hospitalares (DAMS)  até R$   2.700,00

 

Certamente, existem algumas condições para receber o reembolso das despesas. Além dos documentos necessários, os valores com os gastos serão pagos com base na tabela dos valores de mercado. Por outro lado, o valor mínimo é de 50% superior aos da tabela do Sistema Único de Saúde (SUS).

Desse modo, o reembolso é destinado aos primeiros-socorros e os tratamentos. Desde que, realizados em hospitais privados. Por outro lado, quando o atendimento é feito pela rede SUS, não há indenização.

 

Como receber a indenização do Seguro DPVAT?

Estetoscópio sobre moedas
Foto:Pixabay

O pagamento da indenização do Seguro DPVAT é em cheque nominal às vítimas ou beneficiários. Mas também, pode ser feito por depósito ou transferência eletrônica (TED). O depósito de valor é feito em conta corrente ou conta poupança.

O Susep afirma que o valor da indenização não tem relação com o salário mínimo, bem como está disposto na Lei nº 11.482/07.

 

Qual o prazo para recebimento do DPVAT?

O prazo para o pagamento do Seguro DPVAT é de 30 dias. Entretanto, a contagem começa a partir da entrega e aprovação de toda a documentação pré-estabelecida. 

Em caso de inconsistências, o prazo é suspenso. Sendo assim, são reiniciados a contagem dos dias para o recebimento. Logo, é preciso não ter pendências para que os dias sejam contados, novamente.

 

Quantas vezes pode receber o Seguro DPVAT?

As indenizações por morte e invalidez permanente não são cumulativas, segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep). 

Portanto, se a vítima já recebeu a indenização por invalidez permanente e falecer, em decorrência do mesmo acidente, também é assegurado pela morte. Dessa forma, o pagamento da indenização por morte é deduzido do valor já pago por invalidez permanente. Ou seja, o recebimento da vítima ou dos beneficiários é a diferença entre quantias, de acordo com a tabela apresentada acima.

Contudo, isso não vale para reembolso das despesas médico-hospitalares. Nesta situação, em específico, o pagamento do Seguro DPVAT não terá descontos, ainda que as indenizações já tenham sido pagas e  decorrentes do mesmo acidente.

 

Fontes: Superintendência de Seguros Privados (Susep)

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes