Publicado em

Passados os primeiros trinta dias do governo Jair Bolsonaro (PSL), dada a posse dos deputados federais e senadores e o Judiciário retornado das férias, a Esplanada dos Ministérios e a Praça dos Três Poderes, em Brasília, devem começar a funcionar nesta semana. E um dos temas que estará na berlinda é a reforma da Previdência, inclusive com um esperado avanço na proposta que o Palácio do Planalto passará a negociar mais intensamente com os partidos e bancadas na Câmara e Senado, agora já com suas direções definidas. E nesse tabuleiro de xadrez, um dos pesos pesados é a área militar do governo, ponto nevrálgico das mudanças.

‘Espinhos’ da reforma da ...

O vice-presidente Hamilton Mourão disse na sexta-feira (1) que "Previdência" foi o assunto do almoço que teve no dia com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva. Segundo Mourão, "está pacificado" o aumento do tempo de contribuição previdenciária dos militares de 30 anos para 35 anos para poderem ir para a reserva. Este seria o caminho para incluir os militares na cota de sacrifício de todo o funcionalismo público, civil e militar, além dos trabalhadores do setor privado, esses mais onerados pelas mudanças em estudo na equipe econômica.

... Previdência estão na berlinda

O próprio Hamilton Mourão – que vem sendo porta-voz do grupo dos militares no governo que aceita a inclusão das três forças armadas na reforma, em contrapartida à maioria que rejeita essa contribuição do Exército, Marinha e Aeronáutica – ressaltou que o aumento de 30 para 35 anos ainda é um ponto em estudo. "O tema ainda está em discussão se será apresentado junto com a PEC [Proposta de Emenda à Constituição da Reforma da Previdência]", acrescentou o vice-presidente. "O momento em que vai ser apresentada está em discussão."

Contribuição dos militares

O porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, declarou que a estratégia para a reforma da Previdência, incluindo a aposentadoria dos militares, será definida pelo presidente Jair Bolsonaro em um "diálogo consensual" com o Congresso Nacional. Barros afirmou ainda que o presidente está identificando "todas as possibilidades" da Previdência para os funcionários públicos, militares e para a sociedade em geral. "Essa questão, ao mesmo tempo, um pouco depois, um pouco antes, é uma questão do presidente junto com o Congresso, junto com seus ministros", disse.

Superar divisões internas

A expectativa é que o governo consiga minimizar as divisões internas em torno da proposta, disputada pela equipe do ministro Paulo Guedes, da Economia, do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, militares e presidente da República, para atuar em sintonia, primeiramente dentre de casa. Depois, que o Palácio do Planalto consiga se articular de maneira coerente e homogênea com o Congresso Nacional, para que o texto final a ser votado pelos parlamentares seja representativo de todas as forças da sociedade brasileira, sem onerar mais alguns setores e beneficiar outros.

Franquias terão avanço de 7%

A melhora gradativa do cenário econômico e a definição do quadro político refletiram positivamente no setor de franquias brasileiro, tanto que as redes devem registrar um crescimento nominal de 7% da receita em 2018 na comparação com 2017. O setor deve gerar 8% mais empregos diretos no mesmo período (incluindo contratos intermitentes e temporários), totalizando 1,3 milhão de trabalhadores contratados. A expansão do número de unidades é de 5% e de novas marcas 1%, após um ano de queda. É o que indica o balanço preliminar parcial do desempenho do setor divulgado hoje pela ABF (Associação Brasileira de Franchising). Para o criador do aplicativo de delivery Ceofood, Kawel Lotti, o ano de 2019 deve ser ainda melhor para a rede. “Esperamos um aumento no faturamento de 200% comparado com 2018. Vamos lançar novos serviços e incluir novas funções dedelivery na ferramenta. Apenas em 2018 geramos empregos para mais de 200 famílias e o objetivo da marca é chegar a 300 unidades franqueadas”, finaliza Kawel. 

Produtos inovadores ...

A Compaq Brasil, marca de notebooks, desktops all-in-one do Grupo GlobalK, fechou 2018 com crescimento de 5%, mesmo diante de um cenário desfavorável, sobretudo por causa da variação cambial. O resultado da companhia no Brasil, de acordo com o Camilo Stefanelli, CEO da empresa, foi alavancado, em grande parte, pelos lançamentos recentes em sintonia com as necessidades do mercado e parcerias com grandes players. Para 2019, o executivo espera avanço de 15% nos negócios. “Durante 2018, trabalhamos para oferecer produtos com qualidade e preços competitivos. Para isso, buscamos as tecnologias mais avançadas em eventos pelo mundo e entramos em contato com os maiores especialistas”, afirma Camilo Stefanelli.

... para mercado em expansão

Para Stefanelli, apesar dos avanços, o mercado de TI e informática no Brasil ainda tem muito o que expandir. “Temos produtos maravilhosos, um parque fabril esplêndido, mas não somos competitivos. Isso, para mim, é o elemento principal que falta. Somos um dos únicos mercados que tem capacidade de crescimento, já que muitas pessoas ainda não têm computador ou estão com equipamentos muito defasados”, avalia. Com a expectativa de recuperação da economia neste ano, Stefanelli acredita que será possível elaborar estratégias mais sólidas e certeiras para a Compaq Brasil. “Uma das grandes novidades é que temos quatro produtos para serem lançados nos próximos meses”, revela o executivo, que acredita que o ano será marcado pelo otimismo.

Mediação premiada

Mediação Online e Itaú fizeram um trabalho conjunto de mediação entre o banco e clientes com pendências financeiras. 1066 empresas - de todo o país e uma empresa da Flórida, nos Estados Unidos - participaram. O resultado foi ótimo para todas as partes, porque ajudou a resgatar o crédito das empresas com pendências e reaproximou o Itaú de seus clientes. Em números, o trabalho rendeu 243 acordos, tirou da Justiça 612 processos que já estavam em tramitação e evitou que 360 casos virassem processos. Agora, o trabalho foi reconhecido também pelo Conselho Nacional de Justiça, que premiou essa parceria entre Mediação Online e Itaú com o prêmio Conciliar É Legal, na categoria Mediação e Conciliação Extrajudicial. É a primeira vez que o CNJ homenageia uma startup nesse prêmio, que existe desde 2010. A premiação acontece nesta terça-feira (5), em Brasília.

 

Quintal maior que o mundo

A atriz Cássia Kiss acalentou durante quarenta anos o sonho de criar uma versão para o palco da obra de Manoel de Barros (Foto: Gal Oppido)

Conhecedora da obra do poeta e escrito Manoel de Barros (1916-2014), a atriz Cássia Kis tem uma relação não só com a obra do mato-grossense, mas com o próprio, com quem passou anos se correspondendo e chegou a conviver proximamente, tornando-se amiga. Tudo começou no início dos anos 1980, quando descobriu sua poesia. É parte da obra do autor de “Livro sobre Nada” que Cássia Kis escolheu para marcar sua volta aos palcos depois de 10 anos, ao lado do diretor Ulysses Cruz, com quem divide, ainda, a criação do texto. Para executar a música ao vivo em cena também está Gilberto Rodrigues, responsável pela direção e criação musical. A peça “Meu Quintal é Maior do que o Mundo” estrou em São Paulo na última quinta-feira (31) e continuará em cartaz até 17 deste mês no Teatro Sesi-SP, com sessões às sextas e sábados, às 20 horas, e domingo, às 19 horas, de graça.

*Liliana Lavoratti é editora de fechamento

liliana@dci.com.br