Rosa-do-deserto: saiba tudo sobre essa belíssima planta ornamental

Conheça a rosa-do-deserto, a planta ornamental de clima árido que cativa pela sua beleza exótica e é considerada item de colecionador, mas que você pode cultivar na sua casa!

A rosa-do-deserto é uma planta ornamental que vem conquistando a admiração de experts e leigos devido à sua beleza deslumbrante e exótica.

Mas cada planta tem suas particularidades e, para as cultivarmos com sucesso, é importante conhecê-las bem. Vamos lá?

 

Que planta é essa?

 

A rosa-do-deserto tem o nome científico Adenium obesum e é uma planta da família Apocynaceae. Sua origem está nas regiões no sul do Saara, em uma região chamada Sahel, onde estão a Mauritânia, o Senegal e o Sudão, na África tropical e subtropical e na Arábia.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Podendo atingir até cinco metros de altura e um metro e meio, ela é originalmente uma planta para quem dispõe de espaços maiores. Porém, hoje em dia já foram desenvolvidas técnicas para criar a rosa-do-deserto em vasos e todos podem cultivar e admirar sua beleza, independente do espaço de que se dispõe.

É um arbusto suculento com  caule bem grosso na base. Isso porque a flor, originária de áreas desérticas, se desenvolveu para reservar água e lidar com o vento do Saara. Suas folhas largas são dispostas em espiral, agrupadas das pontas aos ramos e possuem uma elegante textura de couro. Em períodos frios, as folhas podem cair.

rosa-do-deserto-2
Reprodução/ South Seed Bank

As flores são tubulares e possuem cinco pétalas que podem ser de diversas cores: branco, rosa, lilás, vermelho, vinho e até preto, às vezes possuindo detalhes esbranquiçados. 

Sendo uma planta natural de climas muito quentes, a rosa-do–deserto cresce bem em solo seco, bem-drenado, clima quente. Ou seja, se onde você mora o inverno é rigoroso, com geada ou até neve, sua rosa-do-deserto não sobreviverá ao ar livre. 

 

Como cuidar de uma rosa-do-deserto?

 

Onde plantar

 

Primeiramente, é importante escolher um vaso adequado. Apesar de precisar de bastante água para se desenvolver saudável, a rosa-do-deserto não gosta de estar em uma terra muito encharcada. Assim, o ideal é adquirir  um vaso espaçoso e com furinhos para drenagem do excesso de água.

 

Preparação do vaso

 

Lembre-se de que o caule da rosa-do-deserto é grosso e forte. Logo, suas raízes também são! Forrar o fundo do seu vaso com pedras e TNT para que as raízes não saiam do vaso pode evitar problemas futuros.

O substrato que mais se assemelha ao solo semiárido do habitat natural da rosa-do-deserto é uma mistura de terra, areia grossa e húmus de minhoca. Esse tipo de material é fácil de encontrar em mercados, lojas agropecuárias e de construção. No entanto, se você quiser realmente fazer as coisa do jeito mais certo possível, pode ir a uma loja de jardinagem e fazer a mistura que foi desenvolvida especialmente para rosas-do-deserto!

  • 65% de vermiculita;
  • 10% de fibra de coco;
  • 10% de areia;
  • 15% de material orgânico

Essa seria a melhor mistura para garantir a drenagem do solo e evitar a podridão das raízes, que é a maior dificuldade no cultivo as rosas-do-deserto.

O local onde você vai deixá-la também deve se aproximar o máximo possível de seu habitat. Assim, procure um canto onde haja bastante incidência de sol e onde a temperatura não fique abaixo de 14ºC.

 

rosa-do-deserto-3
Reprodução/ Youtube Sunshine Lady’s orchids & garden

 

Como regar

 

Nada de dar banho na sua rosa-do-deserto! As raízes dela podem apodrecer, lembra? O ideal é manter a terra sempre úmida, mas sem encharcar. O jeito mais certo de saber se está na hora de regar é colocar o dedo no solo, o mais fundo possível para sentir a umidade. Se estiver seco, está na hora de regar.

No entanto, durante o inverno, recomenda-se deixar a planta inativa. Isso é feito de forma muito simples: é só reduzir a rega para uma vez a cada três ou quatro semanas. Não se preocupe, sua rosa não morrera. Ela se desenvolveu em um deserto e é capaz de passar longos períodos sem água.

 

Cuidados com a poda

 

A rosa-do-deserto possui seixa extremante tóxica que pode provocar mal-estar, tontura, náusea e vômito. Essa toxina, em sua versão condensada, era usado como veneno para flechas pelas tribos africanas das terras onde a rosa nasce.  Por isso, ao fazer a poda ou replantio, jamais deixe de usar luvas.

Pelo mesmo motivo é bom deixá-la fora do alcance de animais domésticos.

 

Sementes de rosa-do-deserto podem ser falsificadas

 

Em função de sua fama, as rosas-do-deserto têm sido muito buscadas e isso criou um mercado de sementes da planta que inclui bons e maus fornecedores. Assim, procure um fornecedor de confiança ao adquirir as suas. Especialmente se você quiser uma cor específica e menos comum de flores.

Quer mais dicas pra encher sua casa de plantas e ter mais vida no seu lar? Veja também nosso post sobre plantas na decoração!

 

Informar Erro

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes