Filho da Condessa de Barral: 4 curiosidades da vida real de Dominique

Figura história foi filho de Luísa com Eugênio, o Conde de Barral

Assim como na vida real, em Nos Tempos do Imperador, Luísa (Mariana Ximenes) tem um filho chamado Dominique. O garoto apareceu na primeira fase da novela, mas logo voltou para a França com o seu pai Eugênio (Thierry Tremouroux) e foi para um internato. Porém, a Condessa de Barral sempre fala sobre seu filho e como sente saudades dele. Conheça mais o personagem e a figura histórica.

Ator intérprete de Dominique é filho de Theo Becker – Filho da Condessa de Barral

Quem dá vida ao filho da Condessa é Thor Becker, filho do ator Theo Becker. O garoto, de apenas 4 anos, conquistou o seu primeiro papel na TV após ser procurado por uma agência de renome. “Não tinha feito nenhum teste. O primeiro foi o da novela. Falei para a minha esposa que estava sentindo que ele iria passar. Dito e feito ele passou. Eu já sabia que ele ia conseguir! Sabia mesmo! Não sei se o meu ego me enganou e acabou dando certo por coincidência ou se foi um sexto sentido”, contou o pai da criança em entrevista à Quem.

Theo conta que a experiência foi positiva para o garoto: “Ele acha que a novela é de verdade, que os pais dela na novela são os seus pais também na vida real. Acho que por causa disso, ele vai ser um dos personagens mais reais da trama. Ele realmente acredita que é um príncipe de verdade”.

Filho da Condessa de Barral
Eugênio (Thierry Trémouroux), Dominique (Thor Becker) e Luísa (Mariana Ximenes) – Foto: Divulgação/Globo

 

Dominique foi um diplomata – Filho da Condessa de Barral

Assim como na trama, Horace Dominique foi o filho único de Luísa e Eugênio. Ele nasceu 1854 em Salvador, na Bahia, e morreu aos 60 anos de idade na França. Seu nome é a tradução francesa de Domingos, em homenagem ao tio e ao avô.

Segundo o livro Condessa de Barral: a paixão do imperador escrito por Mary Del Priore, o único herdeiro da Condessa seguiu os passos do pai e se tornou um diplomata. Ao longo de sua vida, ele deixou o o serviço diplomático francês, onde conseguiu entrar graças aos contatos de Luísa, após os decretos republicanos expulsaram da França certas congregações religiosas. Dominique era um católico fervoroso e reagiu às decisões de um Estado que se queria laico pedindo demissão.

Filho da Condessa de Barral
Isabel (centro) rodeada de amigos, c. 1860. O garotinho sentado no galho da árvore é Dominique (à direita), filho da Condessa de Barral – Foto: Reprodução/Condessa de Barral: a paixão do imperador

 

Próximo da realeza

Ainda segundo a obra, Dominique cresceu nos jardins de São Cristóvão e brincava com as filhas de Dom Pedro II. No Natal, recebia presentes do imperador e, durante o ano, agrados da imperatriz. Os dois tratavam Dominique como se ele fosse filho do casal.

O afeto do imperador era tanto que ele insistia que Dominique era brasileiro e que poderia estudar no Colégio D. Pedro II, além de fazer planos para que o garoto se tornasse engenheiro. Luísa, porém, não cedeu aos encantos do imperador, pois sabia que a educação na Europa ajudaria mais o filho, a quem passou a se dedicar de maneira quase obsessiva.

Filho da Condessa de Barral
Dom Pedro II, Conde d’Eu, princesa Isabel e filhos, conde de Mota Maia, Isabel Lisboa. Em tons claros, os filhos de Dominique. Foto: Reprodução/Condessa de Barral: a paixão do imperador

Se casou com Maria Francisca de Paranaguá

Dominique se casou em 1883, no Rio de Janeiro, com Maria Francisca de Paranaguá, filha do Visconde de Paranaguá, presidente do Conselho de Ministros. O casal teve dois filhos, Jean Dominique e Maria Margarida.

Maria Francisca de Paranaguá – Foto: Reprodução/Parentesco

 

Leia também: Quem foi o marido de Luísa, a Condessa de Barral na vida real?

Você pode gostar também
buy cialis online