Gastão de Orléans era surdo na vida real?

Nobre era bastante impopular na corte

Interpretado por Daniel Torres em Nos Tempos do Imperador, o Conde D’Eu foi o marido da Princesa Isabel, que na trama é vivida por Giulia Gayoso. Na vida real, o nobre foi muito impopular na corte – uma das causas da rejeição foi a sua dificuldade para se comunicar. Afinal, Gastão de Orléans era surdo?

Marido da Princesa Isabel, Gastão de Orléans era surdo?

Marido da Princesa Isabel, Gastão de Orléans tinha problemas de comunicação causados por sua surdez e por falar mau a língua portuguesa. Não se sabe ao certo qual o grau do problema auditivo do nobre, mas um artigo publicado por estudantes da Universidade Estadual de Maringá em 2015¹, afirma que ele era parcialmente surdo.

Gastão e Isabel se casaram em 1864. Ele era neto do rei Luis Filipe I, mas abdicou do trono francês para se casar com a filha de Dom Pedro II. No Brasil, ele não era muito querido pela sociedade e até pela família de sua esposa.

Conde D’Eu era deixado de fora das decisões nacionais, o que causou intrigas entre ele e seu sogro Pedro. Ele também sofreu uma campanha de difamação durante a Guerra do Paraguai – foi acusado de ter ordenado que os chefes militares paraguaios fossem degolados. Outro rumor que foi espalhado a respeito do Conde era de que ele havia mandado soldados brasileiros matarem mulheres e crianças durante o conflito.

Isabel e Gastão foram expulsos do Brasil, junto com toda a família real, em 1889, após a Proclamação da República. Os dois se exilaram na França, onde o Conde tinha residência. Depois da morte de Isabel, ele voltou ao Brasil, onde faleceu em 1922, aos 80 anos, de causas naturais.

Gastão de orléans era surdo
Gastão de orléans – foto: reprodução/wikimedia commons

 Conde D’Eu em Nos Tempos do Imperador

Em Nos Tempos do Imperador, Conde D’Eu ainda não apresentou sinais de surdez. O personagem fala com um forte sotaque francês, mas é possível compreendê-lo.

Atualmente, o nobre está lutando na Guerra do Paraguai, como de fato aconteceu. A trama também tem mostrado a dificuldade do casal de conceber o primeiro filho. Na vida real, a princesa só deu à luz ao primeiro herdeiro em 1874, dez anos após o seu casamento. Antes disso, ela sofreu alguns abortos e sua primogênita, Vitória, nasceu morta.

Conforme revelado em entrevista pelo autor Alessandro Marson, a novela deve acabar no fim da Guerra do Paraguai, que já está sendo exibida. Por isso, não se sabe se o folhetim citará a surdez do Conde ou se mostrará o nascimento de seus filhos.

Daniel torres
Gastão (daniel torres) e isabel (giulia gayoso) – foto: reprodução/globo

 

Referência bibliográfica 

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO DOS SURDOS NO BRASIL – Nerli Nonato Ribeiro Mori e  Ricardo Ernani Sander, Universidade Estadual de Maringá: 02 a 04 de Dezembro de 2015 – http://www.ppe.uem.br/publicacoes/seminario_ppe_2015/trabalhos/co_04/94.pdf

 

 

Você pode gostar também