Novelas de Silvio de Abreu: relembre a carreira do autor

Famoso autor de novelas deixou a Globo em 2021 e assinou contrato com a HBO Max

Silvio de Abreu é autor de algumas das novelas de maior sucesso da Globo. Responsável por tramas como Guerra dos Sexos (1983 e 2012), Rainha da Sucata (1990) e Passione (2010), também trabalhou como diretor de Dramaturgia na emissora. Abaixo, relembre os principais trabalhos.

Guerra dos Sexos (1983 e 2012) – Novelas de Silvio de Abreu

O primeiro grande sucesso de Silvio de Abreu na Globo foi a novela Guerra dos Sexos, exibida em 1983 no horário das 19h. A história gira em torno dos primos Charlô (Fernanda Montenegro) e Otávio (Paulo Autran), interpretados por dois dos mais aclamados atores da teledramaturgia.

Após se envolverem romanticamente na adolescência, os protagonistas desenvolveram um ódio mortal um pelo outro. A trama sofre uma reviravolta quando um tio milionário dos dois morre e deixa uma fortuna para eles, sob a condição de que eles terão que morar na mesma casa e trabalhar na mesma empresa.

A novela foi tão marcante que ganhou um remake em 2012, readaptada também por Silvio de Abreu. Na nova versão, Irene Ravache e Tony Ramos ficaram com os papéis principais.

Novelas de silvio de abreu
Charlô (fernanda montenegro) e otávio (paulo autran) em guerra dos sexos (19830) – foto: reprodução/globo

 

Sassaricando (1987)

Quatro anos depois, Silvio de Abreu emplacou mais um sucesso no horário das 18h50. Foi a vez de Sassaricando (1987) conquistar o público e ficar marcada como uma das novelas mais importantes da carreira do autor.

Na trama, Aparício Vilela (Paulo Autran) decide abandonar um grande amor para seguir o sonho de se tornar milionário. Ele se casa com Teodora Abdala (Jandira Martini), herdeira da Tecelagem Abdala, em São Paulo. Apesar de viver no luxo, ele não é feliz.

Um acidente mata Teodora, e após a morte da esposa, o protagonista decide “sassaricar” para compensar os anos em que esteve preso em um relacionamento infeliz. Ele engata um namoro com três mulheres ao mesmo tempo: Rebeca (Tônia Carrero), Penélope (Eva Wilma) e Leonora (Irene Ravache).

Novelas de silvio de abreu
Tancinha (claudia raia) e beto (marcos frota) em sassaricando (1987) – foto: reprodução/globo

 

Rainha da Sucata (1990)

Em 1990, foi a vez de Rainha da Sucata conquistar os telespectadores, exibida às 20h30 – a novela foi a concorrente de Pantanal, exibida pela TV Manchete.

O folhetim fez sucesso ao retratar a história de duas personagens opostas: a extravagante Maria do Carmo (Regina Duarte) e a falida Laurinha Figueroa (Glória Menezes). Com o enredo focado nos novos ricos da elite paulistana, a trama mostrou que a ascensão econômica nem sempre vem acompanhada de aprimoramento educacional.

Rainha da Sucata foi a segunda maior audiência da faixa de horário das 20h da década de 1990 e fechou com 61 pontos no ibope.

Novelas de silvio de abreu
Tony ramos e regina duarte em rainha da sucata – foto: reprodução/globo

 

Belíssima (2005)

Mais uma novela da faixa das 20h de autoria de Silvio de Abreu ficou marcada na carreira do autor. Foi Belíssima, exibida em 2005 na Globo.

A novela trouxe Fernanda Montenegro como a vilã poderosa Bia Falcão, que faz de tudo para impedir o casamento de seu neto Pedro (Henri Castelli) com Vitória (Cláudia Abreu), uma ex-menina de rua. A trama, inicialmente ambientada na Grécia, passa por uma grande reviravolta quando Pedro é misteriosamente assassinado. Sem saber  o que fazer, Vitória decide voltar ao Brasil.

Belissima
Bia falcão (fernanda montenegro) e sabina (marina ruy barbosa) em belíssima (2005) – foto: reprodução/globo

 

Passione (2010)

Mais uma novela protagonizada por Fernanda Montenegro, Passione foi exibida em 2010 na faixa das 21h. A atriz deu vida à empresária Bete Gouveia, enquanto Tony Ramos interpretou o italiano Antonio Mattoli, o Totó, os dois personagens principais da trama.

Eles são mãe e filho, mas não sabem disso. Isso porque Bete acreditava que o filho estava morto – ela só descobre sobre a existência de Totó quando seu marido Eugênio (Mauro Mendonça) conta a verdade. A empresária tenta se reaproximar do rapaz, mas é mal recebida por ele.

Passione
Bete (fernanda montenegro) e totó (tony ramos) em belíssima – foto: reprodução/globo

 

Qual foi a última novela de Sílvio de Abreu?

A última novela de Silvio de Abreu na Globo foi a readaptação de Guerra dos Sexos, exibida em 2012. A trama é um remake do sucesso de 1983, também de autoria do famoso.

Em 2014, ele foi supervisor do texto de Alto Astral, exibida no horário das 19h. No mesmo ano, Abreu se tornou diretor de Dramaturgia da Globo, cargo que exerceu até deixar a emissora em 2021 para assinar com a HBO Max.

Além das novelas citadas acima, Silvio foi autor de mais de Jogo da Vida (1982), Cambalacho (1986), Deus nos Acuda (1993), A Próxima Vítima (1995), Torre de Babel (1999) e As Filhas da Mãe (2002).

Como ator, atuou no folhetim A Próxima Atração (1971). Também foi supervisor para outras quatro novelas da Globo: Vereda Tropical (1985), Anjo Mau – 2ª Versão(1997), Da Cor do Pecado (2004), Eterna Magia (2007) e Beleza Pura (2008).

Por que Silvio de Abreu saiu da Globo?

Silvio de Abreu deixou a Globo após 42 anos devido a uma reformulação na alta cúpula da emissora. A posição de chefia da dramaturgia ocupada pelo autor agora está sob o comando José Luiz Villamarim.

Ele agora é contratado da plataforma de streaming HBO Max e atua junto com Monica Albuquerque no desenvolvimento de novelas curtas. Ele supervisionará Segundas Intenções, série que terá Camila Pitanga no elenco. A data de estreia ainda não foi definida.

+ Relembre as 10 melhores novelas de Janete Clair

Você pode gostar também