Quem foi João Maurício Wanderley, inspiração para Tonico Rocha?

Barão foi uma das principais figuras contra a abolição da escravatura no Brasil

Tonico Rocha, interpretado por Alexandre Nero, apesar de ser um personagem fictício de Nos Tempos do Imperador, foi inspirado em uma figura real: João Maurício Wanderley. O Barão de Cotegipe, como também era conhecido, foi um opositor do movimento abolicionista e até chegou a se desentender com a Princesa Isabel.

Quem foi João Maurício Wanderley?

João Maurício Wanderley, Barão de Cotegipe, nasceu em 1815, na Villa da Barra, antiga capitania de Pernambuco. Hoje, o território pertence à Bahia. Ele se tornou uma das principais figuras contra a abolição, sendo extremamente conservador e escravagista, de acordo com informações do Aventuras na História. O comportamento do Barão chega até a ser contraditório já que ele também era negro, porém seus retratos eram embranquecidos. João era filho de uma escrava.

Assim como Tonico Rocha, ele se formou na Faculdade de Direito de Olinda, em 1837. Ocupou cargos como juiz municipal, juiz da Fazenda em Salvador, curador geral dos órgãos, senador e ministro da Marinha. Entre 1852 e 1855, ele foi nomeado presidente da província da Bahia por Dom Pedro II.

João Maurício foi um dos responsáveis por ajudar no atraso na abolição no Brasil – o país foi o último da América a extinguir a escravidão. Quando as ideias abolicionistas começaram a ganhar força, ele aprovou a Lei dos Sexagenários como uma forma de “acalmar os ânimos”. Porém, a lei mal tinha serventia, já que poucos escravos chegavam com vida aos 60 anos de idade.

Ele também mantinha um desafeto com a Princesa Isabel. O Barão de Cotegipe foi um dos cinco senadores do Império que votaram contra a Lei Áurea em 1888. Há divergências sobre o número de políticos que foram contra o abolicionismo. Alguns pesquisadores afirmam que o Barão foi o único, enquanto outros dizem que houve outros quatro.

Segundo historiadores, o Barão foi extremamente sarcástico ao cumprimentar a Princesa após a assinatura da lei que libertou os cativos: “A senhora acabou de redimir uma raça e perder o trono!”. Com classe, a nobre respondeu que abdicaria de mil tronos para abolir a escravidão.

Depois do fim da escravatura, João Maurício foi presidente do Banco do Brasil, cargo que ocupou até sua morte em 1889, aos 73 anos.

barao-de-cotegipe.jpg
João Maurício Wanderley, Barão de Cotegipe – Foto: Reprodução/Galeria de Ministros das Relações Exteriores do Brasil, via Wikimedia Commons/Aventuras na História

Tonico Rocha em Nos Tempos do Imperador

Tonico é um dos principais opositores da abolição da escravatura em Nos Tempos do Imperador, atual novela das seis. O deputado até tentou trazer de volta o tráfico de escravos, que foi extinto em 1831.

Ele também é um dos maiores inimigos de Dom Pedro II, interpretado por Selton Mello, e também não é um grande fã da Princesa Isabel (Giulia Gayoso), assim como na vida real.

Na novela, Tonico é um político corrupto, machista e que humilha constantemente mulheres e negros. Ele foi eleito deputado pela província de Bahia, mas utilizou de meios não muito honestos para conseguir o que queria.

tonico
Tonico Rocha (Alexandre Nero) em Nos Tempos do Imperador – Foto: TV Globo/Reprodução
Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes