Qual o próximo feriado nacional? Veja calendário de maio de 2022

O ano de 2022 tem 14 feriados nacionais

Após a passagem de dois feriados prolongados no mês de abril, muitos já se questionam quando haverá uma nova folga no calendário. Em dezembro de 2021, o Ministério da Economia divulgou a lista com os 14 feriados nacionais, em que 5 deles são pontos facultativos. Confira abaixo qual o próximo feriado nacional em 2022, assim como outros dias com possibilidade de descanso ao longo do ano.

Qual o próximo feriado nacional

Em relação a qual o próximo feriado nacional em 2022, ele será no dia 1º de maio, em que comemora-se o Dia do Trabalho. No entanto, por cair em um domingo, a data não irá alterar a agenda de muitos brasileiros. A última possibilidade de descanso do semestre é o dia de Corpus Christi, em 16 de junho, que pode render uma emenda com o fim de semana por cair em uma quinta-feira.

Apesar da comemoração religiosa ser ponto facultativo, muitos estados e municípios costumam incluí-la no calendário de feriados. Mas, em 2022, esse cenário será diferente para os paulistanos. A data foi antecipada no megaferiado em 2021 na capital, que foi uma das medidas da prefeitura para conter o avanço da pandemia de covid-19 na época.

Qual a diferença entre feriado e ponto facultativo?

Como o próprio nome diz, o ponto facultativo é uma data opcional, ou seja, fica a cargo da empresa decidir se será um dia de trabalho ou não. Todo ano, o governo federal publica uma portaria definindo quais dias entram nessa classificação, que costumam ser datas comemorativas ou históricas mas que não se enquadram como feriado nacional.

Dessa forma, diferentemente dos feriados, nos pontos facultativos não é obrigatório que as empresas do setor privado dispensem seus funcionários. No setor público, a folga nesses dias é mais comum, como acontece, por exemplo, com escolas municipais e estaduais.

O que é o Dia do Trabalho

O dia 1 de maio é o próximo feriado nacional do nosso calendário. A data do Dia Internacional do Trabalho tem o objetivo de homenagear a luta do movimento trabalhista, que protestou por melhores condições no ambiente de trabalho. Apesar de ser celebrado ao redor do mundo inteiro, a origem do feriado ocorreu em território estadunidense. No dia primeiro de maio de 1886, milhares de trabalhadores dos Estados Unidos foram às ruas das maiores cidades do país, como Nova York e Chicago, para reivindicar a redução da carga horária máxima de trabalho por dia, de cerca de 12 horas na época. O slogan utilizado pelo movimento era: “Eight-hour day with no cut in pay” (em tradução livre: “diária de oito horas sem redução no pagamento”).

Em Chicago, que era uma das cidades mais industrializadas dos EUA, manifestantes também se reuniram em uma assembleia no dia 4 de maio, na praça Haymarket. O objetivo era discutir sobre os rumos do movimento, mas acabou resultando em um confronto com a polícia local. Em meio a situação, uma bomba foi atirada na direção dos policiais, e a confusão resultou na morte de guardas e trabalhadores.

Nos dias após o incidente, que ficou conhecido como Massacre de Haymarket, diversos sindicatos ao redor do país foram ocupados pela polícia e muitos sindicalistas foram presos, acusados de incitar a violência. Alguns deles acabaram tendo como sentença final de seu julgamento a pena de morte. No dia 11 de novembro de 1887, os sindicalistas Adolph Fischer, George Engel, Albert Parsons e August Spies foram enforcados. A partir desse acontecimento, o movimento e as reivindicações dos trabalhadores ganhou destaque ao redor do mundo.

Em 1889, manifestações do mesmo teor começaram a ser promovidas na França, na cidade de Paris. Anos depois, em 23 de abril de 1919, o Senado francês aprovou as 8 horas diárias de trabalho e determinou o dia 1 de maio como feriado. A partir disso, outros países também passaram a seguir o exemplo da França, como forma de homenagear o episódio dos Estados Unidos.

No Brasil, o dia 1 de maio é feriado desde 1925, apesar de já haver registros de manifestações operárias antes disso. A chegada dos europeus na virada do século 19 para o 20 trouxe ideais da luta trabalhista para o território nacional. Em 1917, a Greve Geral aumentou a pressão para o governo mudar o cenário operário da época, até que, em 1925, o presidente Artur Bernardes decretou o dia primeiro de maio como Dia do Trabalhador, como também é chamado. Mais tarde, em 1 de maio de 1943, com a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), durante o governo de Getúlio Vargas, é que foram de fato assegurados os direitos básicos ao trabalhador, como salário mínimo e duração da jornada de trabalho.

Quantas vezes teremos feriado nacional em 2022?

Ao todo, em 2022, teremos 9 feriados nacionais, além das datas comemorativas estaduais e municipais. No entanto, no segundo semestre do ano, haverão poucas possibilidades de folgas prolongadas para todo o país. Muitos feriados nacionais vão cair na quarta-feira, impedindo a chance de emendar com outros dias da semana. Esse é o caso dos dias da Independência do Brasil (7 de setembro), de Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e de Finados (2 de novembro).

Apenas o dia da Proclamação da República, 15 de novembro, terá a possibilidade de emenda, por ser numa terça-feira. Até mesmo o Natal não irá render uma folga, já que cai num domingo. No entanto, para os funcionários públicos há o Dia do Servidor Público, em 28 de outubro, que vai ser numa sexta-feira, junto ao fim de semana.

 

Acesse também: Corpus Christi é feriado nacional ou ponto facultativo em 2022

Você pode gostar também
buy cialis online