Neymar é citado em fraude de transferência para o Barcelona

O DIS, que possuía participação nos direitos de Neymar quando o jogador estava no Santos disse que recebeu menos da metade do dinheiro.

MADRI  – Um juiz espanhol aceitou denúncia formal apresentada pelo fundo de investimento brasileiro DIS alegando que foi vítima de fraude realizada na transferência do atacante Neymar do Santos para o Barcelona. O DIS, que possuía participação de 40 por cento dos direitos de Neymar quando o jogador estava no clube paulista, disse que recebeu menos da metade do dinheiro que teria direito quando o atacante foi negociado com o time espanhol, em 2013.

O Barcelona, o ex-presidente do clube, Sandro Rosell, o atual mandatário da equipe, Josep Maria Bartomeu, que está concorrendo à reeleição, Neymar, seu pai, o Santos e dois dirigentes do clube brasileiro foram citados no processo, de acordo com comunicado do tribunal espanhol divulgado nesta quarta-feira. O processo é a mais recente etapa de uma saga que já resultou em um julgamento no qual o Barcelona, Rosell e Bartomeu são acusados de terem cometido fraude fiscal na contratação de Neymar.

No entanto, essa é a primeira vez que Neymar teve seu nome citado diretamente como réu em um processo relacionado à negociação. Bartomeu era vice-presidente sob a gestão de Rosell quando Neymar foi contratado em uma transação complexa que envolveu múltiplos contratos com o jogador e seu pai. Bartomeu, Rosell, que renunciou devido às denúncias, e o clube foram acusados de fraudar a Receita espanhola em cerca de 13 milhões de euros.


NeymarOutras ofertas de Neymar

Os promotores pediram pena de prisão de 2 anos e 3 meses para Bartomeu e de 7 anos e meio para Rosell, além do pagamento de multas e de impostos totalizando mais de 60 milhões de euros. O tribunal disse nesta quarta-feira que, como parte da investigação sobre a denúncia do DIS, os clubes Chelsea, Manchester City, Real Madrid e Bayern de Munique foram solicitados a detalhar suas ofertas por Neymar enquanto ele estava no Santos. (Reportagem de Iain Rogers)

Você pode gostar também
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.