Enchente no Acre: veja a situação atualizada e saiba como ajudar

Há pouco mais de uma semana em estado de emergência, Acre enfrenta grave crise humanitária devido a enchente em meio a pandemia da Covid-19. Corpo de bombeiros já fala de 120 mil pessoas afetadas.

O Acre está em estado de emergência há pelo menos uma semana, desde que os temporais de chuva atingiram os rios, que por sua vez transbordaram e alagaram municípios do estado. Segundo publicação do UOL deste domingo (21/02), os dados atualizados do corpo de bombeiros constataram que cerca de 120 mil pessoas e pelo menos 32 mil famílias foram atingidas pela enchente no Acre.

Ainda de acordo com os bombeiros, das 32.334 famílias atingidas, cerca de 4.400 estão desalojadas e 2.027 desabrigadas. Em paralelo às enchentes, o estado também enfrenta uma crescente no número de casos da Covid-19. Em entrevista à CNN Brasil, o governador Gladson Cameli (PP) definiu a situação da região como “calamidade humanitária” e disse que “são vários problemas em uma hora só”.

O que causou a enchente no Acre?

Imagem mostra situação da enchente no Acre
(Foto: Dircom/Prefeitura de Rio Branco)

Com a intensidade da chuva, diversos rios situados no Acre transbordaram, e assim atingiram as comunidades locais.  De acordo com o corpo de bombeiros local, a situação mais crítica se encontra em Sena Madureira, já que a enchente causou um estrangulamento da estrada, o que limita o transporte de abastecimento.

Segundo apontou o governo ao UOL, o rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, chegou a seu recorde de nível alcançando 14,31 metros no último dia 19 de fevereiro.  A cidade foi parcialmente inundada, e mais de 9 mil famílias foram atingidas direta ou indiretamente. Além das regiões citadas, a capital Rio Branco e os municípios de Tarauacá, Feijó, Santa Rosa do Purus e Rodrigues Alves, estão em zona de emergência.

Bolsonaro vai visitar regiões atingidas pela enchente no Acre

Imagem mostra situação da enchente no Acre
(Foto: Dircom/Prefeitura de Rio Branco)

- PUBLICIDADE -

Com a enchente no Acre, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se posicionou sobre a situação através de um vídeo publicado em suas redes sociais. Ele prometeu visitar algumas regiões afetadas pelo alagamento na próxima quarta-feira, 24 de fevereiro. Em conversa com o senador Márcio Bittar (MDB) e o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), o presidente prometeu uma ajuda financeira ao estado.

Segundo informou o portal Poder360, o governo federal deve anunciar a liberação de R$ 450 milhões para diversos municípios afetados pela enchente, entretanto, ainda não há mais informações de como isso será feito, e o total de recurso para cada região.

Como ajudar o Acre?

Leia também

Covid-19: Veja quais cidades entraram lockdown no Brasil

Milhares de moradores foram levados para abrigos montados em escolas, igrejas e barcos. Além dos desabrigados, há várias famílias desalojadas em estado de vulnerabilidade. Por isso, o governo divulgou campanhas para doações de cestas básicas as pessoas afetadas pela enchente no Acre. Confira alguma delas abaixo:

  • Associação do Ministério Público do Estado

Dados bancários: Banco do Brasil Agência 35505 Conta Corrente: 100-7

  • Plantão de doações: (68) 99929-2576
  • Pontos de entrega: SEASDHM (Secretaria de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres) e Secretarias do Estado

#SOSACRE

- PUBLICIDADE -

O DK Alok ajudou a campanha #SOSAcre, realizada pelo Ministério Público do Acre, e deu visibilidade a ela nas redes sociais. Ele informou que “já foi estabelecida uma contribuição com a Associação do Ministério Público do Acre” por meio do seu instituto. Veja abaixo os dados para a doação:

Banco do Brasil
Ag: 2359-0
CC: 14.300-6

CNPJ: 63.589.899/0001-40

 

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes