Covid-19: Itália anuncia lockdown para o Natal e Ano Novo

A decisão é vista como mais um esforço para combater o aumento dos casos de coronavírus no país.

Itália anuncia lockdown para o Natal e também Ano Novo. 

A decisão é vista como mais um esforço para combater o aumento dos casos de coronavírus.

Assim, o país estará sob as restrições da “zona vermelha” durante os feriados. Por exemplo, lojas não essenciais, restaurantes e bares estão fechados.

Além disso, os italianos estão autorizados a apenas viajar por motivos de trabalho, saúde e emergência.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

De acordo com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, esta não foi uma decisão fácil”.

“Nossos especialistas estavam seriamente preocupados com a possibilidade de um aumento no número de casos no Natal. Portanto, tivemos que agir”, disse ele em entrevista coletiva.

A Itália registrou o maior número de mortos por covid na Europa, com cerca de 68.000 mortes.

 

Itália anuncia lockdown para o Natal
Imagem: Reprodução / iStock

Itália anuncia lockdown para o Natal

As restrições da “zona vermelha” estarão em vigor em toda a Itália de 24 a 27 de dezembro, de 31 de dezembro a 3 de janeiro e de 5 a 6 de janeiro.

Durante este período, as pessoas “podem sair de casa apenas por razões de trabalho, necessidade e saúde”, disse Conte.

Mas, acrescentou, que as regras vão permitir que as pessoas recebam no máximo dois convidados, sem incluir menores de 14 anos, nas suas casas. Além disso, o toque de recolher das 22h às 05h permanecerá em vigor.

Os meios-fios ligeiramente mais soltos estarão em vigor de 28 a 30 de dezembro e em 4 de janeiro. Nestes dias, as pessoas terão liberdade para sair de casa, mas os bares e restaurantes continuarão fechados.

De acordo com Conte, as regras foram concebidas para “permitir a socialização mínima adequada para este período”.

Bem como acrescentou que a polícia não será enviada às casas das pessoas para verificar se as regras estão sendo cumpridas. Mas pediu aos italianos que ajam com responsabilidade.

Segundo o primeiro-ministro, a campanha de vacinação contra a covid-19  começará no país no fim deste mês. E, marcará assim o “fim deste pesadelo”.

Fonte BBC

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes