Tarot: conheça a história e entenda como as cartas podem orientar sua vida

Tarot: entenda como as cartas podem orientar sua vida

Criado no século 15, o jogo atrai cada vez mais interessados porque promove o autoconhecimento e auxilia na tomada de decisões

O tarot (ou tarô), criado na Europa, é um instrumento de autoconhecimento que há séculos atrai interessados em todo o mundo. Seja para ajudar na hora de tomar alguma decisão ou para prever o futuro, os arcanos trazem mensagens que indicam possíveis caminhos a seguir diante das mais diferentes situações de nossas vidas.

O que é tarot?

Tarot- cartas
Foto: Jacqueline Macou

De acordo com pesquisadores, o primeiro baralho de tarot surgiu na Europa por volta do século 15. Desde então, essas cartas são usadas para orientar pessoas diante das mais diversas situações e para fazer previsões sobre o que está por vir. De acordo com a cartomante Luciana Virtua, “Um tarólogo não faz adivinhações, ele faz análises. Os arcanos são instrumentos de autoconhecimento porque nos levam a refletir sobre nossas atitudes no passado e no presente para, então, decidir o que faremos no futuro”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Normalmente, um baralho de tarot tem 78 cartas que revelam detalhes sobre a vida e sobre os acontecimentos, levando em conta os aspectos físico, mental, emocional e espiritual de cada um no momento da consulta. A cartomante explica que “Existem tipos diferentes de baralho. Alguns usam menos cartas, outros variam quanto às imagens e aos símbolos. Mas, no fundo, o objetivo é sempre o mesmo: promover a reflexão e o autoconhecimento de uma maneira bem completa, holística”.

Como funciona?

Cartas de tarô
Foto: Mira Cosic

O famoso psiquiatra e psicoterapeuta Carl Jung, criador da Psicologia Analítica, encontrou nos arcanos uma ótima ferramenta para os estudos da mente humana. Isso porque, segundo ele, as cartas trazem conceitos que representam o inconsciente coletivo. Dessa forma, as imagens e mensagens do tarô podem ser aplicadas a todos porque são, na verdade, uma representação daquilo que é inerente a todo ser humano. “Nós interpretamos o jogo de acordo com as questões trazidas por quem nos procura, a combinação das cartas e, claro, o conhecimento que temos sobre o tarô. Tudo é feito com base nas particularidades de cada um”, conta a taróloga.

A consulta leva aproximadamente uma hora e, normalmente, os arcanos são escolhidos durante o jogo por meio de um sorteio aleatório. É o tarólogo que define o formato desse sorteio. Depois, ele faz a interpretação das cartas e da combinação entre elas. Luciana explica que “Não existem respostas prontas e finais no tarô. O jogo, normalmente, traz para a consciência aquilo que está no nosso subconsciente e, por isso, as mensagens servem como aconselhamentos, mas não podemos deixar de levar em conta o livre-arbítrio de cada um e as circunstâncias, que podem mudar a qualquer momento”.

O Tarot de Marselha

Tarot de Marselha
Foto: Jean Didier

Esse é, sem dúvidas, o baralho mais conhecido do tarot. Além disso, é também um dos mais antigos, segundo pesquisadores. Com 78 cartas (dividas em 22 arcanos maiores e 56 arcanos menores), traz imagens medievais em cores primárias cheias de simbolismo. As figuras impressas no baralho são compostas por personagens em situações que fazem parte do inconsciente coletivo, como afirmou Jung. “Os arcanos maiores representam lições espirituais, enquanto os menores falam sobre as situações pelas quais passamos no dia a dia”, explica a cartomante. O Tarot de Marselha aborda aspectos do passado, presente e futuro, relacionando a nossa personalidade com o mundo exterior. Por isso, esse baralho é considerado um instrumento psíquico poderoso, que promove o autoconhecimento e a reflexão. Ele auxilia na tomada de decisões relacionadas a eventos que estão acontecendo ou que ainda vão acontecer nas nossas vidas.

Tarot terapêutico

Além de servir para aconselhar e prever o futuro, o jogo de tarot pode ser usado com um viés terapêutico e essa é uma das formas de uso que mais crescem em todo o mundo. O objetivo do tarô terapêutico é trazer à luz aquilo que está no inconsciente, ajudando na compreensão de questões internas de uma forma mais ampla. Luciana explica que “Essa modalidade busca a transformação do ser humano. Ela mostra que somos responsáveis por nossas escolhas e, consequentemente, pelo que vem a partir delas. O tarot terapêutico tem como princípio o fato de que cada um tem dentro de si tudo que precisa para ser feliz e que é olhando para dentro que entendemos isso”. Esse tipo de consulta ajuda, principalmente, em questões sociais, buscando eliminar traumas e reconhecer aspectos favoráveis para melhorar nosso relacionamento conosco e com o outro.

Informar Erro

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes