2 barragens com risco de rompimento em MG

Minas vem sofrendo com as fortes chuvas; situação reacendeu o alerta sobre barragens

Devido às fortes chuvas que atingem o estado, Minas Gerais vem sofrendo sérias consequências nas últimas semanas. Já são mais de 130 cidades em situação de emergência por causa de alagamentos e enchentes em janeiro de 2022. Como se não bastasse, a lista de barragens com risco de rompimento em MG é uma realidade.

No último fim de semana, um dique transbordou em Nova Lima, chamando mais uma vez a atenção para a situação das barragens distribuídas pelo estado. De acordo com autoridades locais, há risco alto de rompimento também em Pará de Minas, que fica no sudoeste do estado, e em outras cidades.

Quais barragens estão com risco de rompimento em MG

Depois que um dique da barragem da Mina do Pau Branco, em Nova Lima, transbordou no último sábado e interditou uma rodovia, a situação das barragens em MG voltou a ser assunto e reacendeu o alerta. Minas Gerais tem atualmente 400 minas abandonadas e algumas delas estão sob sério risco de romper.

Algumas barragens com risco de rompimento em MG, inclusive, são mais perigosas que a da Vale, em Brumadinho, cuja ruptura causou a morte de 270 pessoas em janeiro de 2019. Há também barragens em atividade entre as que colocam vidas em risco no estado. Segundo um relatório da própria Vale divulgado em 2020, por exemplo, as barragens B3 e B4 da Mina Mar Azul, em Macacos, Forquilha I e III, em Ouro Preto, e a Sul Superior, em Barão de Cocais, apresentam alto risco de ruptura.

No último domingo, na região de Pará de Minas, os moradores de sete cidades foram orientados a deixar suas casas. O risco de rompimento de uma barragem na Usina do Carioca, hidrelétrica que é de responsabilidade da Santanense, é alto. O alerta no local é máximo e duas famílias que vivem na região estão ilhadas. Nesta segunda-feira, autoridades vistoriam o local. “Há anos e anos que não se via tanta água como vimos neste final de semana”, disse em coletiva o prefeito de Pará de Minas, Elias Diniz (PSD).

Além disso, outras dez barragens da Vale estão em nível de emergência. Mas a barragem com maior risco de rompimento, segundo a Agência Nacional de Mineração (ANM), é a da Mina Engenho, da Mundo Mineração, que está abandonada e fica na cidade de Rio Acima. O local está sem manutenção há mais de seis anos.

Brumadinho

Em janeiro de 2019, a cidade de Brumadinho foi arrasada pelo rompimento de uma barragem da Vale. 270 pessoas morreram na tragédia e 9 continuam desaparecidas. O rompimento da barragem teria sido causado por uma perfuração que a empresa fazia no local e fez com que cerca de 14 milhões de toneladas de lama e rejeitos vazassem, atingindo a região. Ações ainda estão em andamento na justiça para punir os responsáveis pela tragédia. No ano passado, no entanto, a Vale assinou um acordo de 37,68 bilhões com o Governo de Minas Gerais, o maior acordo judicial de medidas de reparação já feito em toda a América Latina.

 

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja de acordo com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Mais detalhes